Foto Nelson Jr SCO/STF

Moraes inclui entrevista de Bolsonaro em inquérito sobre interferência na PF

27.01.22 18:22

Uma entrevista em que Jair Bolsonaro (foto) admite ter praticado ingerência política em órgãos de controle poderá ser usada por investigadores no inquérito que apura suposta interferência do presidente da República na Polícia Federal. A decisão é do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Na entrevista, Bolsonaro demonstrou irritação pelo fato de Sergio Moro não avançado sobre a Receita Federal e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, Coaf, à época em que chefiava o Ministério da Justiça e Segurança Pública, para frear investigações sobre Flávio Bolsonaro e Michelle Bolsonaro.

A jornalistas do jornal Gazeta do Povo, o presidente disse que Moro não tem “coração” ou “gratidão“. “Certas pessoas pegaram seu ministério, depois saíram obviamente para se preparar politicamente para o futuro”, comentouEsse cara não fez absolutamente nada para que Coaf, a Receita, não bisbilhotasse não só a minha vida como de milhares de brasileiros. Isso nos atrapalha. Você pode investigar o filho do presidente? Pode. Você pode investigar a mulher do presidente? Pode. Mas investiga legalmente, com uma alegação formal. Eu posso ser investigado, mas não dessa forma como eles fazem”, prosseguiu.

O pedido para que o material fosse incluído ao inquérito que mira Bolsonaro partiu do ex-juiz. Ele argumentou que as declarações revelaram pontos de relevância” para a apuração. O inquérito tramita no STF desde abril de 2020, quando Moro deixou o governo acusando o Planalto de tentar mudar o comando da PF para obter informações sigilosas e proteger familiares e aliados.

A Procuradoria-Geral da República concordou com o pedido sob a avaliação de a inclusão da entrevista ao acervo do inquérito é “conveniente” para a investigação. “Tendo em vista que o objeto da presente investigação é justamente a suposta busca de favorecimento pessoal pelo Presidente da República a partir da indicação de cargos de direção na Polícia Federal dirigida ao noticiante Sérgio Fernando Moro, essa entrevista demonstra-se conveniente para concretização da opinio delicti do Parquet, devendo ser analisada, em momento oportuno, conjuntamente com os demais elementos colhidos no curso da investigação”, afirmou Humberto Jacques Medeiros, número dois do órgão.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Fez bem, mas esse inquérito já vem se arrastando por tempo demais. Para um Corte que adora usar a defesa da Democracia como pretexto pra tudo, ESPANTOSO que não se preocupem com APARELHAMENTO feito por um governante.

    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk TRANSPARENTE ? Por que decretou sigilos de 100 anos?

  2. Deixei de acreditar em Papai Noel já faz muitos anos. Logo, diante de tantas decisões e posturas de Ministros do STF, teria que voltar a acreditar em Papai Noel. Quem sabe,saia algo positivo da cartola!

  3. Todos devem ser responsáveis pelos seus atos, inclusive o Presidente da República e os seus familiares. O crime de favorecimento pessoal, praticado pelo Presidente Bolsonaro, apenas será punido se o Moro ganhar as próximas eleições presidenciais. Moro, Presidente do Brasil de 2022!!!…

  4. Que houve interferencia do PR tanto no Coaf quanto em outros orgaos visando minar apuracoes pra mim houve, vez que o proprio PR se pronunciou de publico e esta gravado de que nao ia deixar MORO f. a familia dele toda. Me parece uma confissao.

    1. Concordo 100% com você! É UMA CONFISSÃO!! Mais clara IMPOSSÍVEL! O todo poderoso achava que ia escapar dessa!!!! Louca pra ver! #Moro2022! #CHEGA!! MUDA BRASIL!!

Mais notícias
Assine agora
TOPO