MarioSabino

De Hermes Bolsonaro
a Getúlio Lula

31.08.18

Imagine você se, em 1964, os brasileiros estivessem debatendo na imprensa o que ocorreu em 1910 e adjacências, como se episódios datados de mais de meio século fossem determinantes para definir os rumos do país a partir dali. A hipotética discussão seria, provavelmente, sobre se a eleição do Marechal Hermes da Fonseca foi fraudada ou não (todas as eleições na República Velha foram fraudadas) e se ele não abusou nas sucessivas decretações de estado de sítio. Não faria o menor sentido.

Esse tipo de debate extemporâneo está acontecendo em 2018, quando insistem em voltar ao tema do regime militar instaurado em 1964. Foi ditadura ou “ditabranda”? Roberto Marinho estava certo ao apoiar o que chamava de “revolução” ou a razão está com os herdeiros que fizeram um mea-culpa, em 2013, do que chamam de “golpe”? Não faz o menor sentido para quem precisa desesperadamente de emprego, renda, transporte, escolas e hospitais.

Alguém poderia rebater dizendo que faz sentido, sim, porque há um candidato, Jair Bolsonaro, que defende os generais de 1964 e, com a perda da confiança na democracia, por causa dos escândalos de corrupção, há um monte de gente pregando a volta dos militares ao poder. A minha resposta é simples: os militares sempre foram protagonistas da história política, a confiança na democracia nunca foi muito arraigada entre os brasileiros, mas eles parecem bem conformados com o sistema representativo — e, não menos importante, o fato de um político admirar déspotas mais ou menos esclarecidos não significa necessariamente que, uma vez eleito presidente, vá dar um golpe na democracia. Pode ser preocupante num determinado caso, como se verá.

Comecemos pelos militares. Não é exatamente um segredo que a República foi proclamada no Brasil pela caserna, em conluio com uma nascente classe média urbana e cafeicultores insatisfeitos com a abolição da escravatura. Tanto que os dois primeiros presidentes foram generais (Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto). Depois houve o já citado Hermes da Fonseca, o movimento tenentista (do qual brotaram comunistas como o então capitão Luís Carlos Prestes), a junta governativa provisória que precedeu Getúlio Vargas em 1930, o oficialato que deu suporte à instauração do Estado Novo em 1937 (e seria responsável pelo fim da ditadura getulista), a eleição de Eurico Gaspar Dutra em 1945, os generais do regime instaurado em 1964 e, agora, um capitão da reserva como candidato ao Planalto. O retrospecto do pessoal da farda mostra que o seu comportamento é pendular, mas, desde a redemocratização de 1985, ele está menos suscetível às vivandeiras que vão bulir com os granadeiros nos bivaques. Prefere mandar recados – em especial, a tribunais superiores que insistem em tentar contornar a Constituição. O que não vem sendo ruim, diga-se.

Em relação à confiança na democracia, se ela nunca se apresentou forte por aqui, é verdade também que aos poucos os brasileiros estão se convencendo de que se trata do pior dos sistemas, excetuados todos os outros já tentados na história da humanidade. Pelo menos metade dos nossos concidadãos sabe que a maior ameaça à democracia não está nos quartéis, e sim numa sala da Superintendência da Polícia Federal no Paraná.

Por fim, a admiração por déspotas. O que Jair Bolsonaro pensa sobre os generais de 1964 não é lá tão diferente do que Fernando Henrique Cardoso pensa sobre o ditador Getúlio Vargas. Na contracapa do segundo volume da biografia escrita por Lira Neto, está estampada a seguinte frase de FHC: “Li quase de um fôlego só o primeiro volume do livro de Lira Neto sobre Getúlio. É admirável seu rigor na busca dos fatos, na abstenção de julgamentos morais e o desenrolar de um enredo que mostra o itinerário humano, intelectual e político de um homem que, a despeito do que se pense sobre suas ações e posições, teve a grandeza que só os estadistas possuem”.

