Adriano Machado/Crusoé"Assim como no passado teve o antipetismo, surgiu o antibolsonarismo. E esse antibolsonarismo só engorda o Lula enquanto não há uma outra opção"

‘O partido nasceu para ser governo’

Presidente do maior e mais rico partido do país, Luciano Bivar defende que o União Brasil tenha candidato próprio ao Planalto e acredita que a polarização entre Lula e Bolsonaro ainda pode ser quebrada por um nome forte da terceira via
18.02.22

Desde a semana passada, Luciano Bivar é presidente do maior e mais rico partido do país. Aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral no dia 8 de fevereiro, a União Brasil nasceu com uma bancada de 81 deputados federais e deve receber cerca de 1 bilhão de reais de fundos públicos este ano. Apesar dos números superlativos e do poderio político, a sigla recém-lançada, fruto da fusão entre PSL e DEM, ainda não tem candidato à Presidência e enfrenta um cenário de indefinição.

Esta semana, a União Brasil começou a negociar a criação de uma possível federação com o PSDB, do governador João Doria, e com o MDB, da senadora Simone Tebet, ambos pré-candidatos à Presidência. Bivar, no entanto, prefere manter a cautela e evita declarar apoio a qualquer um deles – da mesma forma, vê obstáculos para uma aliança com Sergio Moro, do Podemos. “A gente tem alguns programas no nosso projeto que eu não sei se vão coincidir com as ideias do Moro. Teríamos que acertar muitos pontos na economia, nos costumes e no social”, afirma, nesta entrevista a Crusoé.

O presidente da União Brasil acredita que o cenário de polarização entre Lula e Bolsonaro pode mudar após a consolidação de uma candidatura forte da terceira via. “O antibolsonarismo só engorda o Lula enquanto não há outra opção”, diz.  Embora lideranças da União Brasil defendam que o partido permaneça neutro na eleição presidencial e invista sua bolada bilionária para montar uma robusta bancada na Câmara a partir de 2023, Bivar promete insistir na candidatura própria ao Planalto. Egresso do PSL, o deputado federal pernambucano, que rompeu com o Planalto, quer voltar ao poder – Bivar afastou-se de Bolsonaro em outubro de 2019, depois que divergências e trocas de acusações entre os dois se tornaram públicas. “O partido nasceu para ser governo e vamos fazer de tudo para chegar ao governo. Se tivermos um fortíssimo candidato, por que não vamos investir nele? Vamos garimpar um nome que seja representativo, exequível e competitivo para a eleição de 2022”. Eis a entrevista:

Qual a sua avaliação sobre governo Jair Bolsonaro?

A gente está muito voltado no momento à nossa discussão interna, para definir o que a União Brasil vai fazer. Não chegamos ainda ao estágio de avaliação do governo atual. Mas, quando entendemos que precisamos ter uma candidatura própria, é porque queremos uma candidatura que represente algo diferente do que está posto. Ou seja, uma candidatura que obedeça aos princípios fundamentais do partido, que são a defesa das instituições democráticas, da economia de mercado e do lado social. Mas que esses programas sociais caibam dentro de um estado limitado.

Durante a campanha, Jair Bolsonaro prometeu fazer um governo liberal na economia, mas não houve grandes avanços nas privatizações e nas reformas.

Ele não tem seguido a pauta liberal. Por isso, a gente quer trazer as nossas ideias para dar uma nova opção ao povo brasileiro. O governo disse que privatizaria todas as empresas e não fez nada disso. O Salim Mattar (ex-secretário desestatização e privatização do Ministério da Economia) saiu do governo porque não conseguiu executar nada.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/Crusoé“A gente quer trazer as nossas ideias para dar uma nova opção ao povo brasileiro”
Como ex-presidente do partido pelo qual Bolsonaro se elegeu, o sr. se incomoda com os ataques constantes do presidente à democracia e às instituições?

Sim, me incomoda, e essa é uma das razões pelas quais entendemos que, diante dessa fustigação da democracia, a gente precisa ter um governo que efetivamente afaste esse cálice de nós.

Acha que Bolsonaro pode não reconhecer o resultado das urnas, caso perca as eleições?

