Adriano Machado/Crusoé

Guedes defende que o Brasil abandone debates ideológicos na política externa

25.01.22 18:06

O ministro da Economia, Paulo Guedes (foto), defendeu nesta terça-feira, 25, que o Brasil priorize conversas sobre negócios e deixe de lado debates ideológicos na política externa. O chefe da equipe econômica fez a avaliação durante um pronunciamento em celebração ao convite feito pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, OCDE, para que o Brasil inicie a negociação para a entrada na entidade.

Guedes declarou queantigamente” o relacionamento do Brasil com outros países era “bastante politizado, sem especificar a que período se referia. Avaliou, no entanto que, durante a gestão de Carlos França, sucessor de Ernesto Araújo, o Itamaraty tem atuado mais centrado no “componente de negociações comerciais“.

As nações mais avançadas do mundo — e vejo isso por representantes que estão no Brasil, como embaixadores — estão sempre conversando de negócios conosco. Tem muito pouca conversa sobre ideologia. O Brasil, normalmente, vai lá para fora para conversar de ideologia em vez de conversar de negócios. Nós, como a grande nação que somos, temos que conversar sobre geopolítica, defesa, mas temos que conversar sobre negócios“, pontuou.

Para Guedes, o início do processo de entrada no Brasil na OCDE é o “reconhecimento” de que o Brasil é um “grande país. “Nós somos a intercessão de três grandes universos. Estamos no G-20, no Brics e, agora, convidados ao processo de ascensão à OCDE. Nós somos o único país que está nessas três dimensões institucionais da economia mundial“, disse.

O Brasil formalizou pedido de adesão à OCDE em 2017, no governo Michel Temer. A requisição foi reforçada pela equipe do presidente Jair Bolsonaro. Desde então, o Brasil aderiu a 103 dos 251 instrumentos normativos exigidos para entrar no organismo, sendo 37 deles na atual gestão.

Na última sexta-feira, Guedes informou à OCDE que os dois últimos grandes entraves para a entrada no grupo foram derrubados, graças à aprovação da nova lei cambial e da redução do IOF para operações de câmbio.

Não há um prazo pré-estabelecido para a conclusão da adesão do Brasil à OCDE. O processo de negociação deve durar de dois a cinco anos, segundo estimativas do governo federal. O resultado e o cronograma dependem da capacidade de adaptação e ajuste de cada país candidato para se alinhar aos padrões e melhores práticas da organização“, informou a entidade, em comunicado.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Esse sujeito fica fazendo jogo de cena para os analfabetos intelectuais desse país enquanto por trás engorda o patrimônio da família, inclusive mantendo dinheiro não declarado em paraísos fiscais, exatamente ali onde todo dinheiro sujo do mundo se concentra. Quanto às negociações internacionais ele se manteve um fiel aliado ao chefe que criou todas as hostilidades possíveis para fazer naufragar o acordo Brasil-UE, que pelo visto já não tem mais a menor chance. Patético, para dizer o mínimo.

    1. Verdade Mário, verdade! Muito pior do que patético! Criminoso!

  2. corretissimo há muito passou do tempo de voltarmo-nos a uma política que privilegie as interesses nacionais .. chega de "ismos" ladrões ou assassinos.

    1. Kkkkkkkk. A chiquitita está em êxtase hoje. Deve ser o efeito do supositório de cloroquina no esfincter. Zurra chiquita babona. Todos nós sabemos aqui que você é um ser anormal, com base capacidade cognitiva que leva uma vida miserável e se alimenta de restos jogados pelos bozistas. Zurra Chiquitita!

    2. Kkkkkkk. Depois de três anos de destruição da imagem internacional do país? Bozistas são risíveis!

  3. O submisso e desmoralizado Posto Ypiranga resolveu discursar contra o que foi o governo do qual ele fez parte e apoiou caladinho os 3 últimos anos. Está jogando saliva fora, pois este governo não cumprirá nem mesmo as metas de preservação ambiental exigidas para compor a OCDE. Patético.

    1. Verdade Max. O Chicago boy está totalmente perdido e desmoralizado.

  4. O mini ministro da Economia Guedes, está externando hombridade nesta altura do campeonato? Passados 3/4 de governo, agora o Guedes acordou. O Brasil tem ativos q nenhum país do mundo tem. Mas em compensação, temos políticos q nenhum país do mundo civilizado aceitaria. Isso é sintetizado na figura patética do negacionista Bolsonaro. Quem vai negociar com um país presidido por alguém ALOPRADO, q consulta guru ALOPRADO, p/ tomar decisões? Só quem quer levar vantagem de curto prazo. MORO 🇧🇷

  5. Infelizmente P Guedes perdeu essa guerra ha tempos ! Os políticos jantaram o Ministro e nada foi aprovado a nao ser benesses p a classe usurpadora com 5 bi só p começar a farra ! PG foi traído e mastigado pelo seu “ Eleito “! O Pres 171

    1. Verdade Roberto, verdade. Enquanto isso os Nycos Penycos da vida passam o dia todo zurrando de dor.

  6. Kkkkkkkkkk. Discurso para suiço ver. O que o Guedes não explicou foi porque o Brasil perdeu três anos com uma política bozista externa equivocada que afuguentou investimentos, nos isolou diplomaticamente e nos transformou em um pária global. Bozistas são cínicos e pervertidos!

    1. Nyco Penyco, o mais fétido entre os muares bozistas, zurrou mais uma vez. A verdade dói no couro velho e curtido deste ser delinquente, decrépito e anormal.

    2. Cala-te, vira-lata sarnento. Vá arranjar um emprego seu vagabundo.

Mais notícias
Assine agora
TOPO