Marcos Nagelstein/Folhapress"Bolsonaro é um homem que não passaria num psicotécnico para carteira de motorista"

‘A corrupção está voltando pior do que era’

Decano da política nacional, o ex-senador gaúcho Pedro Simon se mostra horrorizado com o atual momento do país. Para ele, Bolsonaro não passaria em um exame psicotécnico
17.12.21

Na velha guarda da política nacional, Pedro Simon é um dos poucos que podem se orgulhar de nunca terem se envolvido em escândalos. Sem mandato depois de mais de seis décadas de vida pública, ele viu boa parte da história política do último século passar diante de si e, com autoridade, assegura que nenhum outro momento se compara ao atual, marcado pelo extremismo e pela falta de convergência. Nem nos complicados anos da ditadura militar, diz, era assim. “Sabíamos o que queríamos. Agora, ninguém sabe o que quer.” Aos 91 anos, Simon foi vereador, deputado estadual, governador do Rio Grande do Sul, ministro e senador – só no Senado, passou 32 anos. Não significa, porém, que tenha se afastado do jogo. A partir de seu apartamento em Porto Alegre, o gaúcho respira política em tempo integral. Na semana passada, ele participou por vídeo da cerimônia de lançamento da pré-candidatura ao Planalto da senadora Simone Tebet, sua colega de partido. Dias antes, se reuniu com outro pré-candidato, o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro.

Nesta entrevista a Crusoé, o emedebista traça um panorama do quadro político brasileiro. Diz que o governo de Jair Bolsonaro é “um pavor” (“Bolsonaro é um homem que não passaria num psicotécnico para carteira de motorista”), lamenta o esvaziamento da Lava Jato, critica as decisões do Supremo Tribunal Federal em favor de réus e investigados e constata: “A corrupção está voltando pior do que era”. O ex-senador é um entusiasta declarado da candidatura de Tebet. Tanto que ataca sem meias palavras os “diabólicos” integrantes da cúpula emedebista que estariam insuflando o nome da senadora só para aumentar o cacife do partido. Simon se empolga ao sugerir uma dobradinha entre Tebet e Moro, a despeito das resistências ao nome do ex-juiz dentro do MDB. A combinação, para ele, seria imbatível, com qualquer um dos dois como cabeça de chapa. “Num quadro real, se vamos para valer, vai ela e o Moro e não tem quem pare”, defende. Eis a entrevista.

Como o sr. avalia o atual momento da política brasileira?
Tenho 91 anos, 60 anos de mandato e 32 anos de Senado. Participei praticamente de tudo. Já vivi de tudo em termos de ditadura, violência, radicalização, expectativa de governo que não se cumpriu, mas nunca vivi uma época como esta que estamos vivendo agora. Nos anos de ditadura, não tínhamos problema de decidir para onde íamos. Queríamos estabelecer democracia. Sabíamos o que queríamos. Agora, ninguém sabe o que quer. Aplaudi o governo Lula, teve um momento positivo, mas no segundo governo os escândalos de corrupção tomaram conta. Ele foi condenado, cumpriu a pena e de repente volta tudo atrás. Uma hora está na cadeia como ladrão e na outra é uma vítima, um coitado que virou candidato a presidente. Do outro lado, tem um presidente da República que faz uma administração que é um pavor. Bolsonaro é um homem que não passaria num psicotécnico para carteira de motorista. E esse homem é o presidente da República.

Dida Sampaio/Estadão ConteúdoDida Sampaio/Estadão Conteúdo“Aplaudi o governo Lula, teve um momento positivo, mas no segundo governo os escândalos tomaram conta”
O sr. vê saída para o clima de ódio que tomou conta do debate político nacional ou estamos fadados a conviver com isso por muito tempo ainda?
É uma radicalização total. Ou o fulano é o diabo ou o fulano é Deus. A grande prova será o ano que vem, com a eleição. Vamos superar esse clima, esse ambiente e fazer uma eleição em que haja entendimento e respeito? Esse é o desafio que estamos vivendo. Tenho usado o meu celular para falar com jovens, estudantes, dizendo para eles falarem com seus seguidores e fazerem um debate do bem. A modernidade dos meios de comunicação é altamente positiva, mas também pode ser muito negativa para alimentar a rede de ódio.

