Mandetta: ‘União Brasil tem que se decidir e comunicar com clareza qual seu rumo’

19.01.22 07:32

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta defende que o União Brasil debata e decida, em fevereiro, quais as pretensões do partido para a eleição deste ano.

Mandetta afirmou a Crusoé que a indefinição é prejudicial para a sigla, tendo em vista que várias legendas já se manifestaram sobre o pleito de outubro. O ex-ministro sustenta que, tão logo seja homologado o União Brasil — que resultará da fusão do DEM com o PSL —, o partido se reúna para bater o martelo.

“É necessária uma reunião para saber quem sai e quem fica no partido. E para nos organizarmos sobre o pleito presidencial. Temos que dar um rumo. As pessoas têm que saber qual a diretriz do União Brasil. Isso tem que ser feito pelo partido de forma ampla e democrática”, defende Mandetta.

Hoje, além da candidatura própria, o União Brasil avalia outras possibilidades, como a de ser vice na chapa de Sergio Moro — neste caso, o nome aventado é o do deputado federal Luciano Bivar, presidente do PSL e futuro comandante da nova legenda.

Também há dirigentes do DEM e do PSL que não escondem o desejo de caminhar com Bolsonaro, mas a opção é considerada remota, pois tanto Bivar quando ACM Neto, atual presidente do DEM, não enxergam esse cenário como o mais vantajoso eleitoralmente para o partido.

Caso não seja lançado à Presidência, hipótese ainda discutida pelo partido, Mandetta diz não ter um plano B:

“Já me botaram como candidato ao governo do Mato Grosso do Sul, ao Senado, a deputado federal por Goiás. Mas ainda não tenho uma alternativa traçada para 2022. No momento, estou apenas aguardando as definições do União Brasil”. 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O União Brasil, que nasce da fusão do DEM com o PSL, só tem uma certeza, ñ vai apoiar o ex-presidiário Lula. Fica cada dia mais evidente, q o Bolsonaro ñ é um candidato competitivo. Nenhum quadro do partido é competitivo. Podem apoiar o Doria, mas até o momento, o governador de SP tbém ñ é competitivo. Moro tem uma forte MAANA (Melhor alternativa à Negociação de um Acordo) em relação ao União Brasil. Por isso tem q ser pragmático e perspicaz, ñ aceitando qualquer acordo. Moro 🇧🇷

  2. Por mais que se torne um partido gigante, não acho que colocar Luciano Bivar como vice vai ajudar na campanha do Moro, ao contrário, lembra mais Temer como vice da Dilma do que Mourão como vice de Bolsonaro... E ACM Neto ... às vezes parece a versão baiana do Kassab...Acho essa fusão perigosa...

    1. . você tem muita razão JULIANA e Moro que inicia com muitas contradições exploradas a fundo pela quadrilha sua algoz tem de ter melhor estratégia e foco .. o PSL sem a escada só tem verba no mais oportunistas e traidores da pior espécie .. é aguardar que males menores virão .. e está claro que o mal menor ainda pode e deve vencer a eleição e Ciro concorrente diretíssimo entendeu e já muda a prosa .. quem pensa governar com a "força do povo" se ferra é só ver Bolsonaro.

    1. Concordo com você Mara, embora Álvaro Dias como vice, para mim, fosse realmente o ideal. Mas sim, a chapa Moro/Mandetta, no atual contexto, seria ideal mesmo.👍🏻 Sérgio Moro para Presidente.🇧🇷🇧🇷🇧🇷

Mais notícias
Assine agora
TOPO