Ricardo StuckertPara atrair Alckmin, Lula acena com a hipótese de entregar também um ministério ao ex-tucano

A ‘tríplice coroa’ dos sonhos de Lula

Para o chefe petista, não basta conquistar o Planalto. Ele opera fortemente para que o PT leve também o governo de São Paulo. Sua outra meta: fazer com que Sergio Moro saia das eleições humilhado
21.01.22

O ex-presidente Lula costuma recorrer a uma analogia futebolística na hora de traçar seus planos para as eleições deste ano. “Temos que ganhar o Mundial, a Libertadores e o Brasileiro”, tem afirmado, em conversas com dirigentes petistas. A conquista da“tríplice coroa”, vislumbra o morubixaba petista, passa por sua eleição à Presidência da República como objetivo principal e primordial, o que o faria embalar o discurso de pretenda absolvição pelas urnas, e, em segundo lugar, pela conquista inédita do governo de São Paulo pelo PT, estado mais rico do país e tradicional reduto tucano. O derradeiro e pretensioso projeto de Lula é fazer com que Sergio Moro, pré-candidato ao Planalto pelo Podemos, saia menor da eleição presidencial do que entrou, para que o ex-juiz, algoz do petista, não disponha de musculatura e protagonismo político capazes de importuná-lo no futuro.

Para tanto, já há um itinerário bem delineado – e uma das peças-chave da estratégia é o ex-tucano Geraldo Alckmin. Como é sabido, o flerte de Lula com Alckmin começou num encontro reservado em julho, em São Paulo, na casa do ex-secretário de Educação Gabriel Chalita. De lá até a primeira aparição pública dos dois, no notório jantar promovido pelo grupo Prerrogativas, a facção jurídica do PT, em 19 de dezembro, houve pelo menos três conversas ao telefone. Em todas, Lula deixou claro o interesse em ter Alckmin como vice em sua chapa ao Planalto.

Num animado convescote de final do ano em seu apartamento em São Bernardo do Campo, na presença da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e do eterno faz-tudo Paulo Okamotto, entre um gole e outro de vinho Bordeaux, Lula disse que teria sacado outra carta na jogada para atrair o ex-governador de São Paulo à aliança petista: além da vaga de vice, teria acenado com a possibilidade de Alckmin acumular os nem sempre atrativos afazeres no Palácio do Jaburu, sede da vice-presidência, com os de ministro de estado. Não seria algo inédito na gestão petista. Entre 2004 e 2006, após a demissão de José Viegas, José Alencar conciliou a vice com o cargo de ministro da Defesa.

O assunto é tratado com máxima reserva na cúpula do PT, para não engrossar o coro dos descontentes com a parceria Lulalckmin. Nos últimos dias, vários petistas levantaram a voz contra a dobradinha para a eleição presidencial de 2022. Entre eles, os ex-presidentes da sigla José Genoino e Rui Falcão, além da ex-presidente Dilma Rousseff. Na visão desses petistas, a união entre Lula e o ex-tucano representaria uma “traição” aos ideais do partido. Da turma, Falcão foi o que expôs mais claramente sua insatisfação. “Ele (Alckmin) representa uma contradição a tudo o que o partido fez e quer fazer. Lula não precisa de uma muleta eleitoral”, afirmou o deputado, em recente entrevista. Em linha com o companheiro, o presidente do PT de São Paulo, Luiz Marinho, chegou a dizer que o “Chuchu”, como Alckmin é ironicamente chamado, precisa se mostrar “engolível” se quiser ser vice de Lula. “O Alckmin vai ter de passar a falar diferente. Ele tem de saber que estará defendendo um projeto que tem CPF, tem lado, tem CNPJ. Ele tem de se tornar engolível. É disso que se trata”, resumiu.

