Foto Vinícius de Melo / Agência Brasília

STF derruba lei que acabou com prisão disciplinar de PMs e bombeiros

20.05.22 17:40

O STF formou nesta sexta-feira (20) maioria para derrubar a lei que acabou com a pena de prisão disciplinar para PMs (foto) e bombeiros.

Os ministros analisam a constitucionalidade do texto, no âmbito de uma ação movida pelo governo do Rio de Janeiro, e o julgamento no plenário virtual do Supremo deve ser concluído até as 23h59 de hoje, informa o Estadão.

A lei em questão foi aprovada pelo Congresso no final de 2019 e sancionada por Jair Bolsonaro. A maioria dos ministros do STF concluiu que a competência para fazer proposições sobre o tema é dos governadores, e não da União, já que PM e Corpo de Bombeiros compõem as forças de segurança pública dos estados.

 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Pois é, mais uma patacoada do Bolsonaro. Quer agrada uma corporação (PM) com o chapéu alheio e sai perdendo de novo. Bom, uma coisa é certa, Bolsonaro não tem capacidade intelectual para redigir estas Leis, isto é coisa de seu staff. E ai que é o pior, os asseclas não tem coragem de dizer um não, fazem esta patacoada sem nexo.

Mais notícias
Assine agora
TOPO