O trabalho de Lira Neto é excelente, mas o que importa neste artigo é FHC julgar o ditador Getúlio Vargas um “grande estadista”, a despeito de ter mandado prender, torturar e matar opositores, fechado o Parlamento, promulgado uma Constituição de inspiração fascista, mantido a imprensa sob censura férrea, empastelado redações de jornais críticos ao regime, instituído o mais desavergonhado culto à personalidade e criminalizado a política, ao considerá-la um impedimento ao progresso da nação. Antes disso, como advogado, ajudou a proteger o seu irmão pedófilo. Prezar o seu bom legado e desprezar o seu mau legado é, no mínimo, aceitar que o fins justificam os meios. Aqueles que temem o revisionismo de Bolsonaro sobre os horrores de 1964 deveriam considerar o que eles próprios fizeram em relação aos horrores de Getúlio. Na Itália, seria inconcebível a existência de uma “Fundação Benito Mussolini”, enquanto no Brasil ninguém acha espantoso uma instituição respeitável chamar-se “Fundação Getúlio Vargas”. Não é de hoje que não temos limites na “abstenção de julgamentos morais”. No entanto, FHC é uma ameaça à democracia, por achar o ditador um “grande estadista”?

Logo abaixo do elogio de FHC, lê-se a seguinte frase de Lula: “Poucas vezes vi alguém descrever tão bem a história de Getúlio Vargas e do povo gaúcho como o Lira Neto na primeira parte da sua trilogia. Foi tão impactante para mim que me vi andando com Getúlio, fumando um charuto, pela Rua da Praia, em Porto Alegre”. Pode-se duvidar de que o petista tenha realmente atravessado o livro, mas fica evidente o bovarismo de Lula, decalcado da mentira martelada pela esquerda de que houve “dois Getúlios”: o ditador e o presidente convertido à democracia, ao ser eleito em 1950.

Lula, que se viu “andando com Getúlio”, quer fazer-se passar por democrata quando na verdade não é. As tentativas do petista de solapar a democracia por dentro, a fim de perpetuar-se no poder, foram elencadas por mim neste espaço e são do conhecimento de qualquer pessoa informada sobre os últimos dezesseis anos da interminável tragicomédia brasileira. Solapar a democracia por dentro foi exatamente o que Getúlio fez até conseguir instaurar o Estado Novo – e que teria repetido, se pudesse, depois de suceder Dutra por meio do voto. Mas ele já não contava com os militares e os adversários aprenderam o seu jogo. Saiu da vida para entrar na história, com um gesto que revela o seu narcisismo de déspota: o suicídio acompanhado de “carta-testamento”. Gesto que propiciaria hagiologias oportunistas e resultariam, em 2010, na iniciativa de Lula de inscrever Getúlio Vargas no Livro dos Heróis da Pátria (uma autoinscrição bovarista). Desde então, os petistas sentiram-se legitimados a comparar livremente as alegadas virtudes de ambos – o que se acirrou, é claro, após a prisão do chefão condenado. Os dois “pais dos pobres” seriam vítimas das “elites”, dos “reacionários”, mentira que embasa a farsa da condenação sem provas do petista.

Se é para discutir acontecimentos de décadas atrás, eu recuaria até os anos 1930. E ficaria mais preocupado com o bovarismo de Lula em relação a Getúlio Vargas do que com os encômios de Jair Bolsonaro aos Hermes da Fonseca de 1964.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Antes de Getulio o Pais era explorado pelos Ingleses e os capitalistas cafè com leite. Depois de Getùlio o pais passou a ser explorado pelos Americanos e os mesmos ª cafès com leite. O espaco e curto para mostrar fatos elucidativos.

  2. Excelente! Na recente fúria revisionista do atual candidato Haddad ao trocar nomes de generais em espaços públicos de São Paulo, sugeri que se trocasse o nome da Fundação Benito Mussollini, digo, Getúlio Vargas, por Fundação Olga Benário. Não me levaram a sério.

  3. Excelente! Na fúria revisionista recente, onde nome de generais, heróis de guerra diga-se de passagem, foram retirados de placas de rua em São Paulo pelo atual candidato Haddad, sugeri que se tentasse trocar o nome da Fundação "Benito Mussollini", digo, Getúlio Vargas por Fundação Olga Benário.

  4. Tenho vontade de transcrever seu artigo, claro dando-lhe o crédito, nas páginas de alguns esquerdistas do facebook que publicam textos de "pseudo-intelectuais " da Piauí ! Abcs ! Muito bom seu texto Mario ! Além de informativo, ua aula de história política do Brasil !

