Agência Brasil

As respostas do TSE às dúvidas das Forças Armadas sobre as urnas

16.02.22 17:59

O Tribunal Superior Eleitoral divulgou na tarde desta quarta-feira, 16, as respostas a 80 perguntas feitas pelas Forças Armadas sobre o processo eletrônico de votação das eleições. Os dados servirão para municiar o representante dos militares na Comissão de Transparência das Eleições.

O documento mostra que a corte voltou a atestar a segurança das urnas, detalhou informações sobre os equipamentos comprados em 2020, explicou a mudança do formato de totalização de votos e sanou dúvidas comuns, como os procedimentos a serem adotados em caso de eventual violação do lacre das urnas.

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, no entanto, frisou que a lista de respostas não apontou “detalhes que possam viabilizar ataques aos sistemas da Justiça Eleitoral“. O ministro explicou que, se necessário, esses esclarecimentos complementares serão tratados em reuniões entre técnicos da área de Defesa Cibernética do Ministério da Defesa e a equipe da Secretaria de Tecnologia da Informação da corte.

Em um dos pontos de destaque da papelada, o TSE indicou às Forças Armadas que centralizou a totalização de votos em sua sede em alinhamento com uma recomendação de peritos da Polícia Federal. A medida, explicou a corte, reduz a “superfície de ataque de hackers“.

Considerados os benefícios da centralização (maior economicidade e maior segurança) e a partir do relatório dos peritos da Polícia Federal corroborando os benefícios da medida, o TSE implantou a centralização da totalização dos resultados a partir das Eleições 2020“, emendou. Antes da mudança, os dados eram centralizados nos Tribunais Regionais Eleitorais.

Indagado sobre as auditorias externas realizadas em urnas desde 2009, a corte eleitoral lembrou que a verificação dos códigos-fonte é realizada a cada pleito por peritos criminais da PF. Informou também que, além do exercício de rotina, os dados foram auditados por especialistas do PSDB após as eleições de 2014, por uma equipe da Procuradoria-Geral da República duas vezes em 2020, pelo PV e pelo PL em 2021 e pela Controladoria-Geral da União no início deste ano.

A expectativa, a confirmar, é a de recebermos, em fevereiro e março de 2022, representantes da Ordem de Advogados do Brasil, do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, além de representantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul“, prosseguiu.

O TSE esclareceu que os últimos testes públicos de segurança, realizados no ano passado, miraram as urnas do modelo de 2015, porque as de 2020 ainda estavam em desenvolvimento. A corte, porém, antecipou que o suporte de software para o equipamento de 2020 estará disponível em março para teste.

Em outra ponta, a corte assegurou que o novo modelo não está mais vulnerável por conter portas USB. “Dispositivos USB desconhecidos ficam inutilizáveis quando conectados na urna. E a urna suspende a sua execução caso a sua montagem não esteja de acordo com as especificações“, anotou.

Ademais, todo dado sensível que trafega pelo barramento USB é protegido por criptografia. Por exemplo, as teclas pressionadas no terminal do eleitor são cifradas. Dessa forma, não há a possibilidade de captura de ruído ou de pacotes de dados críticos em portas USB“, completou.

Os questionamentos ganharam destaque depois que Jair Bolsonaro, durante uma live realizada na semana passada, afirmou que as Forças Armadas identificaram vulnerabilidades no processo eleitoral. A troca de documentos, porém, desmente o presidente.

Foram levantadas várias, dezenas de vulnerabilidades, foi oficiado o TSE para que pudesse responder às Forças Armadas – porque afinal de contas, o TSE pode ser que esteja com a razão. Pode ser, por que não?“, disse, na ocasião.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Com base em que esta jornalista AFIRMA que no TSE comprova a segurança alegada pelo órgão? O TSE apenas respondeu às perguntas que os especialistas ainda vão submeter à analise. Não prova nada! Ou a jornalista decidiu que prova?

  2. Por que têm as FFAA de se meter nisto? E por que o TSE dá satisfações a elas? Isso é mais uma prova da inutilidade das FFAA.

  3. eu só faço uma pergunta que o jorNAZISMO jamais fará .. POR QUE um general que já tinha aceitado ser diretor do TSE algo que daria confiabilidade à eleição alegando "problemas familiares" recusa a participar de algo tão importante? quem conhece a tropa sabe que isto é "ingolível" e algo muito pôdre ocorre no "reino da Dinamarca" é claro .. o TSE já está nas patas dos criminosos? o dr. Fachin insinua ou pede socorro? os ratos estão colocando o guiso no pescoço do gato e ninguém entende? éD+.

  4. Com essa pequena pressão das FFAA, acho que o BV vai dar marcha ré no quibe. Adulterar as eleições nas barbas das FFAA, contendo especialistas em guerra cibernética formados no IME e ITA, deixou de ser prioritário para se tornar um risco de cadeia iminente. Podem anotar aí, agora os militantes do STF vão apontar suas metralhadoras para tornar o PR inelegível e, essa guerra será insana até o pleito de outubro quando, enfim, o PR prevalecerá. __ Que o Deus dos Exércitos nos proteja.

    1. Nyco, sai do delírio e vá trabalhar no mundo real. As urnas não são e nunca foram o problema. O problema são os candidatos que estão nas urnas. Escolhas boas ou ruins, mas quem aperta a tecla somos nós. Vítimas de armadilhas, como fundo eleitoral, partidário, caciques, patrocinadores outros de campanha e tudo mais, somos um eleitorado onde nossas vontades muitas vezes são solapadas, mas o que apertamos na urna é o que é contabilizado na eleição. A fraude acontece bem antes das urnas.