Depois do enfraquecimento da Lava Jato, os velhos hábitos parecem estar de volta a Brasília. Era previsível?
O que eu vi e senti nos anos que passei no Senado era algo que estava chegando a limites insuportáveis. Era algo instalado e oficializado. Nunca víamos um político ir para a cadeia por ser ladrão. Eram manchetes de roubo e escândalo sem que nada acontecesse. Aí veio o estouro da Lava Jato, todas as denúncias que tinham que ser feitas aconteceram, uma série de pessoas começou a ser presa. E de repente, não mais que de repente, tudo mudou. O Supremo mudou, voltou atrás e decidiu que só vai para cadeia condenado em última instância. É bom lembrar: Lula não foi absolvido, a condenação foi anulada. Zerou tudo. E a corrupção está voltando pior do que era.

A corrupção voltou com mais força que antes?
Sim, voltou com muita força, mas não com força invencível, até porque todo mundo está aterrorizado, e alguma coisa tem que ser feita.

Qual é o papel do Judiciário nesse processo de restabelecimento do velho establishment político?
Muito triste. Infelizmente um ministro do Supremo (refere-se a Gilmar Mendes) diz que está implantado o semiparlamentarismo. E que o poder moderador já está com o Supremo. O mesmo ministro que votou pela condenação em segunda instância, para que um condenado fosse para a cadeia, agora voltou atrás sem ter nenhum fato diferente. Não precisam decidir em plenário ou em turma, um ministro toma uma decisão e para tudo. E o Senado não tem coragem de mexer no Supremo, porque tem vários parlamentares com processo em andamento lá. É um ambiente que não poderia ser pior, um exagero de interferência. É uma ciranda que leva a isso, com um presidente da República tremendamente esvaziado.

Gustavo Roth / Fundação Piratini - TVE e FM CulturaGustavo Roth / Fundação Piratini - TVE e FM Cultura“É bom lembrar: Lula não foi absolvido, a condenação foi anulada”
As mudanças de posicionamento do STF sobre condenados por corrupção geram insegurança jurídica? O Supremo virou um tribunal político?
Não tenho nenhuma dúvida de que o Supremo, quando tomou a decisão de mandar prender condenado em segunda instância, fez realmente o gesto mais significativo dos últimos 40 anos da vida política e institucional brasileira. E, quando voltou atrás, foi uma humilhação, um ato que não consigo explicar. Depois disso, o Supremo não merece mais o respeito da nação.

Após o discurso da “nova política” ganhar força na eleição de 2018, observamos Bolsonaro se aliar ao Centrão e fazer acordos para se manter no cargo, uma prática antiga. Eleitores do presidente parecem não se importar com o fato de ele ter deixado pautas de campanha para trás. Parte do eleitorado está mais condescendente?
Tenho pena do nosso eleitorado, com essas redes sociais radicais e esse debate pesado. Lula fala bem, mas diz horrores dos outros, reduz o (Sergio) Moro a zero. Por que ele foi parcial? Ele foi juiz e julgou. E essa campanha a favor do Bolsonaro, o pessoal dele lembra a propaganda do Hitler, chamando-o de mito, aprovando tudo o que ele fala. Bolsonaro tem um esquema muito bem feito de comunicação, são milhões de brasileiros conectados a ele.

Como o sr. avalia o perfil do Congresso atual, com a institucionalização do orçamento secreto e a distribuição de emendas sem transparência, agradando a aliados políticos?
O Congresso sempre teve muitos problemas, mas nunca foi igual ao que é agora. Bolsonaro se agarrou no Centrão, que sempre foram os que ganharam vantagem. Agora, tem essa emenda do relator. Nem na ditadura existia isso. É a fase mais triste do Congresso Nacional.

