Jefferson Rudy/Agência Senado

Queiroga evita falar de Coronavac para crianças e delega anúncios ao número dois da pasta

21.01.22 19:01

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, delegou ao número dois da pasta, o secretário-executivo Rodrigo Cruz, todos os anúncios relativos à aplicação da Coronavac em crianças. Queiroga tem atuado cada vez mais em sintonia com o presidente Jair Bolsonaro, que é contra a imunização de crianças e sempre foi crítico da vacina fabricada pelo Instituto Butantan.

Questionado sobre a compra de novas doses da Coronavac para atender a pacientes pediátricos, Marcelo Queiroga delegou a responsabilidade sobre o tema. “Rodrigo vai explicar os detalhes”, disse o ministro, diante da insistência de jornalistas na tarde desta sexta-feira, 21.

Segundo Queiroga, a prioridade do ministério agora é ampliar a cobertura da segunda dose e aplicar as doses de reforço. “É na região Norte e em alguns estados do Nordeste que verificamos maior deficiência na cobertura vacinal. E onde o sistema de saúde tem menor capacidade de resposta”, disse o ministro.
Mais cedo, o Instituto Butantan anunciou que o Ministério da Saúde manifestou na manhã desta sexta interesse na compra de 7 milhões de doses da Coronavac.

Os imunizantes serão distribuídos aos estados para a vacinação da população pediátrica. O ministério, entretanto, ainda não deu detalhes sobre a negociação.

O documento foi entregue ao Butantan um dia após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária autorizar o uso da vacina para a imunização de crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. O instituto não informou o valor do contrato, que deve ser finalizado ainda hoje.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. ESSE BOÇALNARO É TÃO BURRO QUE NÃO ENXERGOU A CAPILARIDADE DO SUS PARA VACINAR. SE COMPRADA AS VACINAS NÃO TÍNHAMOS QUE FECHAR NADA É HOJE NOSSA ECONOMIA ESTARIA BOMBANDO EM RELAÇÃO AO RESTO DO MUNDO. O BURRO PERDEU O BONDE DA HISTÓRIA VAI PRA VALA PODRE COMUM.

  2. Tem questões que é difícil de equacionar mentalmente. O governo Bolsonaro gastou bilhões do nosso dinheiro na compra de vacinas, e ADVOGA contra as vacinas até hoje. ENTÃO POR QUE COMPROU? Pela nossa expertise em vacinação, poderíamos estar hoje na posição de benchmarking para o mundo. Tem atitudes que só loucos e CAPACHOS IMPRESTÁVEIS como o Queiroga, conseguem engolir. MORO PRESIDENTE 🇧🇷

  3. Nada como ser um capacho irretocável e cegamente obediente ao dono. ""AS CRIANÇAS BRASILEIRAS que se danem"", ora, crianças!!!!.....

  4. Entrou em crise existencial. Não sabe se bozeia ou segue o juramento de médico. Melhor mesmo transferir a responsabilidade para outro.

    1. Zezinho e Velhinha,uma dupla de orelhudos petebas que não tem coragem de assumir que são pagos pelo “nove dedos”……

    2. Jose: essa crise existencial tem causa clara: falta de vergonha na cara.

Mais notícias
Assine agora
TOPO