Reprodução

A reviravolta da Bolívia na relação com o narcotráfico

24.11.19 11:36

A renúncia de Evo Morales na Bolívia e a posse da presidente interina, Jeanine Añez, produziu um giro completo na maneira como o país lida com o narcotráfico.

Na quinta-feira, 21, o ministro de Governo da Bolívia, Arturo Murillo, anunciou que o governo transitório irá extraditar 14 narcotraficantes solicitados pela Justiça brasileira. Os pedidos do Brasil tinham sido enviados para La Paz, mas acabaram desaparecendo na burocracia do governo de Evo Morales.

“Nos últimos anos, o Brasil teve extrema dificuldade em pactuar medidas com autoridades da Bolívia para conter a saída das drogas deste país. Isso acontece porque cerca de 20% a 25% do PIB boliviano vem do comércio da droga, cujo dinheiro movimenta a economia”, diz o especialista em segurança José Vicente da Silva, coronel aposentado da Polícia Militar e ex-secretário nacional de segurança.

A cocaína e a pasta-base do crack produzidos na Bolívia (foto) são vendidas para grupos brasileiros, como o Primeiro Comando da Capital, o PCC, e o Comando Vermelho. Além de um dos maiores mercados consumidores do mundo, o Brasil também é um corredor de exportação. Máfias russas e italianas adquirem a droga para abastecer mercados na Europa e no Oriente.

“O entendimento recente entre a Justiça do Brasil e da Bolívia mostra que pode haver alguma evolução no combate ao tráfico de cocaína, o que seria uma inversão da situação anterior, em que existia uma resistência muito grande por parte dos bolivianos”, diz Silva.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Acho q ta na hora de cortar relacoes comerciais com esses paises q protegem de alguma forma contrabandistas, corruptos/ corruptores e o trafico e seus lideres.

  2. Convenhamos, a bandidagem petista sob ordem do chefe LULA tinha perfeita sintonia com o narcotráfico boliviano sob as bênçãos do chefe EVO Daí, muita grana era destinada ao LULALAU e ao partido mais corrupto do Brasil.

  3. Ótimo a mudança de postura e enfrentamento do narcotráfico. Mas se não conseguirem melhorar a economia podem ter certeza que Evo volta nos braços do povo em menos de 4 anos. Tarefa difícil do novo governo mas espero que consigam!

  4. Chamar PCC e comando vermelho de "grupos brasileiros" é covardia. Até a Crusoé vai entrar nesta de chamar assaltante de vítima. Acordem!!!! O Povo está sedento por VERDADES. O nome é TERRORISTAS.

  5. Melhor deixar os 14 inocentes presumidos na Bolívia, já que a Justiça de lá parece ser mais séria que a nossa do atual stf. Aqui, em 24 horas estarão soltos por suas incelenças togadas.

  6. Acho que tem um jeito de acabar com o narcotráfico, libera o tráfico e proíbe que hospitais do SUS atendam viciados. Não podemos pagar por irresponsabilidades dos outros.

  7. Como se viu, o modelo petista só serviu para manter o problema e, provavelmente, alimentá-lo, já que parte da base de poder que sustentava Evo estava no tráfico. Se nada foi feito para reduzir a participação deles no PIB, então financiar Evo acabaria por financiá-los indiretamente.

  8. O PIB da Bolívia perto do PIB brasileiro é um trisco, sendo que o PIB americano perto do PIB brasileiro tb é completamente desproporcional. Só no tradeoff de se reduzir os gastos com segurança pública já poderiam ser bilhões a serem investidos na Bolívia e outros países produtores. Se forem computados os ganhos que podem vir do desenvolvimento econômico, a conta pode ficar muito mais atrativa ainda. Claro, desde que a execução seja primorosa e realmente atue na raiz do problema.

  9. Poupa-se dinheiro público nos países consumidores, eleva-se a renda nos ex-países produtores, poupa-se milhares de vidas perdidas para o narcotráfico e para o consumo de drogas, além de se agir indiretamente na criminalidade e na violência, além de todas as perniciosidades associadas a elas. O que faz do tráfico lucrativo é o tamanho dos mercados consumidores, por outro lado, é o tamanho do PIB dos países consumidores que torna barato para estes investir nas regiões produtoras.

  10. Qq homem de negócio minimamente preparado sabe que se a margem de lucro se reduz, então isto significa que aqueles players mais ineficientes automaticamente serão eliminados do mercado pq não tem condição de competir. Ou seja, dar opção aos plantadores de coca e investir no aumento da renda deles em tese pode sair muito mais barato do que reprimir e combater o tráfico de drogas dentro de países continentais como EUA e Brasil, com fronteiras extensas para a entrada de entorpecentes.

  11. Se o relevo não é favorável a outros tipos de cultivo, então a melhor coisa que se poderia fazer para as regiões é buscar a industrialização e transformação destas em polos tecnológicos. Uma vez que a renda se eleve, o plantio de coca se torna menos atrativo. Por outro lado, considerando que a cadeia de produção da coca e seus derivados é extremamente ineficiente e perdulária, se o custo da produção de folha de coca diminui, a margem de lucro do traficante tb se reduz.

  12. A ideia de se combater o tráfico na origem é a mais correta em virtude da relação custo/benefício, mas ela deveria ser pensada do ponto de vista não da repressão policial e militar, mas da redução da precariedade e da falta de educação. Os produtores de folha de coca da Bolívia são "reféns" do tráfico, pois praticamente não há outro meio para que subsistam. O relevo das regiões plantadoras é totalmente propício para a monocultura de folha de coca, portanto, pq ele não prevaleceria.