Não vislumbro o que ele pode fazer ou deixar de fazer, eu digo o que nós vamos garantir, que é a defesa das instituições.

Flávio Bolsonaro tem dito que aposta em um apoio da União Brasil à reeleição de Bolsonaro. Existe essa possibilidade?

O Flávio é um cara muito gentil, mas o que posso dizer é que a União está com plano de governo determinado. Então, dificilmente a gente pode se acoplar a um governo em que a ineficiência foi a tônica. Aconteceu uma evasão de inteligência dentro do governo.

O sr., então, descarta esse apoio?

Vamos ter a nossa via férrea. E temos vários vagões. A gente não pode mais ser coadjuvante, a gente tem que ser protagonista, diante da circunstância política que fez da União Brasil o maior partido do país.

O sr. tem dito que a União Brasil terá candidatura própria, mas o partido ainda pode optar pelo apoio a algum dos nomes da terceira via, como Simone Tebet, João Doria ou Sergio Moro?

A terceira via não está nominando quem é o cabeça de chapa. A gente quer uma opção que defenda nossos princípios. Não há ainda um nome. Houve a primeira reunião com PSDB e MDB e, daí em diante, vamos garimpar um nome que seja representativo, exequível e competitivo nessa eleição de 2022.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/Crusoé“Dificilmente a gente pode se acoplar a um governo em que a ineficiência foi a tônica”
Essa federação tão ampla, com acordos para quatro anos, é viável?

Grupos de deputados do MDB e da União estão trabalhando em prol dessa federação. O PSDB agora quer conversar conosco. Vamos perseguir essa federação porque a gente entende que é um bloco com os mesmos pensamentos. É claro que esse processo é mais delicado porque ele envolve estados com quadros que são inimigos figadais. A pessoa às vezes acha que o município dela é o centro do universo. Vamos ter que avançar nas questões regionais.

O governador João Doria sonha com o apoio da União Brasil, mas ele segue estagnado nas pesquisas. Como avalia o nome do candidato tucano?

Tanto João Doria quanto Simone Tebet são nomes de boa representatividade. Mas isso passa por um comitê de representação da federação, se ela existir, ou isoladamente dos partidos, para um eventual apoio.

 Além dos candidatos do MDB e do PSDB, o ex-ministro Sergio Moro, do Podemos, poderia ser esse nome a vir a ser apoiado pela União Brasil?

A gente tem alguns programas no nosso projeto que eu não sei se vão coincidir com as ideias do Moro. Somos liberais não só na política, como nos costumes e na economia. Não sei se ele concorda com isso. Não fazemos nenhuma distinção de as pessoas escolherem seu gênero. Somos liberais. Li que o Lula quer desonerar a folha (de pagamento das empresas), esse é o nosso modelo faz tempo. Só que a gente mostra de onde vem o dinheiro.

O sr. chegou a cogitar a possibilidade de ser vice de Moro. O que mudou?

A gente tem um programa. O Moro faz muito bem em caminhar em cima das ideias dele. Estamos, talvez, em linhas paralelas. Se essas linhas vão coincidir amanhã, não sei. Mas teríamos que acertar muitos pontos na economia, nos costumes e no social.

Alguns integrantes da União Brasil defendem a filiação de Moro ao partido, para ser cabeça de chapa na disputa pela Presidência.

Tem esse argumento, mas é uma decisão que cabe ao Podemos e ao próprio Moro.

 Por que a terceira via não consegue decolar?

Qualquer um desses dois candidatos (Lula e Bolsonaro) não tem mais de 25% das intenções de voto. Então, tem 75% que são contra eles ou estão em dúvida. Não considero hoje que a eleição será polarizada. Seria polarizada se ambos, contando com as indefinições, estivessem com 80%. Ressalto que 50% da população brasileira ainda diz não ter voto definido. Outra coisa: a Presidência só será discutida após a janela partidária. Essa questão ainda não chegou ao povo, só está aqui entre nós, que somos profissionais da política. Ainda há muito espaço para o crescimento da terceira via. Lembrando que esses dois candidatos que hoje aparecem na frente podem descer. E, se um candidato da terceira via subir, pode ir para o segundo turno. Assim como no passado teve o antipetismo, surgiu o antibolsonarismo. E esse antibolsonarismo só engorda o Lula enquanto não há outra opção.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/Crusoé“Vamos perseguir essa federação porque a gente entende que é um bloco com os mesmos pensamentos”
Em eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro, quem a União Brasil apoiaria?