Acredita que, com o Auxílio Brasil, o governo vai recuperar o apoio entre os mais pobres?
É triste porque é a realidade dos milhões que estão passando fome e precisamos ajudá-los. E não se pode criticar o auxílio, tem gente morrendo de fome. Agora, pode-se criticar, sim, a iniciativa de fazer política em torno disso.

O que esperar do último ano do mandato de Bolsonaro?
É uma interrogação. Queira Deus que haja controle da inflação. Mas não sabemos o que o governo vai fazer ou não. Quando a campanha estiver na rua, será muito diferente do que foi há três anos. Havia uma expectativa em torno de Bolsonaro, mas nunca se imaginou isso que está acontecendo. E o oposto dele é Lula, que virá como mártir e herói.

Lia de Paula/Agência SenadoLia de Paula/Agência Senado“Tenho pena do nosso eleitorado, com essas redes sociais radicais e esse debate pesado”
O que vai definir a eleição do ano que vem? Economia será o tema principal ou a corrupção ainda estará em debate?
Não digo que corrupção não será um grande tema, mas a economia será muito importante. O Brasil tem coisas positivas, o mapa agrícola é fantástico. É o maior exportador de grãos do mundo. Agora, do outro lado, há uma série de equívocos. Essa crise dos três poderes, por exemplo: vamos ver como vai se comportar o Supremo no meio dessa confusão.

O sr. defendia uma candidatura própria do MDB. Como outras candidaturas que têm se colocado agora, fala-se que a de Simone Tebet pode ser usada para negociar o posto de vice no futuro. Afinal, é uma candidatura para valer?
Acho que sim. O MDB tem uma triste tradição. Nunca se deu bem em campanha para presidente, desde as Diretas Já. Mas agora estamos em outra realidade. A Simone é um grande nome e tem tudo para avançar. Nesse momento, temos que colocar em debate a união de Simone e Moro numa chapa, que tem tudo para vencer. O problema não é quem será o cabeça de chapa. Precisamos percorrer o Brasil com os dois e, às vésperas da eleição, em julho do ano que vem, fazer pesquisa para ver qual dos dois vai para presidente. São duas bandeiras espetaculares. Se unirmos as duas, temos tudo para fazer uma grande campanha. Não concordo em esvaziar a candidatura dela.

O MDB não tem resistência a uma aliança com Moro?
Prefiro não responder. Quem está sendo condenado deve ter resistência (ao nome de Moro). Quem tem denúncia não pode definir o caminho do MDB.

Há pouco mais de um mês, Moro se reuniu com o sr. em Porto Alegre. Como tem observado a movimentação dele como pré-candidato?
Ele veio me procurar, dei um abraço e torci para as coisas darem certo. Temos que ver qual será o MDB que vai sair para campanha. Se for o dessa turma que esteve no poder esse tempo todo, não dá para entender. Vamos dar um vice de mentirinha para um presidente que vai fazer o que não tem nada a ver com a história do MDB? Seria uma piada.

A direção do MDB colocou como data-limite abril de 2022 para a pré-candidatura de Simone Tebet emplacar e alcançar pelo menos 10% das intenções de voto. Nas pesquisas feitas até agora, ela aparece com 2%. O sr. aposta em uma virada nesses números?
Não tenho nenhuma dúvida, principalmente se fizer a chapa Simone e Moro. Essa chapa é perfeita. É Simone e Moro ou Moro e Simone. A chapa é essa. O povo vai aceitar com muita alegria. E esses caras que, diabolicamente, querem usar a Simone para fazer onda até junho vão ficar falando sozinhos.