  13. Aliás, o tráfico de drogas é a combinação de monopsônio com monopólio, pois os traficantes controlam com mãos de ferro seus territórios e seus mercados, enquanto tb controlam com mãos de ferro as rotas do tráfico e o fornecimento do insumo-base. Aliás, não existe nada mais capitalista e selvagem do que o tráfico de drogas (dentro do conceito de capitalismo da esquerda, já que dentro da visão liberal, não há capitalismo sem concorrência e eficiência).

  14. O plantio de coca na Bolívia praticado hj praticamente não é diferente do que era realizado séculos atrás, significando que se vale da precariedade das condições e da falta de educação daqueles que encontram nele uma forma garantida de obterem um sustento. O verdadeiro lucro não fica com os produtores da folha de coca, mas com os traficantes que estão na ponta final, pois são eles quem controlam toda a cadeia de produção, possuindo um monopsônio.

  15. Tit-for-tat, se eles estão colaborando, então recebem o mesmo de volta, se estão abrindo mão de algo, então são compensados pelo "sacrifício" ou "esforço" realizado. Afinal, o custo de se combater o tráfico de drogas dentro das fronteiras brasileiras é muito maior devido à grande extensão do território e táticas adotadas pelos traficantes. Ao se agir na raiz do problema, o resultado obtido é exponencial em relação ao custo menor e à maior eficiência da ação.

  16. O Brasil tem meios para "compensar" o "sacrifício" boliviano. Nos governos do PT eles financiaram Evo sem exigir nada em troca, a não ser ampliar a rede de corrupção e financiamento do seu projeto de poder. Seja via fornecimento de gás natural da Bolívia, seja via investimentos em infraestrutura na Bolívia onde o real interesse é o desenvolvimento boliviano exatamente para reduzir a participação do tráfico no PIB, é possível se "compensar" os bolivianos.

  17. Em breve: o COCALÃO, associação criminosa entre o pt e a Bolívia. E tudo começou com a expropriação da refinaria da Petrobras pelos irmãos bolivianos bolivarianos

  18. Quanto dinheiro não veio para comprar livre passagem dessa droga no Brasil? Quantos políticos brasileiros não estão sujos com o sangue de tantos que a droga mata?

    1. Qual político controlava o Porto de Santos? Por qual motivo não ocorriam apreensões ou eram apenas pequenas apreensões (desvio de atenção da carga maior) e agora caem às toneladas? Será que tinha mão do Treme?

  19. O governo anterior da Bolívia também era aliado dos governos anteriores do Brasil que fizeram Mensalão e Petrolão. Lembrando que os governos anteriores diziam que o bandido era "vítima" da sociedade.

  20. Facil de entender com as mudanças de governo no Equador;Chile;Bolivia e agora Colombia as "revolta populares"acontecem e o PIb da coca diminui, lembrem FARCe PT muy amigos

  21. E a quadrilha folclórica da Ilha da Fantasia - Toffoli + Gilmar + Lewan + Aurélio - irá deixar esses 'cidadãos de bem' presos?

  22. Evo, era o chefe do tráfico, o filho do El Chapo Guzman viveu na Bolívia, e tinha trânsito livre no governo. Evo vendia o quilo de cocaína à $2500 ao cartel de Sinaloa, que depois revendia à $17000 dólares o quilo.

  23. Sim, as drogas movimentam 20-25% do PIB formal da Bolívia, mas 80-90% do PIB informal do Brasil. E, segundo dizem, o PIB informal brasileiro e pelo menos 40% do PIB formal. Qual será mesmo o país que é dominado pelas drogas?

    1. Você está transtornada garotinha. Volte para o seu esgoto, acalme-se e depois venha conversar como ser humano, uma coisa que você tenta ser mas ainda não consegui. Quem sabe um dia! Continue tentando. Até lá, você não passa de um bozista esquizofrênico.

    2. Volte lá para sua professora de Redação, Dª. Dilma, e termine o curso que você interrompeu. Comparando proporções de PIB o caralho, seu bosta.

    3. Paulinha idiota. Quem comparou PIB da Bolívia com o do Brasil. Eu estava comparando proporções do PIB dos dois países associados às drogas. Você já foi mais inteligente. Hoje você não passa de um simples Bozista arrependido querendo se transformar em gente. Tá difícil, tá difícil...

    4. Jose, acabo de concluir que você, além de ter um vocabulário muito pobre, ainda é burro. É apenas uma questão de matemática básica: Como pode 20 a 25% do PIB formal da Bolívia ser superior a 80 a 90% do PIB informal brasileiro ou segundo os seus dados: 32 a 36% do PIB formal brasileiro, SEU IGNORANTE! E OS DADOS ACIMA SÃO SEUS.

    5. Petista detectado, sempre tampando os sol com a peneira, quando são criticados partem para acusar e usam a herança dos governos petistas, sempre houve, sempre haverá economia informal em qualquer pais do mundo, porém em alguns o cidadão acaba sendo punido por sonegar, por ex. El Capone nos Estados Unidos. Devemos sim lutar para que LADRÕES E sonegadores sejam punidos, tais como a quadrilha do PT.

  24. O Governo Interino da Bolívia deveria pedir auxílio dos Governos americano e brasileiro para enfrentar militarmente a produção e o tráfico de drogas. Seria um tremendo golpe na esquerda narcoterrorista latinoamericana.

    1. Perfeitamente 👍👍!! estou certo que os americanos colaborariam. Só o Maduro que não iria gostar muito!

Mais notícias
Assine agora
TOPO