A gente não estaria aqui se não acreditasse que pode chegar ao poder. Não posso raciocinar sobre quem vou apoiar amanhã.

Diante das dificuldades da terceira via, muitos partidos cogitam abrir mão da candidatura à Presidência, para concentrar esforços e recursos na formação de uma grande bancada na Câmara.

Me perguntaram outro dia se o partido nasceu para fazer bancada forte ou para ser governo. Eu disse: o partido nasceu para ser governo e vamos fazer de tudo para chegar ao governo. A bancada é uma circunstância natural. Precisamos também ter uma bancada forte para poder ter voz e peso. Mas, é claro, que queremos ser governo. Se tivermos um fortíssimo candidato, por que não vamos investir nele?

 Pelo menos 20 deputados bolsonaristas do PSL já anunciaram que deixarão o partido, mas há nomes de outras siglas que analisam a filiação à União Brasil. Qual deve ser o saldo final?

A gente estima a bancada em torno de 70 deputados federais. Ainda não recebi nenhum comunicado oficial dos egressos do DEM e do PSL que querem sair, estão todos ainda dentro da União. Fazer tratativas é um direito individual deles. Os que são egressos do PSL me conhecem, sabem como eu trato, como a gente busca ser justo e íntegro.

 Em 2018, a nova política e o combate à corrupção foram os motes da eleição. Qual será a marca do pleito de 2022?

Acho que o campo social. E a nossa briga vai ser contra o populismo, de um lado ou de outro. Porque muitos dizem: ‘Vou desonerar a folha de pagamento. Vou aumentar o auxílio familiar’. Mas de que forma? Então, os princípios deles são diferentes dos nossos. Para eu fazer chegar isso ao público, vai ser preciso ter um marqueteiro muito bom e um candidato que tenha condição de explicar por que nossa forma é a correta. 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Liso como um bagre… Juntou com ACM Neto, sem chance… Imputar ideologia de gênero a Moro? Canalhice! Ele só fala em sexualização precoce… Pablo Nobel, Moro está sozinho… Precusa alcançar os eleitores!!!!

  2. Não passa de mais um quadrilheiro vivendo as custas do dinheiro e do futuro dos brasileiros que trabalham e sustentam essa korja que domina a política nacional.

    1. Com essa dinheirama por que não investir na candidatura do Moro a única via de que o Brasil precisa, trazendo com ele a volta da Lava Jato? #ComMoroPeloBrasil

  3. Acho dois candidatos com perfil honesto, com caráter e honestidade!(SÉRGIO MORO e SIMONE TEBET) o resto é resto!

  4. Nasceu para ser governo. Mas tem que combinar um com o eleitor. O Cenário que vislumbro e o União, sendo dilacerado, ninguém esqueceu do Laranjal do PSL!

  5. Que Deus ilumine Bivar a apoiar o melhor candidato dos que despontam com condicoes de chegar la que eh o MORO, pensando como patriota responsavel e que almeja melhores dias futuros para todos os brasileiros. Com MORO eh ganhar ganhando, os demais seria ganhar perdendo, de sorte que todos ficariam no prejuizo. NEM PASSADO, NEM PRESENTE, SERGIO MORO PRESIDENTE

    1. Totalmente de acordo! #ComMoroPeloBrasil! O dinheiro público será bem aplicado, sem corrupção!

  6. O rico dinheirinho de seu dote partidário é feito de dinheiro público, do povo pagador de impostos, que merece a chance de ser governado, finalmente, por um presidente preparado, íntegro e livre de histórico vergonhoso em sua vida… vai, Bivar, ajuda o Brasil 🇧🇷 a eleger SÉRGIO MORO presidente em 2022 e a colocar nosso país no rumo certo para o bem do povo!

  7. Moro Presidente !Bivar acorde para essa oportunidade única do colocar país nos trilhos!gDeixem nome na história de um Brasil que deu certo!

