Edson Lopes Jr/A2 FOTOGRAFIA

Alckmin e Kassab armam ‘troco’ em Doria e Rodrigo Garcia

06.06.21 12:01

A relação entre Geraldo Alckmin (foto) e Gilberto Kassab ficou marcada pelo duelo que eles travaram na eleição municipal de 2008. Na ocasião, Kassab isolou Alckmin e garantiu a reeleição como prefeito de São Paulo.

Mesmo com o apoio de Kassab à fracassada candidatura de Alckmin a presidente da República dez anos depois, em 2018, as rusgas do passado os mantiveram afastados. Agora, o cenário mudou.

Alckmin está determinado a concorrer a governador de São Paulo pela quarta vez em 2022, mas tem um grande obstáculo pela frente: a candidatura do vice-governador Rodrigo Garcia, que trocou o DEM pelo PSDB no mês passado justamente para disputar a sucessão do governador João Doria.

Para Alckmin, restam duas opções: disputar prévias com Rodrigo Garcia, cujo grupo político controla o diretório paulista do PSDB, ou deixar o partido que ajudou a fundar há mais de 30 anos. A segunda opção é considerada a mais provável, segundo aliados do ex-governador.

É aí que aparece Gilberto Kassab. O presidente do PSD já ofereceu sua legenda para Alckmin tentar voltar ao Palácio dos Bandeirantes — o tucano também mantém conversas com o DEM, mas os democratas dizem ser difícil que ele se filie ao partido. Além do comando do maior estado do país, um sentimento de “vingança política” também une Alckmin e Kassab neste momento.

Alckmin não engoliu até hoje o que Doria fez na campanha de 2018. Além de forçar sua candidatura ao governo contra Márcio França, que foi vice de Alckmin e era o nome preferido dos alckmistas, estimulou a dobradinha “Bolsodoria”, o que contribuiu para que o ex-governador tivesse o pior desempenho da história do PSDB em uma eleição presidencial, com apenas 4% dos votos.

Hoje, uma candidatura de Alckmin ao governo paulista atrapalharia o projeto presidencial de João Doria, para quem seria melhor ter um palanque forte e unido em seu estado. Se o ex-governador for mesmo para o PSD, há boas chances de ele reeditar a chapa com Márcio França, do PSB, vitoriosa em 2014.

Para Kassab, receber Alckmin como candidato a governador pelo PSD seria a maior chance de derrotar Rodrigo Garcia, de quem já foi sócio e aliado, mas hoje é desafeto.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. políticos não são amigos e nem inimigos, são aliados dependendo de como está o jogo. E os idiotas fanáticos e ignorantes servem de peões nesse xadrez onde nunca vão passar disso....os trouxas brigando por político

Mais notícias
Assine agora
TOPO