Adriano Machado/CrusoéCiro Nogueira é o padrinho do presidente do FNDE, que foi chefe de seu gabinete

O fundo do poço na Educação

O bilionário FNDE virou emblema da terceirização do governo para o Centrão e também da estratégia de "descentralizar" a corrupção
15.04.22

Se há um ano o governo ainda se preocupava em esconder a proximidade de Valdemar Costa Neto com o Palácio do Planalto, hoje sobram retratos no álbum de “casamento” de Jair Bolsonaro com o Centrão. Depois da cerimônia quase secreta que colocou o partido do ex-deputado mensaleiro à frente da Secretaria de Governo, Bolsonaro abandonou o jogo de aparências ao entregar o comando da poderosa Casa Civil a Ciro Nogueira e se filiar ao PL de Valdemar para disputar a reeleição. A despeito da guinada retórica, governo e Centrão já viviam um regime de união estável muito antes da efetiva chegada dos caciques à Esplanada, com uma série de indicações do bloco fisiológico para postos-chaves do segundo escalão. As consequências estão vindo à tona agora, com a reedição de um filme cada vez mais difícil de mascarar dentro do bilionário Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FNDE, que financia programas educacionais em estados e municípios de todo o país.

A história recente está repleta de exemplos que mostram como o aparelhamento da máquina pública é a origem dos grandes escândalos de corrupção. Políticos indicam aliados ou apadrinham servidores de carreira para ter influência na liberação de dinheiro do órgão conforme seus interesses pessoais e partidários ou em favor de empresários que financiam suas campanhas. Nos governos do PT, isso ocorreu em larga escala em estatais como Petrobras e Correios e beneficiou não apenas os correligionários do ex-presidente Lula como também a dupla Ciro-Valdemar, que hoje sustenta Jair Bolsonaro. Faz dois anos que o chefe da Casa Civil e o “dono” do PL replicam o método do apadrinhamento no FNDE. O fundo é presidido desde junho de 2020 por Marcelo Lopes da Ponte, ex-chefe de gabinete do cacique do PP no Senado. Valdemar, por sua vez, também tem lá um homem de sua extrema confiança aboletado em uma das principais diretorias. Há, ainda, outros dirigentes indicados pelo Centrão.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéValdemar indicou Garigham Amarante, ligado ao PL há mais de 20 anos, para
uma importante diretoria do fundo
Considerado uma espécie de “banco da Educação”, o FNDE tem um orçamento que, para este ano, está estimado em nada menos que 64,8 bilhões de reais. Os indícios de irregularidades envolvendo os recursos do fundo atingem praticamente todos os seus principais programas: vão de compra superfaturada de ônibus escolares, merenda e equipamentos para aulas de robótica até a liberação de dinheiro para a construção de escolas que não saem do papel em municípios comandados por prefeitos aliados. Como já mostrou Crusoé, esses recursos costumam ser enviados a partir de critérios meramente políticos. Muitas vezes, depois que os prefeitos vão até Brasília para audiências no FNDE, acompanhados de deputados federais e estaduais ligados aos líderes do Centrão. A agenda de Marcelo Ponte está recheada de reuniões com políticos do PP e do PL do Nordeste, em especial do Piauí, terra de Ciro Nogueira. Os encontros são, primeiro, capitalizados politicamente com postagens nas redes sociais. Depois, as prefeituras se refestelam com as contratações.

Embora também seja obrigação do governo fiscalizar os recursos federais gastos na ponta, pelas prefeituras, as autoridades de Brasília se esquivam de qualquer responsabilidade quando surgem indícios de desvios de dinheiro nos municípios. Mas uma recente licitação suspeita conduzida próprio FNDE colocou os holofotes sobre a cúpula do fundo. O órgão abriu um pregão para compra de 3.850 ônibus escolares destinados a atender crianças moradoras de áreas rurais, com indício de sobrepreço de 732 milhões de reais. Uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo mostrou que o valor sugerido pela área técnica da própria autarquia era de 1,3 bilhão de reais, mas a diretoria chefiada por Garigham Amarante, o indicado de Valdemar, apresentou uma estimativa de 2 bilhões na licitação. O valor só foi reduzido depois que o caso veio a público, um dia antes do pregão. Mesmo assim, o Tribunal de Contas da União suspendeu o processo até a conclusão da apuração do sobrepreço.