  5. FHC não é um risco a democracia por apreciar aspectos de Vargas e sua era de poder, más sim por contemplar inegável capacidade intelectual e articulada dialética de viés Socialista Fabiano, icone da escola de Frankfurt e precursor e líder da era pós Regime Revolucionário de 1964 que levou-o ao poder após a tragédia Collor e o discreto governo Itamar. Não nos esqueçamos que este FHC sim foi o grande articulador da estratégia das tesouras,que como gangorra manteve o poder no Brasil nos últimos 30a

  6. Sem dúvida, fantástico!!!!! Mario Sabino é um dos jornalistas que ainda pode ser chamado de "Jornalista" com J maiúsculo. Como sempre uma ótima leitura e reflexão.

  7. Muito bom mesmo o texto Vou ler mais você. São hilárias as imagens Lula leitor e Fhc pensador. Agora, acho que poderia ser fácil resolver o problema que nos aflige quanto a ter ou não democracia. porque não mais democracia: tornar o voto totalmente facultativo apenas para quem tem o ensino básico

    1. Resumidamente, tendo conhecimento do que foi escrito sobre o acontecido em1964, o que não atesta fielmente o ocorrido, pois, cada historiador difere em alguns fatos, pois, estava lá, observando e interagindo socialmente dentre dos limites da lei, portanto estas questões voltaram a discussão por culpa exclusiva da mídia, e do segmento esquerdistas, com o objetivo de propagar que o candidato Bolsonaro representa a volta do regime militar. Parabéns pelo conteúdo da matéria produzida pelo Sabino.

  8. Os democratas não devem xingar ou ofender Bolsonaro. Devem apenas mostrar ele próprio fazendo discursos intolerantes e violentos. As pessoas normais (que não são militantes) não gostam desses discursos.

    1. Não custa nada usar o seu nome de verdade, não é, Micuim? Ou será que custa?

  9. Sinceramente. Assinei Crusoé para ter comentários imparciais de seus colunistas, conforme anunciado aos candidatos a assinantes. Infelizmente esse senhor Sabino não está em sintonia com o que li até agora.

    1. E de português também, que o mesmo preza e pratica com maestria. --- Em outro texto "A fake News do PT e o dia em que fui indiciado" o mesmo narra que mandou corrigir o português antes de assinar uma ... porcaria.

  10. Excelente , MÁRIO. E é uma tragédia cultural brasileira a enorme ignorância sobre a HISTÓRIA. E se você colocar também a MATEMÁTICA, a lógica do conhecimento indispensável das CAUSAS , levará sempre a nação ao risco das CONSEQUÊNCIA trágicas . Saber avaliar o passado para melhor programar o futuro ,ajuda também a cuidar com responsabilidade do DINHEIRO do ESTADO que no fim é do POVO , e a seu honesto uso .CARLOS

    1. Acrescento : Olhem a tragédia do incêndio de ontem do MUSEU NACIONAL . O DESCASO OFICIAL e o desprezo criminoso com nossa HISTÓRIA , mas a Lei RUANY foi foco de bate-boca sobre a verba para fazer filmecos nacionalistas vagabundos e de musicais medíocres . Onde essas atividades de risco artísticos são financiados por verba do ESTADO ? Resultado , o abandono de verbas para o MUSEU ou seu desvio para cultura inútil, e sua TRÁGICA consequência.CARLOS

  11. Adorei o texto. Esta organização criminosa, chamada PT, que ameaça a democracia. Porque além de apoiar ditadores desafiam a justiça o tempo todo.

  12. Em meio a tal contexto, declaro que vou votar na MARINA 18. Não sou nenhum dos maiores entusiastas de sua candidatura, mas, para mim, é o que há para o momento. Inflexões de todos os lados devem ocorrer e, para que o país não acabe perdendo mais nessa luta fratricida, acho que é a única saída republicana e democrática para a reunificação da sociedade.

  13. Sugiro que esse texto do Sabino seja liberado para acesso a patir dO Antagonista. Precisa atingir a massa, pois faz um lógico e cristalino resumo do que realmente importa.

  14. Sugiro vocês aí da Revista, que leiam dois livros opostos: A VERDADE SUFOCADA, do Brilhante Ustra e a Ditadura Envergonhada do Elio Gaspari, notório esquerdista. Francamente ninguém das "massas" conhece G.V. Creio sim que muitos de vocês foram doutrinados mesmo sem saber. Votar em AMOEDO será um erro histórico BRUTAL. Desdenhar Bolsonaro é fazer pouco da única chance de bater de frente com essa corja esquerdista que aí está. FHC é um deles.

