Adriano Machado/Crusoé

Mal chegou e já vai sair: ex-PM, assessor de Bolsonaro punido por desvio de conduta será demitido

31.01.19 15:46

Na última sexta-feira, 25 de janeiro, o Palácio do Planalto nomeou o ex-policial militar e bacharel em direito Hernando Barbosa da Silva como “assessor especial” do Gabinete Pessoal da Presidência da República no Rio de Janeiro, onde o presidente Jair Bolsonaro (foto) tem residência. O novo emprego de Hernando, porém, não durou muito. Nesta quinta, depois de ser indagado por Crusoé sobre o passado recente de Hernando, o Planalto respondeu que a exoneração do ex-militar será publicada na próxima edição do Diário Oficial.

Em 2005, quando ainda era sargento da PM, Hernando foi punido pela corporação com 30 dias de suspensão, acusado de comandar uma empresa que fez a segurança particular de um casal de estelionatários presos por aplicarem golpes no Rio, São Paulo e Minas e no Distrito Federal. Após a investigação da 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar, doze policiais militares acabaram presos. Hernando, dono da empresa de segurança contratada pelo casal de estelionatários, foi suspenso da corporação.

Antes de entrar para a Polícia Militar, Hernando havia passado pelo Exército. Chegou a servir na Brigada Paraquedista, por onde Jair Bolsonaro também passou. Ele também já havia trabalhado na segurança presidencial durante os anos de governo do PT.

ReproduçãoReproduçãoHernando, que foi do Bope e do Exército: demissão relâmpago
Agora, no escritório da Presidência no Rio, Hernando não seria um funcionário qualquer. Ele prestaria serviços diretamente a Jair Bolsonaro. O cargo de “assessor especial do gabinete regional do Rio de Janeiro do Gabinete Pessoal do Presidente da República” renderia a ele um salário de 13 mil reais.

Nesta quarta, Crusoé perguntou se o Planalto tinha conhecimento da ocorrência em que o ex-militar se envolvera, qual seria exatamente a função dele no gabinete presidencial e se havia sido uma escolha pessoal de Bolsonaro. Esta foi a resposta da Secretaria de Comunicação: “A exoneração do servidor citado será publicada amanhã (sexta-feira) no Diário Oficial”.

Antes de sair a nomeação, Hernando chegou a conseguir espaço na agenda oficial de Bolsonaro. Na programação de 17 de janeiro, consta uma reunião de 30 minutos do presidente da República com o ex-militar, apresentado na agenda como “Subtenente da Reserva do BOPE/RJ”.

Crusoé tentou, mas não conseguiu falar com Hernando Barbosa antes da publicação deste texto. Depois, ele entrou em contato com a redação e enviou uma nota em que diz ter sido acusado injustamente no episódio da prisão dos estelionatários (leia aqui).

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Parabéns. ainda que tardia. Será que é tão difícil levantar a capivara do candango, antes de por o cara no governo. Lembra do SNI ? funcionava bem... que tal traze-lo de volta?

  2. Quando começaram a seguir a linha editorial da Folha inclusive copiando matérias inteiras mal intencionadas como de costume cancelei minha renovação que seria automática.

  3. "Comunicação e Política", do Fernando Melo no Youtube é recomendável, também... Jornalismo sério, comprometido com a exatidão dos fatos e informação, vale muito a pena conferir!!

  4. Ótimo trabalho! Espero que façam esse trabalho também nos Estados, já que nos municípios seria impossível. Tem muito secretário com a capivara maior que a de Marcola e Beira Mar, especialmente aqui, nos estados no nordeste.

  5. Podiam fazer a checagem antes e evitar esse tipo de episódio que é sem importância em um contexto geral se torne mais um desgaste de imagem do governo que mal começou e já é conhecido pelas suas trapalhadas quase diárias, principalmente em relação a nomeações.

  6. O que tiver que ser feito, que seja feito, pode até ser parente do Papa, do Edir Macedo, Joáo de Deus, Jean Willys. corta geral.

  7. Felizmente hoje é feito a checagem, possivelmente pelos militares, imprensa e redes sociais. Quantos ratos ainda vão tentar uma carona? E quantos - quem são? - já estão embarcados? Ratoeira e "chumbinho" neles. 🤣🤣🤣

    1. Materiazinha Safada... Preocupada, somente, em fazer "ligações" ao Jair Bolsonaro!! NA ÚLTIMA LINHA dessa fofoca, quase despercebido, diz que o Hernando SERVIU NOS GOVERNOS PTralhas!! No tempo do PT o Hernando era LIMPINHO???

    2. Os "ratos" nem sempre são detectados de imediato, cabe apuração, conforme tem sido feita. A medida em que forem encontrados, "já embarcados" ou récem chegados, ratoeira e chumbinho neles SIM!!

Mais notícias
Assine agora
TOPO