Marcos Nagelstein/Folhapress

‘É uma candidatura protagonista’, diz Leite sobre eventual aliança com Moro

01.12.21 13:50

Derrotado nas prévias do PSDB após uma disputa tensa, com troca de acusações com o governador de São Paulo, João Doria, e suspeita de compra de votos, Eduardo Leite afirma não guardar mágoas do processo, mas pontua diferenças de estilo e métodos entre ele e o agora candidato do partido ao Planalto. Diz que a “tarefa urgente” de Doria será demonstrar viabilidade eleitoral e reduzir a rejeição. Em entrevista a Crusoé, o governador do Rio Grande do Sul afirma que, nesse momento, não se vê saindo do partido, mas faz uma ressalva: “desde que PSDB não deixe de ser o PSDB”. “Vamos ter que acompanhar agora que tipo de condução o Doria vai dar”, afirmou.

O governador gaúcho tem sido procurado por outros partidos de centro e no próximo sábado se encontrará com Sergio Moro, pré-candidato do Podemos à Presidência, em Porto Alegre. O ex-juiz cumprirá agenda no Rio Grande do Sul para filiação de deputados ao novo partido. Leite afirma que a candidatura de Moro “é protagonista no processo” e adianta que, se houver compatibilidade de agendas, programas e projetos com Moro, poderá estabelecer uma aliança futura com o presidenciável do Podemos. “Temos que conversar sobre alternativas à polarização e o tanto quanto for possível buscar entendimento”, disse. Abaixo, os principais trechos da entrevista: 

No dia seguinte aos problemas técnicos no aplicativo usado nas prévias o sr. disse que “do outro lado, nós vemos compra de votos e denúncias de pressões indevidas”. Tem algum indício formal dessas situações?
Disse que do outro lado víamos denúncias de compra de votos e de pressões indevidas. E isso houve. Não tenho elementos para comprovar, mas houve uma deputada falando de compra de votos. Vimos situações com vereadores do interior de São Paulo que foram suspensos na sua filiação por ter declarado apoio a mim, demissão de secretário do município de São Paulo que declarou apoio a mim pela manhã e foi demitido à tarde. E também denúncias que envolvem suposta compra de votos. Foram filiados 90 prefeitos e vice-prefeitos com data diferente daquela que se apresentou publicamente. São situações que revelam a diferença das campanhas. O partido conhece as situações e deve buscar esclarecer e tomar providências. Não necessito formalizar isso.

Durante os dias de indefinição sobre as falhas no aplicativo usado nas prévias, o governador João Doria afirmou que lhe perdoava e disse que o sr. era jovem. Afirmações como essas lhe ofenderam?
Não busco perdão do Doria porque em nenhum momento o ofendi. E nem me vejo precisando desse perdão. Ele é que precisará ser perdoado por aqueles que fez pressões, com demissões, que aconteceram na eleição. Ele tem que se preocupar mais com perdão que deve buscar.

O sr. tem encontro marcado com o Sergio Moro no próximo sábado no Rio Grande do Sul. Há alguma possibilidade de aliança?
Esse encontro já estava previsto antes das prévias do PSDB para organizar filiação de deputados ao Podemos. Temos boa relação com Podemos em nível estadual, vou receber a presidente, Renata Abreu, e o ex-juiz Sergio Moro. Temos que conversar alternativas a polarização e o tanto quanto for possível buscar entendimento. Não se deve descartar a possibilidade (de aliança). Não acho que se deva promover união em torno de algum nome e sim em torno de um projeto e uma agenda. Não está clara qual a agenda representada (pelo ex-juiz), mas, dependendo de qual for, pode até vir algum tipo de aliança. É uma candidatura, sem dúvida nenhuma, protagonista no processo e deve se ter esforço de construção. Nada acontece automaticamente ou apenas por visibilidade eleitoral. A discussão envolve projeto, programa e agenda. Até aqui essa discussão não aconteceu.

Alguns apoiadores seus o viam como um candidato à Presidência mais viável, por ter perfil mais agregador e disposto ao diálogo que o do governador João Doria. O sr. consegue enxergar Doria como próximo presidente?
Ele tem qualidades de gestor que lhe dão condição de ser presidente da República. De outro lado, precisa demonstrar viabilidade como candidato, o que envolve o desempenho nas pesquisas e principalmente uma redução da rejeição, que até agora não conseguiu. É uma tarefa urgente para o agora candidato. 

O sr. entende que tinha mais chances eleitorais que Doria?
As pesquisas demonstravam isso. Minha rejeição é menos da metade da dele. Embora tivéssemos o mesmo patamar de intenção de votos, eu tinha espaço para crescer. Mas a decisão do partido está tomada.