Gustavo Roth / Fundação Piratini - TVE e FM CulturaGustavo Roth / Fundação Piratini - TVE e FM Cultura“Temos que colocar em debate a união de Simone e Moro numa chapa, que tem tudo para vencer”
Durante o lançamento da pré-candidatura da senadora foi notada a ausência de nomes representativos do partido, como Renan Calheiros, Eduardo Gomes e Fernando Bezerra. O MDB está dividido?
Não diria dividido. Diria que uma grande maioria do MDB deseja a candidatura de Tebet, e aceitará a dupla dela com Moro. Porque isso representa o que é o MDB e o futuro do Brasil. Os outros não têm coragem de vir à frente. Uns querem apoiar Lula, outros querem pegar uma vice. Realmente gostaram muito de ser vice. Pegamos a vice da presidente do PT (Dilma Rousseff) e, depois, com o impeachment, ocupamos o lugar dela. Até abril não dá para dizer quem vai ganhar a Presidência, pode ser que o presidente esteja em quarto ou quinto lugar.

O MDB é um partido que tem grande capilaridade no país. Em um cenário de polarização que se desenha, o sr. consegue enxergar emedebistas fazendo campanha para Simone Tebet em suas bases?
É uma pergunta interessante. Você vê que, até meses atrás, não se pensaria em Lula candidato. O cara foi condenado por corrupção, com sentença em segundo grau. O Judiciário voltou atrás e agora ele é candidato. No quadro que está aí, lançaram a candidatura da Simone de mentirinha para ganhar tempo. Agora num quadro real, se formos para valer, vai ela e o Moro e não tem quem pare.

O sr. disse em entrevista recente que via como improvável uma unidade na terceira via. Falta disposição dos pré-candidatos em ceder a cabeça de chapa em nome da união do centro?
Pode ser que isso tenha peso. Por enquanto, Lula está eleito no segundo turno, Bolsonaro em segundo e Moro em terceiro. Mas não tem nada definido. O Ciro Gomes é uma pessoa respeitável, mas tenho certeza absoluta de que ele não vai para o segundo turno. Quanto ao PSDB, nem eles sabem. Doria em quatro anos e meio saiu do nada, foi a prefeito, governador e agora quer tentar ser presidente. São Paulo é uma máquina de dinheiro que faz obra e realiza. O governo dele é sério, e durante a pandemia sustentou briga com Bolsonaro. No entanto, ele não levanta do chão nas pesquisas. O PSDB não sabe onde vai parar.

O ex-presidente Lula tem feito movimentos para se aproximar de líderes do MDB, em especial no Nordeste. Há chance do MDB fechar com Lula já no primeiro turno?
Eu não acredito.

Em 2019, o sr. afirmou que se o MDB não fizesse uma profunda reflexão corria o risco de desaparecer. Essa reflexão foi feita?
Não. A reflexão profunda sobre o contexto não foi feita. As pessoas que estão do lado errado são grandes e têm peso no partido. Os equívocos não foram revistos e nem foi traçada uma nova meta. Não foi feito. Mas posso dizer que a escolha da Simone foi um movimento de grandeza do partido. Não sei quantas pessoas aderiram, mas não nasceu de conchavo e sim de pessoas que veem nela uma grande candidata.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Todo o meu respeito e admiração pelo Sr. Pedro Simon, um exemplo de que podem existir políticos íntegros e representante do povo Brasileiros. Infelizmente são uma agulha no palheiro.

  2. PEDRO SIMON efetivamente MOSTRA-SE como uma reserva moral dentre os políticos brasileiros! Desde os tempos da ditadura tem se mostrado um dos protagonistas da distensão política e um dos principais interlocutores com os cassados importantes que estavam azulados! É muito lúcido quando fala da absurda polarização do país que só prejudica as futuras eleições do próximo! Sem sombra de dúvida é o nosso grande ORÁCULO. José Roberto.

    1. Por favor no meu comentário sobre a entrevista do SENADOR PEDRO SIMON, leia-se EXILADOS, e não, azulados. José Roberto.

  3. Com a palavra os líderes do MDB: senadores, deputados federais, estaduais, governadores, prefeitos e vereadores. A direção nacional do Partido, assim como os diretórios estaduais e municipais, não podem se omitir diante dessa entrevista do Senador Pedro Simon.