    1. este vagabundo lascou até o Sport hoje na segundona

  8. Sr Bivar, por favor saia do desse casulo utópico e diz quem você é ( E) o que quer . Essa história de liberal ..... antes era corrupção zero com o pres. e tudo mudou só que você com o maior partido e maior verba... fica em cima do muro. por favor. PAIS DE FAZ DE CONTA.

  9. Considero esta entrevista histórica sobre projeções politicas sobre as eleições presidenciais este ano. A análise do Presidente do União Brasil. e, para mim, a de um dos mais entendidos em neo-politica brasileira. Não sei quem é. Parabens a quem o entrevistou. Foi craque!!

    1. Não vi mais que um cego, cheio de ego e dinheiro público pra gastar. Tebet encalhada, Doria malquisto por SP, Ciro vai fugir pra a França de novo, e ninguém decola. Desses o melhorzinho é o Moro. Mas o ego (e o dinheiro) desse senhor não irão deixar ele fazer alianças com ninguém. Vão torrar o dinheiro e ele vai ser crucificado porque quis ser o centro do mundo. Vai perder uma boa oportunidade de fazer parte de uma efetiva mudança de país.

  10. gente como Bivar e Kassab são o lixo da política nacional vampiros que são se nutrem do sangue de omissos que lhes pagam o estupro a covardia o cinismo e a traição a seu povo que humilde na verdade ignorante e cordato é presa fácil de uma escória ladravaz a se perpetuar no poder para o que todos bnem savebos .. não é por acaso de existem mais de 150 processos nas cortes contra políticos com mandato neste país .. e ninguém pega na mão dos estuprados nas urnas e o pior pode estar por vir.

  11. Uma vergonha o pais ter de ficar financiando partidos políticos! Dá nisso: partidos ricos, que não estão nem aí para o povo que paga a conta! Definitivamente, não refletem os desejos dos cidadãos, nem sequer possuem uma ideologia, são como empresas, que visam dar "lucros" aos seus membros!

    1. Ademais, sempre bom lembrar, esse partido "enricou" tomando carnona no estelionato eleitoral do JB! (antes, era um nada!)

  12. Os políticos desse país, onde a corrupção domina, não tem interesse, em apoiar alguém que combateu e continua favorável o combate à corrupção. Somente o povo é capaz de mudar esse cenário. Porque esses donos dos partidos, somente interessa o poder e dinheiro, para os verdadeiros trabalhadores, os quais enriquecem seus partidos, pouco importam. parem de brigar por políticos, são todos a mesma coisa. coloque um novo, não for bom, tira e coloca outro, simples assim

    1. E vamos tentando, o que não podemos é nos conformamos com esses bandos de lixos que estão no poder.

  13. MEU LIVRO “O INROTULÁVEL”. Link de acesso: https://www.amazon.com.br/dp/B09HP2F1QS/ref=cm_sw_r_wa_awdo_PQSA5Z6AXXH2SX16NH87 ..............................................……. o ACORDÃO dos DEGENERADOS MORAIS para EVITAR o IMPEACHMENT do BOLSONARO e TIRAR LULA da CADEIA! os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

  14. BIVAR É O AL CAPONE DE PERNAMBUCO. DA FAMÍLIA DAS HIENAS, SEMPRE CHEIRANDO TODAS AS CARNIÇAS, TENTANDO TIRAR ALGUMA DIS OUTROS PREDADORES. SALVE-SE BRASIL!!

    1. O Moro, pelo visto, vai caminhar sozinho, mas com o apoio de seus eleitores. Trabalho de formiguinha, cada um arranjando voto para ele. Assistam ao papo antagonista todos os dias às 18 horas com o Claudio Dantas no YouTube e ou Facebook. Quem não puder assistir nesse horário, vai lá depois, mas não esquecendo o like.

    2. Concordo com o JO EL: nem passado, nem presente. SÉRGIO MORO PRESIDENTE.

    3. Isso seria uma bomba atômica e o união brasil teria a chance se escrever uma mudança real de Brasil. Mas esse presidente do partido está inflado pelo ego e cego pelo dinheiro. Vai fazer uma grande burrada.

Mais notícias
Assine agora
TOPO