  15. Creio que muita gente que se diz "pensante" foi devidamente doutrinada mesmo durante o Governo Militar, pois este obcecado pela guerrilha, esqueceu da doutrinação GRAMSCIANA infiltrada nas Escolas através da Educação Moral e Cívica. "O entorpecente gramsciano penetrou no cérebro nacional a partir da publicação das obras do ideólogo italiano pelo editor comunista Ênio Silveira logo depois do golpe de 1964". Olavo de Carvalho. Creio que FHC é SIM uma ameaça, assim como vosso brutal preconceito.

  16. Getúlio solapou o que restou da capenga democracia criada pós proclamação da republica. O PT sob o comando de Dirceu e o Teatro de Lula, tentou fazê-lo mas se deu mal. Em comum com Getúlio Lula tem o bovarismo, termo bem apllicado neste artigo. FHC também cultiva o mesmo em menor escala. Precisa--se romper com a velha republica que se diz nova mas continua velha com suas mazelas clientelistas e só uma nova mentalidade poderá fazer e virá agora com tons Mitológicos.

  17. Seria ótimo para o país que o protagonista da história atual, seguisse os mesmos passos do "companheiro nas baforadas" do seu sonho, também entrando para a história.

  18. Em termos psicológicos, o bovarismo consiste em uma alteração do sentido da realidade, na qual uma pessoa possui uma deturpada autoimagem, na qual se considera outra (de características grandiosas e admiráveis), que não é.

    1. Mauro, obrigada por explicar o termo bovarismo . Pensei que tivesse outro significado !

  19. GRANADEIRO era, inicialmente, um soldado especializado no lançamento de granadas. BIVAQUE - Bivouac em francês - designa um acampamento rudimentar para passar a noite na natureza. Gosto dos textos do Mario Sabino porque me fazem tirar o "pai dos burros" da estante.

  20. Parabéns pela preciosa matéria. Bom saber que ainda existem bons e verdadeiros jornalistas nesse país. Essa reflexão deve ser compartilhada nas redes sociais. Chega dessa cegueira superficial que arrola o pensamento dos inúteis.

  21. Tenho lido é muito escutado que a ditadura no Brasil não pode voltar.Há 40 anos aqui vividos e vendo o Brasil atual minha sugestão seria intervenção militar por um bom tempo e assim começar do zero. Um "triunvirato" um membro de cada poder um representante do exército, um interventor em cada estado o resto é trabalhar e acabar com a atual farsa. NÃO falei em ditadura, falei em intervenção. Excelente matéria.

  22. "Não faria o menor sentido" (Mario maravilhoso se esta reportagem não estivesse assinada saberiamos que era sua por esta expressão) não falar que este texto é de fato a realidade dos acontecimentos.

  23. Neste mundo deve existir todo tipo de maluco. Basta olhar para a tagarelice de Nicolás Maduro, lembra alguém com um sério caso de esquizofrenia, pois parece conversar com suas vozes na cabeça

  24. Excelente texto, Mário! Sensato, equilibrado, isento. Li, reli, e li outra vez. Uma verdadeira aula de História da nossa pobre República. Não tinha visto adjetivação mais precisa do que a sua, para a personalidade neurótica e paranoica do ocupante da SPF/PR: bovarista. Brilhante!

  25. Excelente como sempre.Como Diogo,Caio,Felipe e Eduardo.Comentarios limpos,eticos,lucidos e honestos.Sempre cultos.Como assinante desde o lancamento,toda semana dou minha contribuicao a boa imprensa enviando a capa da revista a meu grupo de WZappspara que assinem.Abracos.

  26. As pessoas em geral, sobretudo políticos, só lembram do Getúlio de 1950 - é o que lhes interessa -, esquecem o ditador frio e sanguinário de 1930/45. Alguém acredita que o Lula tenha lido alguma coisa? O imagine lendo aquele tijolaço, cheio de centenas de dados, do Lira Neto, mas quando. Ah, a nota no livro escreveram para ele.

  27. Poderia especificar melhor os horrores de 1964. Será que Bolsonaro quer falar de horrores ou enaltecer os muitos acertos do período dos presidentes militares?

  28. Você sintetizou muito bem o que nós brasileiros queremos:segurança,educação, saúde,emprego, Não estamos nem aí para as brigas políticas, desde que não chegassem ao extremo que Lula quer, comunismo.A maioria(95%) é simples, por isto Bolsonaro nos representa.Nossa liberdade e o pão de cada dia. Texto passado e de agora excelentes. Parabéns.Foi uma aula.

