RuyGoiaba

O pedágio à chanchada e o “tortura, mas não privatiza”

11.05.18

Tudo no Brasil paga pedágio à chanchada. Ou começa nela, ou termina, ou transita por ela – nunca sem sequelas. Pode até ser engraçado, mas só para quem vê de fora e a uma certa distância, não para quem vive dentro do filme (e ainda financia as tortas que leva na cara).

A começar pela política. Breve recapitulação do noticiário recente: a defesa de Geddel alegou que os 51 milhões de reais do bunker da propina não eram dele e que ele “só guardava”. Rocha Loures jurou que não sabia dos 500 mil reais naquela mala. Petistas ficaram indignados por Lula, preso, não ter sido chamado para uma sabatina na Folha — esperamos a mesma indignação se Tite não convocar o goleiro Bruno. E só faltou os advogados do condenado incluírem o frigobar entre os seus direitos humanos básicos.

Tudo isso é argumento de chanchada. Os elementos básicos do clichê estão aí: trapalhadas, dinheiro em penca, ricos corruptos, gordinhos (gordo é importante: basta um aparecer para o espectador médio brasileiro rir, o que talvez explique Leandro Hassum). Sob o patrocínio de Dollynho, seu amiguinho preso pela Coca-Cola por fraude fiscal.

Faltam ao noticiário político, é claro, aqueles pilares do humor brasileiro meio burrão (às vezes, mais inteligente que o “humor inteligente” que fui acusado de fazer aqui) —a boazuda, o corno e a bicha escandalosa. Mas deve ser só questão de procurar.

Seja como for, o Brasil bem que poderia viver menos intensamente o estereótipo do Bananão. A Itália tem um Berlusconi, mas também o triplo do nosso PIB per capita – e pizzas decentes. Pode dar-se ao luxo das festas bunga-bunga de vez em quando.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Vamos estrear em dose dupla, com os grandes brasileiros que são Miguel Nicolelis, o Eike Batista da ciência, e Manuela D’Ávila, que outro dia postou estatísticas da “Alemanha Ocidental” (o Muro de Berlim segue firme no seu coração).

Recentemente, os dois disseram coisas parecidas: para o cientista, o “golpe de 2016” é pior que 1964 porque os militares ao menos tinham um projeto de país. A pré-candidata, por sua vez, elogiou o “nacionalismo” do regime militar, comparado ao atual governo.

O pessoal que levou choque no saco e sobreviveu certamente ficou muito contente com os companheiros. Sugiro o lema “tortura, mas não privatiza”.

Fábio Motta/Estadão ConteúdoFoto: FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDOUm beijinho para vocês da Alemanha Ocidental… (Fábio Motta/Estadão)
 

 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Estamos sempre lendo fatos, acontecimentos e fofocas sobre as mesmas pessoas. CRUSOE ainda não me surpreendeu com qualquer matéria. A melhorzinha foi a exposição do institutoxGimar Mendes. O rabo em matéria jornalista ainda está correndo atrás do cachorro.

  2. bonitinha, mas ordinária!!! nao entendo porque essa gaja tem tanto espaço na mídia. É burra, vive noutro planeta...penso q deve ser pelo seu stile "coxinha"...rsrsrs . Estilo esse que todo petralha gostaria de ter, mas só manuelina consegue.

  3. Concordo com quase tudo, só não com a pizza, temos pizzas ótimas em São Paulo, diferente das italianas, mas muito saborosas.

  4. A vaidade e vontade de aparecer embotam o cérebro dos políticos. Para achincalhar o impeachment, a Manu elogia o regime militar. Márcio França, cujo partido quer ser de esquerda, homenageia a PM que matou o bandido (esquerda que se preze defenderia o direito do bandido de assaltar). A política e o empresariado brasileiros levaram a (porno)chanchada a um outro nível, inalcançável na ficção.

  5. Manoela Dávila sobre de infantilismo crônico. Será um duro golpe no dia em que amadurecer (alguns contaminados não conseguem), olhar para traz e ver o papel ridículo que representou.

  6. A melhor definição da "Avião" (lembram-se dos codinomes da Odebrecht?) li há alguns dias: "hardware ótimo, mas software com defeito".

  7. É isso aí! Gedel está certíssimo! Quem pode condenar uma pessoa apenas por guardar uma graninha que nao é sua, ou carregar uma mala sem saber seu conteúdo. .. o goleiro Bruno tem o mesmo direito de participar da copa como outro inocente qualquer... cadê o trânsito em julgado???... queremos o condenado no debate! Afinal, aqui é o Brasil, o país do improvável. ..

    1. Bruno teria que ter sido convocado!!!! Há quase 5 anos nao toma um gol!!!!! Assim nao da.....

  8. boa.....afinal o brasil além de ser a terrinha da jabuticaba é tambem da goiaba.... goiaba em se plantando dá... Ô praga.... até o presente momento a goiabeira mereceu maiores aplausos no inicio da leitura...

