Reprodução

Erdogan consegue o que quer da Otan

28.06.22 19:17

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg (na foto, de gravata vermelha), anunciou nesta terça, 28, um acordo com a Turquia para permitir o ingresso da Suécia e da Finlândia na Organização do Tratado do Atlântico Norte, a Otan.

Os dois países nórdicos decidiram entrar nessa aliança militar feita para se contrapor à antiga União Soviética, depois de testemunhar a invasão russa da Ucrânia. Contudo, quando os governantes desses dois países anunciaram essa intenção, o presidente da Turquia, Recep Erdogan (no centro da foto), tinha ameaçado barrar essa entrada.

Para fazer Erdogan mudar de ideia, todos os demais tiveram de se desdobrar para apetecê-lo. Segundo a agência oficial turca Anadolu, Finlândia e Suécia prometeram não apoiar as milícias curdas no Iraque e na Síria, que já tiveram importante atuação na guerra contra o Estado Islâmico.

Na lista de entidades que não receberão mais apoio, suecos e finlandeses foram obrigados a incluir o movimento Hizmet, comandado pelo clérigo Fethullah Gulen, que vive exilado nos Estados Unidos. Esse movimento social surgiu dos cursinhos pré-vestibulares e tinha milhares de membros em diversas instâncias do governo. No começo, eram aliados de Erdogan. Em 2016, contudo, o presidente acusou o Hizmet de tentar um golpe de estado contra ele. O governo passou a considerar o grupo uma organização terrorista, prendeu milhares de seus membros e pediu a extradição dos que fugiram para outros países. Como faltam evidências para acusar o Hizmet, líderes ocidentais sempre deram de ombros aos pedidos de Erdogan.

No acordo anunciado nesta terça, não há qualquer compromisso de extraditar os membros do Hizmet, apenas se declara que eles não receberão apoio. Na prática, isso não muda nada, exceto pelo fato de que Erdogan poderá mostrar isso ao público interno, como um sinal de que outros países reconheceram seus rivais políticos como sendo terroristas.

Outra concessão dada a Erdogan foi o fim do embargo da venda de armas suecas e finlandesas para os turcos. É muito provável que essa liberação seja mais ampla, porque Erdogan rotineiramente reclamava das amarras da Otan que o impediam de comprar sistemas de defesa contra mísseis, além de peças para tanques, aviões, drones e helicópteros.

Esses entraves que a Otan impunha à Turquia não eram gratuitos. O regime de Erdogan é acusado de apoiar os terroristas palestinos do Hamas e do Estado Islâmico. O país também abriga a Irmandade Muçulmana, berço de vários grupos radicais sunitas, e tem ajudado o Irã a driblar as sanções ocidentais.

Para conseguir o acordo desta terça, os países do Ocidente tiveram de fazer vista grossa ao comportamento contraditório turco, que diz ser contra o terrorismo ao mesmo tempo em que apoia vários grupos radicais. A ameaça russa contra os europeus pesou mais na mesa de negociações.

Tudo mundo conseguiu o que queria e a Otan emergiu como a vencedora. O que aconteceu foi uma mensagem muito forte para a Rússia“, diz o analista político Ali Bakeer, especializado em conflitos no Oriente Médio.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. A Rússia apavora: " As portas do hospital se abriram e ouviu-se um grito agudo vindo de lá de dentro. Um homem da NKVD apareceu arrastando pelos degraus uma mulher descalça , suja de sangue -" Meu Bebê ! Por favor não machuquem meu Bebê" . - Cinzas na Neve - Ruth Sepety - sobre a anexação da Lituânia pela Rússia. Daí a corrida para a OTAN...

  2. Uma coisa é certa, a OTAN renasceu das cinzas e se tornou mais forte de quando foi criada. Só espero que esse poderio todo traga segurança, paz e equilíbrio para região.

  3. Todos os acordos feitos ou submetidos aos dois países nórdicos com a Turquia, fica só na teoria, o importante é entrar para a OTAN, depois de admitidos, podem apagar tudo o que foi dito ou prometido para o ditador turco Recep., ... kkk!

    1. Certamente vão fazer como Bolsonaro: prometem, mas vão aparecer tantas coisas no caminho que, "infelizmente" não será possível cumprir. Tomara que façam isso! Erdogan é um grande bandido e um grande canalha odiado pela Europa Ocidental. Ele só quer as passas do bolo e continuar a ser um ditador como Putin, o povo que se dane.

    2. Bem observado. Depois que entrarem na OTAN eles podem dar o troco.

    3. Na OTAN, não é bem assim como alguns no Brasil tupiniquim imaginam.

Mais notícias
Assine agora
TOPO