Reprodução/redes sociais

Os árabes, entre os maiores perdedores em Israel

10.04.19 16:26

A população árabe de Israel e os palestinos que vivem sob o jugo da Autoridade Palestina estão entre os maiores perdedores das eleições que aconteceram em Israel na terça-feira, 9.

“Como a vitória de Benjamin Netanyahu foi muito estreita, seu partido, o Likud, terá de fazer alianças com partidos ortodoxos menores, que certamente irão cobrar mais verbas e uma postura mais firme nos territórios palestinos”, diz o advogado Dorival Guimarães Pereira Júnior, professor de relações internacionais do Ibmec, em Belo Horizonte. “Essa dinâmica poderá levar a mais conflitos com a Autoridade Palestina.”

Além disso, somente metade dos árabes que vivem em Israel foram votar. Com isso, esse grupo, que representa 20% da população do país, continuará sub-representado. Eles terão 10 das 120 cadeiras do Parlamento – cerca de 8%.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. 8% é uma ótima participação para uma população de 20% do Pais. Agora veja o caso do Acre que tem uma representação ínfima populacional e tem 3 senadores, que quando comparado os votos desses senadores na cidade de São Paulo não passariam na nota corte.

    1. completando... esses senadores do Acre não teriam voto o suficiente nem para ser vereador na cidade de São Paulo.

    1. E u acho exagero dizer que ele estava apostando na derrota do Ben. O que ouvi foi ele dizendo que a vitoria não estava garantida, havia uma possibilidade de derrota, e havia mesmo, o panorama estava incerto.Agora se ele torcia, é outra conversa, se você descende de judeus, acharia que é natural i torcer por eles, como ele descende de árabes, me parece natural também que ele torça contra.

    2. É a Cantanhede disse que o presidente JB ficou tão próximo do candidato sugeribdo que a derrota seria também uma derrota dele.

  2. A Autoridade Palestina Proibe que Judeus adquiram cidadania Palestina muito memos votar!!! Se Árabes que tem o previlégio de votar em Israel nāo votam o problema é deles Mas mesmo assim continuam tendo o mesmos Direitos dos Judeus

  3. Drusius; há engano em seu texto ou eu entendi errado... O Partido Trabalhista fez 6 cadeiras, O Azul e Branco de Gantz fez 35 individualmente, não sei ainda o total de sua coalizão, que deverá ficar em torno de 45. Os árabe-israelenses fizeram 10. A coalizão de Netanyahu deverá somar 65. Total 120. Essa reportagem poderia ser mais clara e completa e não apenas mencionar os árabes. E os maiores perdedores foram os Trabalhistas, apenas 6 cadeiras.

    1. Drusius; números parciais que eu tenho: Likud 35, coalizão Likud 65. Azul e Branco 35 (o mesmo do Likud), Árabes 10, Trabalhistas 6, Outros 4. Se o Azul e Branco viesse a compor com Trabalhistas e Outros ele faria 45. De qualquer forma Netanyahu fez 65 ou 54,17% do parlamento. A política será a continuidade, com um pouco mais de força, embora, se Gantz tivesse vencido, não iria ocorrer uma guinada à esquerda, seria uma direita um pouco à esquerda do Likud. A segurança de Israel é prioridade.

    2. JOSHUA: agora fiquei confuso. Um site de Portugal diz que o Likud obteve só ele, 65 cadeiras. Com a coalizão ficaria com 80% do parlamento. E as porcarias da mídiatrush brazucas são incompletas. Parecem que beberam da mesma garrafa. O ponto comum é que a direita aprovará qualquer coisa que o premier queira.Assim entendi.

  4. A "vitória foi muito estreita"? Esse advogado mineiro é do PT ou algo assim? Como no Brasil, perdem feio e continuam com as mentiras de campanha e falseando com a verdade? O partido de Benny Gantz obteve SEIS cadeiras no parlamento, de um total de 120! O resto é tudo direita e o premier continuará sendo Netanyahu. Só o Likud é ortodoxia prá ninguém botar defeito. Qui prodest?

    1. E incrível como sempre querem diminuir a vitória . Bibi ganhou pronto . O resto perdeu .

Mais notícias
Assine agora
TOPO