  9. Realmente, duas coisas me deixam indignado. O Lula não ser escalado para a sabatina dos candidatos na Folha, e o Tite não escalar o Goleiro Bruno para a seleção.

    1. sacaneia a pornochanchada não... estamos mais pra funk puteiro

  10. Mas a maior da Manuela não foi explorada pela mídia, surpreendida em Miami fazendo compras disse a turistas brasileiros que a reconheceram: "Estou aqui por que peguei o avião errado, meu destino era Cuba". Bem ao estilo da esquerda brasileira, sempre querendo passar atestado de burrice pra todo mundo.

    1. Acho que ela é bastante burrinha com intenções de parecer politiqueira - inteligente....como isso não existe chamamos de Manuela D’A Vila...rs

    2. Essa tal Manuela nem deveria ter espaço na mídia. A não ser que fosse como humorista... ela é uma fanfarrona. Acho que ela tira um sarro da nossa cara.. as coisas que ela diz nao sao sérias. ..

  11. A Itália foi exemplo para comparar mazelas com o Brasil . E o Goiaba mandou um " PIB per capita " meodeos ! que "goiabice " Italia, convenhamos , nao é o melhor contraponto ao Brasil , nem a Pizza , quem conhece SP sabe disso.

  12. Realmente é difícil fazer humor para competir com os políticos deste país. Palmas para seu estilo, de apresentar a presepada alheia e dar uma pitada fulminante de ironia massacrante.

  13. kkkk. De repente, não mais que de repente, a Ditadura Militar tem seus encantos? Afff. Disso depreendo o que sempre desconfiei: esse pessoal é do contra...sempre. Lembrei do adágio: "Há governo? Sou contra".

  14. É, se não fosse triste, seria uma ótima piada; mas por que não fazer piada de nossas misérias. Assim é nosso eleitor, que vota em politico sabidamente corrupto e corruptor, e depois reclama que o chefão, O SANTARRÃO PRESIDIÁRIO, não foi chamado para dar sua opinião. É !

  15. Concordo com o Leandro. Temos tudo na política brasileira pra fazer uma chanchada. O que não falta são "aqueles pilares". Sim Goiaba, é só questão de procurar. Será que vale a pena? Uma chanchada, com humor inteligente, sí a moda pega...

  16. Ruy Goiaba, eu só estou te conhecendo aqui no Crusoé. Mas como vc foi selecionado pelo timão da revista, imagei, pelo teu nome, que viria por aqui, finalmente, minhas preces foram atendidas, um Stanislaw Ponte Preta versão século 21. Não vou te sacanear com comparações, mas acho que o jornalismo atual mantém esse buraco: um cara que escreve bem pra cacete, puta gozador, mordaz, cínico, venenoso, culto e inteligentíssimo. Vc é dos bão. Mas o Stanislaw continua faltando.

    1. É mesmo!!!!Eu buscava quem o Goiaba me fazia lembrar, o grande Stanislaw.

  17. Migo? não estou rindo não .... Véspera do dia das mães? Tenho filhos morando fora do Brasil (E prefiro morrer de saudades, que de "preocupação", hein?). Sobrinhos (adultos) ainda estudando/vivendo às custas dos pais, meus irmãos! Pq não conseguem "n-a-d-a"! TRISTE a GERAÇÃO que está mais pobre que a anterior hein? Não tá dando p rir não viu?

    1. "Migo"? Deve ser algum pronome de tratamento desgastado pelo uso; um coloquialismo qualquer; um chulismo, melhor dizendo. Gente, mais respeito, é véspera do dias das mães! Nada de comicidade! De fato, o drama desta senhora é mais digno de uma tragédia! Estou passado.

  18. Ah, por favor, não decline do elogio, Rui: você faz humor inteligente, sim. Óbvio, não é aquela comicidade que, digamos, Platão conseguia conferir aos seus textos filosóficos, longe disso, mas é uma comédia bem informada, mordaz, eficiente (eficaz em fazer rir, bem entendido. Olha que muitos tentam sem o conseguir!), ironiza bem, seus trocadilhos não são triviais... Mas a comédia tem mesmo este efeito: uma vez que ridiculiza tudo, nem seu autor se leva a sério...

  19. E como foi prolífico o "projeto de país" que os militares tinham: deixaram o país industrial, comercial e economicamente atrasado e com 1000% de inflação ao ano. Sem contar na entrega do comando da economia ao impoluto Sr. Delfim Neto. A rixa entre os totalitários provém do fato de que disputam a mesma clientela de gente sem cérebro.

    1. Pena que Joaquim Barbosa saiu da disputa, não poderemos fazer piadas assim: "Eram dois candidatos socialistas, Manuela e Joaquim..."

  20. O advogado do Geddel parecia alguém sai do de um circo. Sua tentativa de "defesa" e justificação da Guarda do dinheiro além de absurda e grotesca era estranhamente agressiva, como se fosse um absurdo o tribunal não acatar suas toscas mentiras.

Mais notícias
Assine agora
TOPO