  29. Peço desculpas pela minha falta de entendimento, mas poderia me explicar melhor: a ameaça à democracia está numa sala da Superintendência da Polícia Federal no Paraná?

  30. Espetacular. O melhor artigo de sua autoria que já li. Forma e conteúdo impecáveis. Além de um distanciamento invejável das paixões que o imediatismo eleitoral impõe.

  31. Em tempos de CENSURA às mídias digitais e dominação GLOBALISTA-PROGRESSISTA da mídia convencional, ter acesso a um texto de tão alto nível é um brinde à liberdade. Ainda bem que assinei. ;)

  32. Todo político que traz a luz “ícones “ do passado o fazem se comparando com um exemplo de bem e quando criticam um oponente comparam com uma qualidade ruim, sabem que a população em geral é massa de manobra, falaram tão bem de Getúlio que esqueceram das maldades e falaram tão mal da ditadura recente que esqueceram das virtudes

  33. Nossa eu falo a mesma coisa o tempo todo. As entrevistas com os candidatos são e foram horríveis! Ninguém pergunta qual a proposta para melhorar nossa economia e diminuir o desemprego? E o principal: Como? Agora vai começar novamente os milhões de promessas no programa político, que infelizmente as pessoas acreditam. Vou fazer isso, vou fazer aquilo...blá, blá, blá! A pergunta: Como?????

    1. Setenta por cento da economia brasileira eh composta por pequenas empresas. Voce nao acha que desburocratizando e diminuindo a carga tributaria nao vai gerar mais empregos? Com mais empresas e empregos a economia cresce porque se arrecada mais. Voce entende mesmo so um pouquinho de economia para so reclamar e nao apresentar as SUAS SOLUCOES? Eh facil ser engenheiro de obra pronta nao?

  34. Belo texto. Mas sempre bom citar Primo Levi: “It happened, therefore it can happen again: This is the core of what we have to say”

  35. Mas que insistência em dizer que Bolsonaro não é um risco à democracia. Vocês estão tão desesperados com candidatura do Bolsonaro que não estão vendo a situação com clareza. Eu não conheço bem a história como você, mas não voto nele por suas atitudes recentes. Ele não se mostra competente, capaz, eu quero sentir segurança no candidato que vou votar. Não precisaria nem ter muito conhecimento em economia, mas que demonstrasse vontade, jogo de cintura, inteligência e não grosseria e cinismo.

    1. Político sincero (desses nunca vi, deve ser o primeiro da espécie), viril, puro sangue. "ceis" tão quase me convencendo.

    2. Data venia,acompanho o voto de Claudia.Voto Bolsonaro tambem.

    3. Mulherada deixem de mimimi. Bolsonaro é autentico,viril,puro sangue, enfrentando tudo e todos sozinho, só isto mostra sua capacidade. Os outros têm competência? Quem? Já sei ,é o Amoedo, um novo Dória.

    4. Vocês leram bem o texto. Viram o que Sabino falou de FHC, Getúlio,os fundadores da república? Todos educadíssimos, e daí, o que fizeram . Vão jogar na minha cara CLT, plano Real. Por fora bela viola, por dentro pão bolorento. Bolsonaro é autentico.

    5. Concordo plenamente, Cláudia. Não é meu sonho ser presidido pelo Bolsonaro, mas não vejo melhor hipótese para se ter uma chance de disrupção com o "status quo" que tem, literalmente, corrompido todas as nossas estruturas. Voto Bolsonaro consciente de que é nossa única chance neste momento.

    6. Roberta, quando eu vejo um STF corrompido de cabo a rabo, os autores da corrupcao sendo afrouxados pelos togados que la estao, paro e penso. Qual candidato vai moralizar esta nacao? Use os adjetivos que quiser mas Bolsonaro tem coragem, fala o que pensa e nenhuma das duas falas tem sido cinicas. Ontem a nacao inteira submetida ao extremo pavor de ver Lula de volta. Qual candidato Roberta trara o Brasil que queremos de volta? Chega de joguinho de cintura. Voto Bolsonaro sim.

    7. Só acrescentando, quem tem esse medo do Bolsonaro ser um risco a democracia é a esquerda, que já não iria votar nele mesmo. Mas, eu particularmente, dei uma chance a ele, hä alguns meses, acompanhei, li a respeito, mas seu comportamento não me agrada, não tem jeito. Agrada a muitos. Talvez esse jeito broncão o eleja, talvez não. O futuro dirá.