  4. Eu aposto nessa chapa também. Não gosto mais do MDB, embora ele ainda tenha figuras notáveis como Pedro Simon. Me lembro de quando lá no interior fui a um comício do Itamar Franco, do quanto chorei na morte do Tancredo... Não, eu não quero acreditar que não tem jeito, Goiaba, mas que “tá osso”, tá!

  5. SEMPRE COM A MINHA ADMIRAÇÃO, CONSIDERO A ENTREVISTA DO SENADOR PEDRO SIMON, MUITO RELEVANTE. E CONCORDO: SIMONE TEBET É UM NOME COM DIGNIDADE PARA CONCORRER À PRESIDENCIA. FICARIA FELIZ VOTANDO NELA.

  6. Ótima entrevista de um dos grandes senadores que vi atuar no Senado: Simon e Jefferson Perez (falecido) fazem falta naqueles senado de Alcolumbres, Heinzes e Jorginhos. Só que Simon na entrevista caiu em contradição, em uma hora diz que a candidatura de Tebet e levada a sério pelo partido, mas quase no final diz que o MDB colocou a candidatura de mentirinha. Ela vai ser rifada como foi na eleição da presidência do senado. Moro e Tebet realmente seria uma chapa e tanto.

  7. Interessante a visão de um político de muita experiência e que demonstra muito equilíbrio na avaliação da conjuntura atual.

  8. Sr Simon apenas confirmando o que 95% da população ja sabia… Nosso tal “ Supremo é o tribunal que está ali para livrar bandidos ; nada mais ! Como ter esperança ? Só com uma Guerra Civil mesmo..

  9. Pedro Simon continua sendo o grande líder, aos 91 anos, com total lucidez, nos dá uma aula magistral de ciência política. Ele tem absoluta razão, a chapa ideal para 2022 será Sérgio Moro-Simone Tebet, ou Simone Tebet-Sérgio Moro. Parabens à Revista Crusoé pela excelente entrevista com esse admirável político que tão bem serve ao nosso País.

  10. Tenho sobre esse senhor a mesma dúvida que tenho sobre a Simone Tebet: o que faz pessoas como essas ficarem num partido como o MDB? Não consigo entender... PS: Parabéns pela entrevista! Ficou muito legal!

  11. Escândalo na CEEE DE 65 MILHÕES, quem era o governador? Correndo na justiça a 22 anos. FOLHETIM MORO ATACANDO. Acabou a mamata. Hipócritas.

  12. Sentimos muito a falta de políticos como Pedro Simon. Gostaria muito que a dupla Tebet / Moro ou vice versa desse certo e não ficarmos com a decisão de o RUIM ou o PIOR

    1. Escândalo CEEE, 65 milhões, quem era o governador do RGS. Correndo na justiça a 22 anos. FOLHETIM MORO ATACANDO.

  13. Ótima entrevista. O Senador é brilhante em suas análises, lúcido e direto. Todo nosso respeito por seu passado limpo na complicada política brasileira.

  14. Sempre achei que a corrupção é o cerne do problema no Brasil e o STF, que teria a missão fundamental de eliminá-la, tem uma banda podre que atua politicamente para soltar os larápios poderosos de colarinho branco.

  15. SENADOR PEDRO SIMON, SÉRIO, INCORRUPTÍVEL, LÚCIDO. UMA DAS MAIORES RESERVAS MORAIS DESTE PAIS E DO MUNDO. BRASILEIROS DE BOA VONTADE E QUE AINDA TEM VERGONHA NA CARA DEVEM SEGUIR OS ENSINAMENTOS DESTE GRANDE HOMEM. CHAPA "SÉRGIO MORO/SIMONE TEBET" OU "SIMONE TEBET/SÉRGIO MORO" É IMBATÍVEL. DÓRIA, CIRO, ALESSANDRO, EDUARDO LEITE, LUIZ FELIPE, AMOEDO, VAMOS NOS UNIR EM TORNO DESTA BRILHANTE IDÉIA DO DECANO DA POLITICA NACIONAL. ÚNICA FORMA DE NOS LIVRARMOS DESSES DOIS DEMÔNIOS: LULA E BOLSONARO!!