Pedro Ladeira/FolhapressPedro Ladeira/FolhapressDisputa antecipada por poder: Rui Falcão se insurge contra a chapa Lulalckmin
O alto comando petista faz uma avaliação pragmática do movimento de setores históricos do partido contrários à união com Alckmin. Entende se tratar de uma tentativa de marcar posição já de olho numa futura disputa de poder num eventual governo petista. A ideia seria vender caro a entrada do antigo adversário eleitoral, para obter mais cacife para negociar espaços na estrutura de poder, caso Lula seja eleito.

Para colocar água na fervura da crise, José Dirceu, que voltou a operar com desenvoltura no PT, entrou firme nos bastidores nos últimos dias. Para além dos ganhos eleitorais, ele tem argumentado que a chegada de Alckmin ajudaria a formar um bloco de resistência democrática mais sólido, capaz de imunizar um futuro governo petista contra eventuais movimentos antidemocráticos do bolsonarismo.

Na quarta-feira, 19, o próprio Lula saiu a campo para defender a aliança. Em entrevista a blogs companheiros, reforçou a intenção de contar com Alckmin na chapa ao Planalto. “Não terei nenhum problema em fazer chapa com o Alckmin para ganhar e governar esse país. Só não posso dizer ainda porque falta definir para qual partido ele vai, ver se o partido vai fazer aliança com o PT”, afirmou. “Temos divergências? Temos. Por isso, pertencemos a partidos diferentes. Temos visões de mundo diferentes? Temos. Mas isso não impede a possibilidade de que as divergências sejam colocadas em um canto e as convergências de outras para poder governar. Espero que Alckmin esteja junto, sendo vice ou não”, acrescentou.

Entre os petistas que torcem o nariz para a empreitada, há quem ainda faça figa para que o ex-tucano tome uma rasteira às vésperas da oficialização da candidatura – o histórico do petismo sugere que tal hipótese não está descartada. Um recuo, porém, seria encarado como uma traição. Pessoas próximas do ex-governador de São Paulo dão a dobradinha Lulalckmin como pule de dez. Antes de embarcar para Nova York. para passar o Natal, o ex-secretário-adjunto de Segurança Pública de Alckmin, Marcelo Martins de Oliveira, advogado e hoje um dos interlocutores mais frequentes do ex-governador, disse a amigos que a questão estava sacramentada, dependendo apenas a definição do novo abrigo do ex-tucano, se o Solidariedade ou o PSB – a decisão ainda está por conta da resolução das intrincadas costuras dos palanques estaduais.

Pedro Ladeira/FolhapressPedro Ladeira/FolhapressPara Tasso, a aproximação de Alckmin com Lula “pode ajudar a superar as divisões no Brasil”
Há outro sinal de que a parceria possa realmente ter alcançado um ponto de não-retorno. Hoje, um dos principais defensores da união antes considerada impensável é o tucano Tasso Jereissati. O senador, que fez campanha para o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas prévias do PSDB, virou um dos padrinhos do eventual casamento entre o ex-tucano e o petista, depois de manter ao menos duas conversas com Lula no ano passado. Em entrevista na primeira semana do ano ao jornal O Povo, do Ceará, Tasso disse acreditar que a aproximação de Alckmin com Lula “pode ajudar a superar as divisões no Brasil e facilitar o convívio político com os que pensam diferente”. Tasso fez outro movimento recente que indica sua proximidade com o projeto petista: reuniu-se com o ex-presidente Michel Temer para manifestar apoio à candidatura de Simone Tebet, do MDB, ao Planalto, numa atitude que enfraquece a terceira via. Para o PT, a piscadela de Tasso é emblemática e o exemplo mais do que concreto de que a intenção de fazer de Alckmin uma espécie de nova “Carta ao Povo Brasileiro”, tornando Lula mais palatável ao mercado, aos empresários e à classe política de maneira geral, já tem funcionado.

