Prioridade no TSE, pero no mucho

17.08.18

O discurso do Tribunal Superior Eleitoral é um só: decidir com agilidade sobre os pedidos para tirar sites do ar durante as eleições, evitar baixarias na campanha e fake news. Mas a campanha nem começou oficialmente e já há ordens do tribunal sendo ignoradas. Um caso é exemplar: a corte pediu ao Google e ao GoDaddy, um dos maiores serviços de hospedagem no exterior, informações sobre sites de possível propaganda irregular, mas fracassou. O TSE não conseguiu intimar o Google no endereço certo. Já o GoDaddy até recebeu a ordem, enviada pelo tribunal em junho. Primeiro, era para tirar páginas do ar em 48 horas. Depois, o TSE insistiu com o pedido, dessa vez com prazo de 24 horas. A empresa não cumpriu nenhuma.

Fabio Pozzebom/Agência BrasilFabio Pozzebom/Agência BrasilA ministra Rosa Weber toma posse como presidente do TSE: tribunal espera uma avalanche de reclamações de fake news

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. E o PT inventou a FAKE NEWS sobre a ONU e ainda utilizou o Registro da candidatura do condenado para realizar Campanha Antecipada - na véspera do prazo. E o TSE continua sem punir o Partido.

  2. Sério que o TSE tem de analisar dezenas de milhares de pedidos de candidaturas em algumas semanas e separar quem tem ficha suja?

Mais notícias
Assine agora
TOPO