    1. Concordo plenamente com a ideia!!!

  16. Falou Pedro Simon que tem autoridade, moral e conhecimento de causa suficientes pra afirmar o que afirmou. É MORO\TEBET ou TEBET\MORO. A ordem dos fatores não altera o resultado. Vitoria em 2022 contra essa caterva que aí está e a outra que quer chegar.

    1. Muita coerência , lucidez e objetividade nas respostas relatadas . Quantas verdades ditas que tem sido ignoradas por aqueles que gritam que o Lula foi injustiçado.E a imprensa omissa nesse quesito. Fico impressionada como essas narrativas são jogadas com a maior cara de pau: " Lula, inocente" , " juiz traidor e parcial"etc. É de assustar

  17. PERFEITO👋👋👋 MORO E TEBET FARIAM UMA GRANDE CAMPANHA PRESIDENCIAL E GANHAM DO MOLUSCO LADRÃO NO SEGUNDO TURNO. O CONGRESSO TERÁ A SUA NECESSÁRIA MUDANÇA PARA QUE O BRASIL VOLTE A CRESCER, SUPERAR A INFLAÇÃO E O DESEMPREGO BEM COMO AS CICATRIZES DA COVID-19. PORTANTO TEMOS QUE TORCER PARA QUE O GRANDE SIMON ESTEJA PREVENDO ESTA UNIÃO DE MORO E SIMONE TEBET PARA A PRESIDÊNCIA MAS TAMBÉM DELLAGNOL, SANTOS CRUZ E OS DEMAIS INTEGRANTES DA LAVA JATO ELEITOS PARA O PARLAMENTO. VIVA MORO E A LAVA JATO

    1. Eu gostaria de uma chapa com Moro e o governador do RGS. Não vai rolar. Eu quero gente nova sem familiares que fizeram da política profissão. Eu acredito que sem as malícias,vícios do meio uma pessoa pode simudar porque não teria. que concordar com tudo que é podre na política.

  18. PEDRO SIMON, o Sr. é o maior Patrimônio Moral da Nação Brasileira. É a voz da sabedoria, da razão e do bom senso. Em seis décadas exercendo cargos eletivos, sempre fez da vida pública um sacerdócio a serviço do bem. Os brasileiros de bem o têm como referência da Moral Pública deste país. Hoje, na situação em que nos encontramos, uma chapa presidencial reunindo SERGIO MORO/SIMONE TEBET, seria imbatível. Uma bênção para o Brasil 🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷 Pedro Geraldo

  19. Também gosto muito do Pedro Simon, mas não concordo com sua indicação. Moro precisa de alguém que tenha a mesma estatura moral que ele! Deltan Dallagnol, Alessandro Vieira, Santos Cruz, Mandetta; há melhores opções!

  20. Será que não preocupa a ninguém o fato de Simone Tebet ter votado contra o afastamento de Aécio do Senado quando ele foi pego negociando propina com Joeslley Batista? Afinal de contas, queremos ou não queremos alguém 100% honesta na presidência?

    1. Suzane será verdade que uma mulher não resiste ao charme de um homem poderoso? kkkkkkkkk.

  21. Que prazer rever Pedro Simon! Saber que na "Velha Guarda" , do MDB, ainda existe quem resiste, insiste, investe num país melhor. Saudades de Ulisses Guimarães , Mário Covas. Saber que Simon continua do lado certo, nos conforta. Espero que ele continue se comunicando com os jovens, ajudando-os a fazer a melhor escolha.

  22. Para ser eleita Simone teria que abandonar o MDB, partido de cobras criadas como Renan, Cunha, e outros indivíduos horrorosos! Simone não obtém credibilidade concorrendo pelo MDB, uma partido de corruptos! !