Para além do “efeito moderador” emprestado por Alckmin à chapa ao Planalto, a atração do ex-tucano serve ao propósito petista de alcançar, pela primeira vez, o Palácio dos Bandeirantes, um histórico enclave do PSDB. No xadrez montado por Lula, não basta remover Alckmin, até então um adversário de peso, da disputa ao governo de São Paulo, oferecendo-lhe a vaga de vice na chapa presidencial – segundo as últimas pesquisas, o ex-governador figurava em primeiro lugar nas pesquisas para o governo, com 28% das intenções de voto. Para abrir caminho para o triunfo no estado, o chefe petista trabalha para que Guilherme Boulos, do PSOL, também tire da cabeça a ideia de ser candidato ao governo e passe a fazer parte da coalizão de esquerda em torno de Fernando Haddad, hoje em segundo nas pesquisas, com 19%.

O acerto envolve o compromisso do PT de apoiar Boulos para prefeito de São Paulo, em 2024. Em paralelo, Lula buzina no ouvido de Márcio França, do PSB, para que ele desista de concorrer ao governo, para tentar o Senado. Consumada a frente idealizada por Lula, a fatura eleitoral poderia ser liquidada até no primeiro turno, a depender do desempenho de Rodrigo Garcia. O neotucano e candidato de João Doria, para além do rosto pouco conhecido, precisa superar a rejeição ao seu padrinho político se quiser chegar lá. Os dois são indissociáveis e atualmente Doria amarga uma reprovação de cerca de 40%.

 Leandro Paiva/Divulgação Leandro Paiva/DivulgaçãoProjeto do PT para conquistar o Palácio dos Bandeirantes passa ainda pela desistência de Boulos
Cumpridos os planos de alcançar a Presidência da República e fincar a bandeira vermelha de maneira inédita no Palácio dos Bandeirantes, restaria a Lula a tarefa de tirar Moro de seu caminho. No entendimento do PT, a sobrevivência política do ex-juiz, mesmo que seja derrotado nas eleições de outubro, constituiria uma eterna sombra sobre um futuro governo petista. Daí a necessidade, pregada internamente por Lula, de “eliminar” o seu principal algoz. Para isso, o petista conta com setores conhecidos do Judiciário e da turma de advogados e juristas abrigada na facção jurídica do PT. O combinado é fazer um revezamento nos ataques, como o que desferiu Lula nesta semana chamando Moro de “canalha”, ao que recebeu como pronta resposta que “canalha é quem roubou o povo brasileiro”.

Numa outra frente, a ideia é empreender ações para constranger o responsável por levar Lula à cadeia – há quem diga no petismo que a determinação do Tribunal de Contas da União para que a consultoria americana Alvarez & Marsal divulgasse quanto pagou a Moro já faça parte da estratégia. Não será uma jornada trivial, como quer fazer crer Lula. Durante a semana, numa derrota dos garantistas com e sem toga, a Alvarez & Marsal informou ao TCU que a remuneração de Sergio Moro como consultor privado de sua divisão de Disputas e Investigações está protegida por uma cláusula de confidencialidade e só o ex-juiz poderia decidir sobre sua divulgação.

Do ponto de vista eleitoral, apesar do clima de “já ganhou” que se espraiou pelo PT e pela esquerda, as articulações avalizadas pelo Podemos, atual partido de Moro, para um possível ingresso do ex-juiz no União Brasil, partido mais rico do país hoje e com extensa capilaridade nacional, sugerem que a peleja de outubro está longe de ser um jogo jogado. Para ficar nas proverbiais analogias de Lula, na política, assim como no futebol, o risco é sempre o de colocar a coroa na cabeça antes da hora.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. e é bem isso o que o vai acontecer com o Alkmin aos 45 minutos do segundo tempo, vai levar um fora desses petistas, pois estão se prestando apenas a tirá-lo como candidato ao governo de São Paulo. Pois essa gente petista, são pessoas sem caracter

  2. Isso mostra que Alckmin nao esta nada preocupado com o povo de Sao Paulo, ele quer poder e acha que o Luladrao sera o proximo PR, mas vao ficar na rabeira pois chuchu nao nasce em terreno pedregoso como o Petralha, sera apenas um idiota util ao apedeuta. NEM PASSADO, NEM PRESENTE, MORO PRESIDENTE.