  36. brilhante texto! estou aqui em 2018, querendo saber mais sobre 2023... porém todos só querem saber de 1964... vem você e me leva para 1910... aprendo que todos nós brasileiros somos bovaristas ao invés de bovinos... sensacional essa cronologia com pitadas de psicopatia ! obrigado !

  37. A pergunta é: Quem acredita nisto? Aqui no Sul tem uma meia dúzia de gatos pingados aplaudem esta baboseira, muito mais pela lavagem cerebral do que por ideologia, para o restante da população não passa de um blá blá blá proselitista, mas todos sabemos que em certas regiões o molusco é um "perseguido" das elites e a Dilma foi vítima de "golpe".

  38. Brilhante o artigo do Mário Sabino. Além de não ter sentido a discussão neste momento pré-eleição do movimento de 1964, a coerência não faz mal a ninguém. Até hoje não entendi por que Fidel Castro foi herói e Pinochet um bandido. A coerência não é o forte da esquerda.

  39. Sabino, leia "ódio à democracia", do francês Rancièri. Existe esse movimento contra a democracia no mundo. O fato: prometeu muito, especialmente os direitos em grande escala, mas os recursos não deram. Nunca darão. As necessidades sempre serão maiores e as soluções devem ser aproximadas. Esse "eterno fazer da democracia" (Pontes de Miranda) convive com esse problema do culto ao "Pai" no caso brasileiro, que sabe o que é "melhor" para seus filhos. Matem o pai e o Brasil cresce.

  40. Gostei muito deste escrito, Mário. Muita clareza nessa hora! É o que precisamos, porém está muito difícil engolir tudo o que acontece neste nosso País.

  41. Muito bom! A mim que vivi o regime militar do começo ao fim e tive conhecidos torturados não preocupa a presença de militares no poder e nunca achei que mesmo que eles em ultimo caso interviessem haveria uma reedição de 64. A minha relutância em votar em Bolsonaro não advém disso, mas por que acho que existem outros mais preparados e mais adequados que ele para assumir esse posto, com ideias menos radicais e menos comprometidos com vieses religiosos( não confundir com religiosidade!)

    1. Cecilia acho que você deveria se informar melhor. Há candidatos sim que apresentaram muito mais projetos relevantes que Bolsonaro. Colocar todos no mesmo balaio é uma decisão muito simplista.

    2. Não se preocupe uma vez que todos os outros candidatos são iguais. Também não registram nada da história e muito menos têm críticas da atualidade....Parabéns Sabino!!!!.

    3. Tb não gosto de mitos, bravateiros e populistas. O medo que tenho do Bolsonaro é da sua falta de capacidade para administrar um país tão complexo. Seus 30 anos de vida pública foi medíocre. Olhe para o Rio, o que ele fez pelo seu estado? Se perdermos essa oportunidade de acertamos minimamente o que será desse país continental. Bolsonaro é oco, seu partido é de aluguel, Paulo Guedes na GloboNews só enrolou e não esclareceu, não há nada na candidatura dele que nos de segurança em crescer.

    4. Como faz bem aos olhos , à alma e aos neurônios ler um texto tão bem escrito! Mas se não forem tomadas providências urgentes no que tange à Educação, a tendência é que textos assim virem relíquias históricas.

  42. Caro Mario Sabino, meus parabéns pelo artigo, sensacional!! E responda-me por favor: até quando ficaremos entre as espadas dos girondinos e as guilhotinas dos jacobinos? Só queremos democracia!! Forte abraço!

  43. Excelente. Faltou mencionar que GV deportou a judia comunista Olga, para morrer em mãos nazistas e mesmo assim os autointitulados progressistas veneram o ditador fascista. Quanto à fundação, parece-me que ela raramente escreve seu nome por extenso. Criaram a grife"GV", GVLaw etc, como se a sigla fosse uma mera abstração.

  44. Perfeito o discurso de Mario sabino! Noto porem uma grande diferença entre a situação à época de Getulio e a nossa atual era: Na época getuliana o Brasil ainda tinha uma chance grande de cura. Agora nossas chances são de desastres irremediáveis para o Brasil, começando que o pais não tem mais políticos de boa estirpe como na época de Getúlio. Hoje só temos praticamente escória politica. Os bons brasileiros estão fora do jogo politico nos dias de hoje !