O sr. vem sendo procurado por outros partidos, entre eles o União Brasil. Cogita sair do PSDB?
Não me vejo deixando o PSDB, mas não quero que o PSDB deixe o PSDB. Vamos ter que acompanhar agora que tipo de condução o Doria, que é o candidato e que tem muita força pra empurrar o partido numa situação ou outra, vai dar. Pretendo ficar no PSDB, onde estou há 20 anos. Agora se o PSDB deixar de ser o PSDB, estaremos diante de outra situação. 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. São duas pessoas que estão preocupadas com o país e o povo brasileiro. Está tudo muito negativo no país em todos os sentidos. Tão ruim como a aprovação da indicação do André Mendonça agora mesmo para o STF. Que nojo.

  2. Leite competente é escárnio ou pantomima. O cara se eleje prometendo não privatizar, não aumentar impostos e reajustar salário do funcionalismo. No poder aumenta impostos e privatiza companhia de água. Em lugar algum do mundo funcionou privatizar a água. É cagada com cheiro de impostos descarga abaixo da privada...como reajusta salários em estado quebrado? O cara é mais um populista...

    1. Só que a privatizacao da Corsan está melhor elaborada e suas tarifas atuais sao caríssimas. O que deve acabar acontecendo é que as cidades pequenas vao sair no prejuízo. Este tema é bem complicado.

    2. É, privatizar companhia de água nao deu certo no mundo inteiro mesmo. Basicamente por formar um monopolio local, onde o consumidor nao tem alternativa. Por exemplo "List of Failed Privatisation Projects in Water Supply and Sanitation". Os municipios acabaram comprando de volta e receberam as companhias sucateadas. Talvez privatizar servicos de certo. Bem diferente do setor de energia e telecomunicacoes, onde privatizar funciona.

  3. Leite e Moro tem muito em comum : humildade , seriedade , Inteligência e estão na política por amor ao Brasil . Quero muito à união deles , assim como da Simone Tebet e do Senador Alexandre e outros na mesma linha ética

  4. Eu gostaria de ver Moro e Leite dois jovens competentes juntos para compor um novo Brasil.O Brasil precisa de nomes e projetos sérios para o País. #Moro22 e Leite VICE

  5. como prevejo as "zelite" do velho MDB. DEM e PSDB tentarão evitar a extinção e apoiarão Moro que começa a ter lapsos de memória . virou político.

    1. Joãozinho, meu pequeno gafanhoto, fico feliz de ver q está enriquecimento o seu vocabulário. Chiquinho, vamos aos fatos. Estamos longe do Carnaval e vc rasgou a sua fantasia de bolsonarista, porém agora se TRAVESTIU novamente. Qdo chegará a sua quarta-feira de cinzas p/ poder se purificar? É importante p/ alguns o tal ritual. Então Cariri, podemos fazer um diferente. Vc abaixa as calças, colocando à mostra a sua bunda flácida e eu vou dar algumas raquetadas de tênis nela... com topspin.

    2. Francisco,lembre que o Paulinho sabe “interpretar expressões faciais”, e pelo jeito quer mostrar que também sabe “ingrês “. Esse é o exemplo acabado de um SOFOMANÍACO………..

    3. abaixo .. sou espada visse Paulim pode tirar o rabim da fila kkkkkk.

    4. ah Paulo vá fazer um upgrade lá nas suas nêgas que sou esoafa aqui não . sem neura racismo ou insanas deduções só prá frescar num português medieval politicamente incorreto que me lixo pra essas idiotices.

    5. você PAULO não sabe interpretar um texto e vem cheio de neologismos tolos bancando o sabido . afirmo que estes bandos tentarão usar Moro para evitar a extinção . em eleição ninguém rejeita apoio algo que sua estupidez fanática não alcança . mas aí a culpa não é minha.

    6. Francisco, vc precisa de um upgrade. Mesmo sendo um hardware ultrapassado, ainda pode melhorar o seu software. O fato de termos uma política tão lastimável, não é pela idade dos partidos. PSL tem o laranjal. PP, PL, Republicanos, fizeram a farra com o Orçamento Secreto. Não venha com malandragem buscando ligar o Moro a tal elite política. Simone Tebet do MDB, Kim do DEM e Eduardo Leite do PSDB, são bons políticos. Moro 🇧🇷

  6. O leite precisa fazer parte do governo Moro, seja como vice ou como ministro, ele têm a cara da nova politica que queremos para o Brasil.

    1. pode ser mas antes para ter um governo Moro tem de "apenas" vencer a eleição que a insanidade e ladroagem nacional quer seja o ladrão mor . só isto.

Mais notícias
Assine agora
TOPO