    1. Concordo, se aTebet fosse para o Podemos e ficasse como vice de Moro ficaria imbatível!

  23. Pedro Simon dá um recado de esperança e luz a clarear a noite tenebrosa em que um bando de maníacos imbecis mergulhou o Brasil 🇧🇷, sob o codinome vergonhoso de lulopetismo… Moro e Simone ou Simone e Moro, juntem suas forças e caráter e resgatem o Brasil 🇧🇷 desse caos e trevas em que estamos. Oremos!

  24. Dá gosto de ouvir um político com caráter e inteligente como Pedro Simon. Td q ele fala e matéria pra no mínimo refletir pq ele conhece a política e os políticos. Gostaria de ver uma chapa Moro / Simone Tebet ou até vice versa. Agregariam tempo de tv o q e’ vital. E meu sonho ter um presidente/a decente, inteligente. Chega de passar vergonha a cx vez q lula e JB abrem a boca.

  25. Simone Tebet para presidente e Moro vice. Ela sabe falar e empolgar, como pudemos ver na CPI da Covid. Moro não empolga no discurso, mas sua figura sim, como símbolo.

  26. 1- Parabéns a Crusoé pela entrevista com o senhor Pedro Simon. Ele fez colocações que me remeteram a outra personalidade a qual respeito muito, o professor Zygmunt Bauman. Vivemos tempos estranhos, um interregno, e temos mais incertezas do que certezas quanto ao futuro. É a tal modernidade líquida. Sujeitos como o Bolsonaro e o Trump, maquiavelicamente aproveitaram às angústias dos imbecis quanto ao capitalismo globalizado, cooptando-os com um discurso vazio, tal qual suas cabeças.

    1. Simon e Brossard gaúchos de boa cepa sem nenhuma dúvida estão entgre os ícones do Senado que honraram por suas lutas liberais pela liberdade e democracia com tudo que estas coisas maravilhosas implicam . mas eram de uma geração perdida de canalhas políiticos e seu MDB jaz em clara extinção nas urnas . esquecve que a corripção é endêmica no país e o velh MDB com a costela PFL depos DEM depois União para queimar memórias tolas fez bem e males ao país . peca na análise fica sua bela memória.

    2. 2- Mas esses líderes negativos, conseguem blindar os seus seguidores da realidade. Para isso, é só criar crises superficiais e alimentá-los com fake news. Do outro lado, os vencidos, ou seja, os adeptos do comunismo, conseguiram manter a tropa, apresentando novamente soluções que já foram testadas e geraram tragédias. E os dois lados agem juntos mantendo à polarização, buscando tornar o centro irrelevante no debate. Moro Presidente 🇧🇷

  27. Houve um tempo, já quase esquecido, que tínhamos na política homens desse quilate. Pedro Simon sempre teve uma clareza desconcertante acerca dos problemas do Brasil e acerca da fraqueza da nossa classe política, salvaguardadas as exceções de sempre. Sempre estivemos mal, mas nada comparável aos dias de hoje. Ulisses Guimarães certa vez disse que se o atual congresso era ruim, que esperássemos o próximo. Não falava do próximo especificadamente, mas de um processo de continuidade da ruindade.

  28. Que entrevista; que homem de bem, quanta coerência e conhecimento! São reportagens assim que engrandecem essa revista, com pessoas do Bem e de Bem. Vamos discutir o país nesse nível

  29. Luladrao senador, acho que, como ele ja assumiu se eleito, enganar o povo mais uma vez, como reu confesso, o povo so sera enganado de novo se quizer, nisso ele foi bastante sincero, talvez a unica vez na vida, quanto a Bozo, todos ou quase todos que votaram nele contra Lula, milhoes, votarao em Moro naturalmente em 2022, porisso que vai dar Moro de lavada, ninguem segura, pois nao somos masoquistas nem idiotas, agora o povo brasileiro vai dar o troco pelo estelionato eleitoral do Bozo e do Lula

    1. JO El....o choro é livre e o sonho é gratuito, portanto sonhe é chore à vontade.

  30. Nao reconhecer as virtudes de um politico da estatura de Pedro Simon com tantos anos de politica sem se corromper e com a lucidez desta entrevista, so sendo imbecil ou colega dos ladroes politicos atuais. Desejo mais 91 anos de vida pro senhor meu sempre senador, digno, honrado e defensor do bem comum. Os brasileiros de todos os estados sao eternamente gratos ao senhor. Desejariamos ter no senado atual pelo menos uns 80 senadores da estatura moral e nao corruptos, vagabundos, indignos de hoje.