  45. Bovarismo, Mario? Estava esquecido dessa palavra. Talvez por idade ou negligência ou simples desleixo com algo tão precioso. E o bovarismo define espetacularmente esse momento da política e do político que associaste a ela. E a marca, em gênero, número e grau foi indelevelmente riscada na testa do “chefão condenado”. Que texto. Que marca. Prazer indescritível de ler pela lucidez, inteligência e coragem. Parabéns

  46. Boa crítica. É bom discutirmos o passado em contextos menos emotivos. É bom que sejamos críticos do nosso passado. É sinal de que nos tornamos pessoas/sociedades melhores. No específico, é a mídia assustada que tem focado no assunto. E o Bolsonaro faz muito bem em defendê-la. Apesar de reconhecer os erros, sabe, como nós também sabemos, que a alternativa seria muito pior.

  47. Excelente texto, iluminando o obscurantismo e mediocridade do debate político atual. Suas crônicas tem sido uma das alegrias semanais dos leitores de Crusoe, Mario Sabino.

  48. Muito legal Sabino. A violência arbitrária policial e de esquadrões da Morte, depois incorporada pelos militares na caça aos malucos esquerdistas, foi plantada pela polícia De filinto Müller para proteção do Getúlio. Agora com apoio do Brizola, q admirava o “segundo governo Getúlio “colhemos frutos modernos da associação de milícias traficantes e policiais

  49. Parabéns, Mario Sabino. Como disse, e pagou por isso, Rubens Ricupero : " O que é bom a gente publica..." Desse modo todos agem. Cada um conta a história como se fosse um apreciador ou crítico de "obras de arte", compram ou vendem seu peixe não porque gostam, mas porque precisam "ter" de gostar. Apenas maquiagens de caráter, afinal são políticos e, política não é para amadores ou querubins. Não há inocentes.

    1. Lireuda, eu ja sou apaixonada pelo trabalho do Claudio Dantas.

  50. (CONTINUAÇÃO) E, como exemplo de roubalheira e incompetência simultaneamente, posso citar a Transamazônica, a estrada conhecida como aquela que liga nada a coisa nenhuma. São só alguns poucos exemplos, que lembrei de cabeça e sem esforço, mas existem muitos outros, incontáveis, foram 21 anos de assalto ao erário e de uma política econômica desenvolvimentista muito semelhante à que Dilma tentou. E deu mais ou menos no mesmo desastre. Pesquisem, estudem.. E bom voto a todos.

  51. Excelente artigo, Sabino. E sobre aqueles que têm saudades da ditadura que não conheceram, é exatamente por isto, porque não a conheceram. Os governos militares não foram íntegros e competentes, como supõem. A roubalheira corria solta, era até pior que a de hoje, mas não havia imprensa livre para denunciar. Para exemplificar a incompetência posso citar o estado lastimável em que entregaram a economia, em 1985. (CONTINUA)

  52. A questão do Bolsonaro é que ele é certamente menos autoritário do que boa parte de seus seguidores gostaria. Ele não vai dar golpe nem eliminar adversários, tampouco criar uma polícia justiceira livre pra executar. Porém, o desejo de boa parte de seus seguidores deseja que ele fizesse isso. Assim como boa parte dos petistas queria que Lula desse um golpe a la Chavez e não se limitasse a esquema de corrupção pra comprar apoio de empresários e enriquecimento pessoal.

  53. Pois é jornalista, se você não percebeu o Brasil ainda não saiu do Estado Dominante da era Vargas e se não percebeu o regime militar de 1964 fortaleceu ainda mais este cancro. Enquanto que isto não for visto e revisto não sairemos deste looping. Atenham-se aos fatos e deixem de retardados. E o único candidato que tem um economista e a equipe que poderá a vir nos tirar deste estado é o Jair Bolsonaro. Certo jornalista?

    1. Fernando, Bolsonaro não é populista, é popular. Suas propostas são saudáveis e de acordo com o que quer a população (pelo menos a maioria).

    2. Seu comentário é a realidade da nossa educação de alienados, Vá ler um livro rapaz.

    3. Representa bem a mentalidade que o Mario quis denunciar uma pessoa que acha que a salvação é um populista com viés autoritario que personifica seus próprios devaneios autoritários como solução ao problema do populista de viés autoritario com o qual você não concorda.

Mais notícias
Assine agora
TOPO