Isac Nóbrega/Presidência da República

PF encerra caso de disparo de arma de Ribeiro

27.05.22 18:34

A Polícia Federal encerrou nesta sexta (27) o caso em que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro (foto) disparou uma arma de fogo no aeroporto de Brasília, no dia 25 de abril. Após a oitiva de testemunhas, a PF concluiu que o disparo havia sido acidental e não viu elementos para abertura de inquérito.

Na ocasião, Ribeiro dirigiu-se ao balcão da Latam no Aeroporto Juscelino Kubitschek antes de embarcar num voo com destino a São Paulo. Segundo o ex-ministro, quando ele pegou a arma dentro de sua pasta de documentos para retirar a munição, a pistola acabou disparando. Uma funcionária terceirizada da Gol no aeroporto chegou a ser atingida por estilhaços, mas sem gravidade.

“O ex-ministro descumpriu regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Polícia Federal no procedimento, porque tentou descarregar a arma no momento do check-in. Os dois órgãos determinam que a arma deve estar ‘descarregada’ durante o trânsito em áreas de aeroporto”, escreve O Globo.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Tão despreparado quanto bolsonaro que foi assaltado e perdeu a arma. Pobre Brasil, país tá “maus” de tão amaldiçoado

  2. Não é melhor que ninguém. Disparou, não é melhor que ninguém. Tem que cumprir pena. Acabou mesmo. A nossa justiça ou percebi só agora que ela nunca existiu, pois até LADRÃO é candidato a presidente e pode ganhar.

Mais notícias
Assine agora
TOPO