  31. Duvido que a união entre Moro e Tebet vai vingar. O MDB tem muitos corruptos famosos no partido. Moro não iria aceitar. Porque não Ana Amélia, ex-senadora como vice?

  32. Incrível como aos 91 anos continua lúcido! Concordo com as colocações sobre chapa Moro/Simone. Preferencialmente com Moro encabeçando, pois estaria mais blindado contra a ala podre do MDB.

  33. dá pena ver um homem da estaura de Pedro Simon um ícone da dignidade nacional velho senil claramente esclerosado sendo usado por criminosos que tanto combateu . incansável combatente da liberdade dá asco vê-lo se dobrar a criminosos ladrões e assassinos do povo que tanto respeitou e dignificou . se é para ficar assim mil vezes uma morte digna quando ainda donos de nós mesmos .. triste demais para quem com ele conviveu em suas lutas sempre em favor do povo . morrer também é um ato de dignidade.

    1. Que comentário mais cretino é o seu Amaury, tripudiando sobre um homem digno que sempre trabalhou pelo povo brasileiro e honrou seu compromisso com os cargos que ocupou. Não sei sua idade, porém, quem está agindo como senil e esclerosado é você. Tenho quase a idade dele e estou ainda, graças a Deus, muito bem lúcido. Respeite seus pais e os idosos, que mesmo esclerosados são dignos de toda consideração e amor!

    2. quadrúpede eu também sou um idoso mas isto não me fez um idiota acovardado sob ditadores sejam quais forem e a pior ditadura é a das togas e você logo verá a verdade . conheci Simon e com ele lutei várias lutas . repito sua integridade coragem de cidadão honrado mas vê-lo cuspir sua história que conheço e ignorantes nunca entenderão é algo surreal indigno do homem excepcional histórico . mas sei bem a idiotice é proporcional ao medo e quem o tem está moralmente morto . quando sua cremação?

    3. Tenho muita pena de seus pais ao lerem tamanho rancor com as pessoas bem mais velhas! Mas enfim o vil metal corrompe pessoas com estatura de um anão de jardim! Abraços

  34. Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” O Brasil finalmente terá Um Governo Fundado no “IMPÉRIO DA LEI!” Não seremos LUDIBRIADOS com o “Velho Truque de MELHORAS na ECONOMIA!” Triunfaremos! Sir Claiton

  35. Tenho o maior respeito pelo Senador Pedro Simon , adoro ele . A entrevista excelente e estou com ele na chapa MORO E TEBET , é um sonho que pode se tornar realidade 🙏🙏

  36. Excelente entrevista. Não tenho nenhuma dúvida de que Bolsonaro não passaria em um exame psicotécnico e também desconfio de que seria reprovado em qualquer provinha do antigo Mobral. Vai passar para a história como tendo sido o pior presidente de todos os tempos.

  37. Esse cara sim é "o cara". Sempre fui fã dele. O cara tem cabeça e sabe o que diz. Além de tudo, em mais de 60 anos de política, nunca teve seu nome associado à falcatruas, mesmo estando no covil dos lobos e sujeito a todo tipo de "tentação"

  38. Excelente e lúcida, a entrevista. Também acho que um chapa Moro é Tebet seria competitiva. Mas a Simone já indicou negativamente com críticas a Sérgio Moro. Ou seja, não está a altura dos desafios.

Mais notícias
Assine agora
TOPO