  3. Triste ver alguém com a carreira politica como o Alckmim, se sujeitando a isso, o que as pessoas não fazem por poder ... se eleito Lula vai trata-lo como uma estátua, então eu me pergunto, para que trair seus ideais e se submetar a toda essa humilhação, pra que Alckmim, Pra que ?: hije por quqleur partido vc seria eleito governador de são Paulo se for vice do Lula não ganha nem eleição de sindico mais em São Paulo pra que alckmim pra que isso?

  4. Este Luladrao de tao nefasto, mentiroso, incompetente, vagabundo que esteve no governo por 8 anos, usufluiu de um periodo em que teve a conjuntura nacional e internacional favoraveis, teve todo apoio do congresso, nao fez nenhuma reforma importante pro povo, nem a reforma agraria que sempre foi bandeira do PT, enfim, um mentiroso a toda prova, quer de novo enganar o povo novamente, mas promete NAO VOU ENGANAR O POVO NOVAMENTE, vc acredita, eu nao. NEM PASSADO, NEM PRESENTE, MORO PRESIDENTE.

  5. A maioria do povo de bem do Brasil tambem tem um sonho prestes a realizar, qual seja, rever este apedeuta do Luladrao de novo na cadeia de onde jamais deveria ter saido, juntamento com os demais componenetes desta quadrilha lesa povo brasileiro, mas os sinistros da alta corte fizeram do ilicito provas contra Moro na operacao solta ladrao, abrindo a porteira das cadeias se rebaixando a pior justica do mundo democratico, mas um dia a casa cai, basta continuarem derrubando os pilares. MORO PR.

    1. CONCORDO! Acreditar que Lula ou Bolsonaro farão gestões diferentes e exercerão o poder para conduzir o Brasil ao bem-estar e ao progresso é pueril.Moro é a reserva moral que necessitamos para eliminar estes políticos que usam o poder para si e os seus. MORO PRESIDENTE IR PARA FRENTE.

  6. Confiar no PT e no seu capitão Lula seria o maior ato de ingenuidade do ex governador Alckmin. Será descarado, humilhado na hora que não servir mais aos interesses petistas. Eles são assim, a traição faz parte de sua natureza.

  7. Os ataques já começaram, o Podemos e União Brasil, se comungam em ter Moro e com ele o projeto correto para o Brasil sem corrupção, mais oportunidades aos cidadãos, economia forte, desemprego baixo, classe média desonerada para produzir mais é ser o motor do crescimento. Ser adversário de Lula e Bolsonaro é fácil, comecem a editar as declarações do sociopatia, depoimentos de delatores da lavajato, olhões de Reais devolvidos, somente cegos não querem acreditar nos crimes.

  8. Minha impressão é que Alckmin deve estar apostando que Lula não termina o mandato, e com isso finalmente ele pega a presidência que tanto queria.

  9. Estão vendo? antes jogo começar o toma lá-dá-cá fervilha. Mais do mesmo. Brasil continuará dando dois passos para trás, um para frente. Tenho esperança que Ciro Gomes, com discernimento, coragem acabe vez por todas máxima cruel politica brasileira: muda-se algo, e tudo fica igual.

  10. lula deveria chamsr o Boulos para vice de Hadad. E depois apoia-lo para prefeito. ai sim a triplice coroa; Lula presidente, Hadad governador de SP e Boulos prefeito da cidade de São Paulo.

    1. Imagino que você não seja de SP. Haddad foi um dos piores prefeitos da capital, da para imaginar o estrago que faria do estado. Quem se lembra do que pagamos por km das ciclovias mais caras do mundo sabe o que poderia ser este homem comandando nosso estado.