    2. PAULO JOSÉ galhudo filho de quenga solteira escute: Leia o AT e tu compreenderás a expressão "Deus dos Exércitos", mas como tu és um sujeito limitado, só lê resumos e olhe lá, aí tu ficas resumido a tua vil insignificância de comentarista de comentários alheios em troca de uma quota de alfafa.

    3. 2- Afinal, O que morreu na cruz, cuja filosofia foi a bondade para com os fracos, nada tem haver com os valores do Bolsonaro, que não tem nenhuma empatia com os que sofrem.

    4. 1- Pressão das FAs? As FAs estão ficando de saco cheio com o Bolsonaro. O cara mente toda hora em nome das FAs. Bolsonaro já perdeu. A guerra dele agora se circunscreve a uma retórica golpista, cada vez mais enfraquecida e arriscada para ele. Ainda bem que vc se diz agnóstico. Então existe um Deus do exército? Deve ser esse o do Bolsonaro.

  5. Não tem nada inviolável! Só os semideuses do STF que são invioláveis e podem tudo! Defender e soltar políticos corruptos e suas quadrilhas, soltar traficantes, etc. etc.

    1. Eu te pergunto: qual sistema é mais vulnerável à fraude, o atual ou o anterior? Coloca para nós aqui a sua sugestão, de como deveria ser o processo eleitoral. Vamos pensar um pouco a respeito. Vc consegue pensar, não é?

  6. A pergunta principal - e q DEVERIA ser respondida - é porque o TRE insiste em usar urnas eletrônicas de PRIMEIRA geração e suas variantes, enquanto a maioria dos países do mundo que fazem uso destas urnas (a exemplo da Suécia), usam urnas de SEGUNDA GERAÇÃO, q permite a IMPRESSÃO do voto? Brasil, Bangladesh e Butão são os únicos países do mundo a usar urnas de primeira geração. Mais de 100 outros países usam urnas AUDITÁVEIS. ESTA é a pergunta principal. KD a poha dá resposta a esta pergunta??

    1. Ih Paulo. Bozista é incapaz de qualquer capacidade cognitiva. Você está pedindo muito do Júlio Nyco Penyco Bozista.

    2. Encerrada a votação, cada urna emite um relatório, que pode ser conferido por qualquer pessoa. Me responde uma coisa bolsonaristas: Quando vc faz um PIX para outra pessoa, qual é o rastro que fica? Por ventura existe a possibilidade de um hacker interceptar e mudar o destinatário? Se sim, como ele faria isso? Vamos pensar pessoal... A principal diferença do ser humano para o animal, é a imaginação.

    3. Interessante é que para o bolsonarista, kit covid é eficaz, vacina é experimental e urna eletrônica é vulnerável. Mas eles não entendem nada de medicamentos, nada de vacinas e nada de urnas, só repetem o que o dono manda: MÚÚÚÚÚÚÚ. Primeiro, eu gostaria de perguntar para o Jaime, como vc imagina a operacionalização da contagem de todos os votos impressos pela urna?

    4. Provem mais uma vez que os votos não são auditáveis. Parem com zurros e mostrem provas. Estou aguardando!

    5. perfeito comentário, hackers invandem sistemas informatizados de grandes corporações considerados inatingíveis, porque as urnas eletronicas são invioláveis na versão desta gente do tse, porque não implantam o voto eletronico auditável???

    6. Todas as urnas são auditáveis. Prove que não são! Estou aguardando.

  7. A realidade do Sociopata FAMILICIA BolsoNero é muito aquém da realidade das pessoas normais; é recheada de alucinações, de mentiras e invenções,de manipulação e de obsessão . Vive vendo fantasmas e perseguição.

  8. fica a dúvida .. por que então o ministro Fachin publicamente diz textualmente que A JUSTIÇA ELEITORAL JÁ PODE ESTAR SOB ATAQUES DE HACKERS? já pode? isto tem de ser explicado afinal é fala do presidente do STF a suprema corte e um dos poderes institucionais do país .. baseado em que disse isto? qualquer cidadão ao ouvir isto questiona o sistema por óbvio .. fato gravíssimo e que pode ter sérias consequências e não sabiam disto? um general recusa participar da eleição representando as FFAA pq?

    1. Como é primitiva a mente dos bolsonaristas. Ataques de hackers russos é uma possibilidade, e isso não tem nada haver, com uma atual vulnerabilidade do sistema eleitoral. O sistema reúne a segurança do off-line, sendo que depois os votos seguem por um canal exclusivo e protegido, que só a Justiça Eleitoral tem acesso. Quanto a saída do general, acho que ele, assim como todo brasileiro de bem, CANSOU DO BOLSONARISMO ESTÚPIDO E MENTIROSO.

    2. Pois é, só gente mal intencionada para defender essa turma.

  9. Tudo o que vem desse Sr, presidente do TSE, não tem credibilidade frente aos mais variados conluio que vem participando nos últimos anos no STF. É tão verdadeiro quanto o Lula honesto.

    1. As urnas são auditáveis, mas BOZO falou que não e o gado reproduz a informação.

Mais notícias
Assine agora
TOPO