  11. Lula não é suspeito, é criminoso. Julgado por três instâncias da justiça. Está em liberdade não por ser inocente. Sim, por um "jeitinho" do STF. O Lula vive como um nababo, juntamente com sua família. O maior político traficante de influência. Não tem patrimônio físico. O seu maior patrimônio são seus "amigos".Um cara esperto. Bota todo mundo no chinelo.

  12. Sobre essa corja petista nem vale mais a pena tecer comentários, mas a atitude do Alckmin, se unindo de forma subserviente ao bandido mor, só mostra o seu verdadeiro mau-caráter. Que receba o que merece: o ostracismo! ...

  13. Viva o país governado pelo crime organizado. Não se trata de partidos, mas sim quais facções criminosas ascenderão ao poder.

  14. É uma imensa teia, que envolve políticos de todos os partidos e outras aves de rapina, no âmbito federal, estadual e municipal. Não há como sair disso? Vamos fazer uma tentativa com Sérgio Moro.

    1. Brasileiros está mais do que claro que políticos como Tasso e outros que vão se aproximando de Lula, algo inimaginável, mas que está acontecendo, não temos outra alternativa do que eleger Sergio Moro, ele não é o defensor da pátria, mas será um impecilio fundamental, para que Lula ajudado pelos corruptos não tragam a corrupção com mais força divqye Bolsonaro já trouxe

  15. Os bandidos de várias facções já começaram a se unir em torno do maior bandido ( luladrao ) com medo de SÉRGIO MORO. Esta quadrilha esta achando que ja ganhou a eleição de 2022 . Fazendo analogia com o futebol, só falta combinar com os russos.

  16. Sérgio Moro precisa tomar mto cuidado com sua segurança pessoal. Está se tornando um alvo perigoso. E a ambição dessa gente é ilimitada e inescrupulosa.

    1. SERGIO MORO deve dar uma atenção prioritaria a sua segurança , pois inimigos perigosos é que não faltam .

    2. Lembrem- se de Celso Daniel e do Toninho, só pra constar!

  17. O BRAHMA SABE QUE O JOGO SÓ ACABA QUANDO TERMINA E QUE ESTÁ APENAS COMEÇANDO, ENTÃO É BOM DEIXAR QUE O GADO PETRALHA ACREDITE NESTA MENTIRA E VÁ COMEÇANDO ENCOMENDAR O PÃO COM MORTADELA PORQUE O CHORO É LIVRE. O MORO VAI PASSAR O CARRO NESTES BANDIDOS TANTO DE ESQUERDA OU DE DIREITA E O BRASIL TERÁ ENFIM UM GOVERNANTE HONESTO PARA TIRAR O PAÍS DESTES ANOS DE ATRASO DEVIDO AO MECANISMO DA CORRUPÇÃO. NÃO PODEMOS ADMITIR OUTRO RESULTADO ENTÃO JÁ ESTOU EM CAMPANHA PARA ELEGER MORO PRESIDENTE.🇧🇷⚖️

    1. Vai passar o rodo se aquela caixinha eletrônica deixar, lembre-se, aquela caixinha eletrônica ESTÁ nas mão deles, caixinha que nenhum país sério do mundo adotou.

  18. Cada vez mais convencido de que Bolsonaro sempre foi um cavalo de Tróia, usado para dar continuidade ao projeto de poder criminoso do PT. Afinal, depois das revelações da Lava Jato, só uma gestão tão desastrada de um sociopata poderia "reabilitar" o PT nas urnas

  19. Estamos vendo novamente um projeto de poder, o povo que se lixe. Alckmin, José Dirceu e Cia, é tudo novamente o que o Brasil não quer mais… ele é un corrupto e continuará sendo, sede ao poder e dinheiro… o povo vai continuar ganhando migalhas e à imprensa tem culpa nisso. Quanto estão ganhando do PT?

    1. Eu ainda custo a crer nessa possível aliança de Alckmin com o PT. Tasso Jereissatti apoiando essa idéia, mesmo estando Alckmin fora do PSDB... Que bagunça!... Jesus, acende (ou apaga?) a luz!!! 🙏🙏🙏

    2. Ai, que vergonha do meu voto no Alkimin...

  20. 1- O colega JO EL teve uma sacada, que sintetiza o que será a disputa eleitoral deste ano. O passado e o presente, sem um cenário externo favorável, contra o futuro. Bolsonaro já era, morreu, só falta enterrar. Alguém em sã CONSCIÊNCIA, acha que o ex-presidiário Lula, os corruptos do seu entorno, somado aos experimentos já provados catastróficos que pretende fazer na economia, pode recuperar o Brasil? O Gilmar Mendes apoia. O André Esteves apoia. O Chuchu apoia.

    1. 2- Pergunta se eles sentem os reflexos da crise de agora, e se sentirão da crise futura, caso o PT volte? PT É ELITE. Moro é o único que olhou para o povo, pois teve coragem DE LUTAR CONTRA À CORRUPÇÃO. MORO PRESIDENTE 🇧🇷

    1. Lula e sua quadrilha, Mora colocou-o na cadeia sem provas. Acorda Brasil. Moro 2022.

  21. Latir sobre politica sem entender politica...1) Estado do Ceará possui 6 Empresários BILIONÁRIOS, Thasso Jereissaty é um deles,por quais motivos está Senador ? Financeiro,estás brincando ! Poder de agir em prol do seu estado,suas empresas,seu País,PODER de estar junto aos circulos do PODER ? parece ser a resposta óbvia,uLULLAnte...aos descamisados e outros desavisados : Possuir dinheiro nâo o é possuir poder,simples !

  22. e esse VAGABUNDO só aí está devido a esse STF. Juízes no maioria inexpressivos q por apadrinhamento lá estão. Uma vergonha ver um deles ,no Paraná , na Campanha da Dilmanta. Pobre país . Entregue a essa matilha novamente

  23. O maior problema do Brasil, é a formação do caráter do próprio povo, que não tem o mínimo suficiente de patriotismo com o país. Como pode um mal caráter Luiz Inácio Lula da Silva ser presidente de um país no qual foi condenado até 4ª instância é preciso criarem vergonha nacional.Se povo brasileiro elegerem os 27 Senadores nas eleições de 2022, não reeleger-se os mal caráter que estão lá, podemos fazer um Senado Federal forte que podem aplicar o artigo 52 da Constituição Federal. Art. 52. Compete

  24. LULA: os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! São DEGENERADOS MORAIS que IMPEDEM o BRASIL de AVANÇAR! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

  25. Não se pode menosprezar a competência do PT no planejamento e efetivação de seus projetos de domínio. Ele conta com o demoníaco estrategista José Dirceu, com a safadeza política do Lula e a poderosa e articulada malha de apoiadores de altíssima competência intelectual, técnica e política, todos feridos, com sede de vingança e ansiosos para levar avante seu projeto de poder total. Esse plano do PT deveria ser a capa da Crusoé desta semana. Uma verdadeira bomba. Com o PT não se brinca.

  26. Moro 2022! O Lularápio e sua quadrilha está exultante mas muita água ainda vai rolar até as eleições. O Chuchu declinou de caminhar para rastejar junto ao quadrilheiro.

    1. Típico político nacional, vai piorando à medida que envelhece.

  27. o PT está sonhando alto de mais, querem a presidência e o comando do estado mais rico do Brasil, não vão conseguir, temos que lembrar sempre da roubalheira organizada por Lula e companhia

    1. Assim como Bolsonaro usou Sérgio Moro e depois descartou,Lula fará o mesmo com Alkimin Será bem bem feito,Alkimin não têm vergonha na cara

    2. OS LARÁPIOS JÁ ESTÃO NO CLIMA DE JÁ GANHAMOS E O CHEFE DOS LARÁPIOS JÁ ESTÁ MONTANDO SUA EQUIPE :RAPINAGEM II

Mais notícias
Assine agora
TOPO