O caso agravou ainda mais a crise deflagrada no MEC, em março, com o escândalo envolvendo pastores evangélicos aliados de Bolsonaro acusados por prefeitos de cobrar propina em dinheiro e ouro para facilitar a liberação de recursos do FNDE. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal abriram inquéritos para apurar as denúncias. Mesmo com a queda do ministro Milton Ribeiro, amigo dos pastores que estava sendo fritado pelo Centrão, a oposição iniciou uma articulação para instalar uma CPI que possa investigar no Senado as suspeitas de corrupção dentro da pasta. O senador Randolfe Rodrigues, da Rede, chegou a reunir 27 assinaturas, mas três parlamentares retiraram seus nomes da lista em seguida, depois da pressão do Planalto, alegando que a comissão seria usada como palanque eleitoral – Randolfe é coordenador da campanha de Lula. Caso a estratégia siga adiante, os governistas ameaçam retaliar com a abertura de outra CPI, para investigar obras abandonadas pelos governos do PT e do ex-presidente Michel Temer, do MDB.

Aloisio Mauricio /Fotoarena/FolhapressAloisio Mauricio /Fotoarena/FolhapressWeintraub: Bolsonaro mandou entregar o FNDE ao Centrão
Enquanto isso, senadores têm usado a Comissão de Educação para ouvir os suspeitos de envolvimento no escândalo do MEC. Na semana passada, o presidente do FNDE, Marcelo Ponte, confirmou aos parlamentares ter participado de ao menos quatro audiências com os pastores lobistas, mas negou ter testemunhado qualquer prática ilícita. Indagado sobre a suspeita de sobrepreço no pregão dos ônibus escolares, o homem de Ciro Nogueira mentiu ao dizer que havia reduzido o valor previsto no edital depois de um alerta feito pela área técnica e antes de o caso ganhar o noticiário. Ponte esteve cotado para assumir o ministério após a demissão de Milton Ribeiro, mas o Palácio do Planalto preferiu uma solução interna menos polêmica, promovendo o secretário-executivo Victor Godoy, funcionário de carreira da Controladoria-Geral da União, a CGU.

De qualquer forma, a chave do cofre do MEC continua nas mãos do Centrão. Segundo o ex-ministro Abraham Weintraub, essa foi uma determinação expressa do presidente da República. “Ele (Bolsonaro) falou: você vai ter que entregar o FNDE pro Centrão. E eu falei: presidente, não faça isso”, disse Weintraub em entrevista à CNN na última terça-feira, 12, referindo-se a um diálogo que teria tido com o presidente Jair Bolsonaro, em março de 2020. Três meses depois, os indicados de Ciro Nogueira e Valdemar Costa Neto já estavam dando as cartas no fundo da educação. Ainda de acordo com Weintraub, que continua bolsonarista apesar do fogo amigo, foi o general Luiz Eduardo Ramos quem convenceu o presidente a abrir as portas do MEC para caciques do PP e do PL, em troca de apoio no Congresso. Hoje ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Ramos é apontado como um dos responsáveis pela contra-ofensiva do Planalto que evitou a instalação da CPI. Recursos para isso não faltam.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Por reportagens como esta é que a Crusoé afundou…mentiras atrás de mentiras… E depois vem com histórias de jornalismo verdadeiro… Nunca escreveram sobre o que esse governo fez -e faz- de bem para o País!!! E não venham dizer que não fez nada!!! Mas a Lei do Retorno está chegando …

  2. Para isto aqui, so ha uma solução.Implodir esta merda. Redescobrir 10% do que esta ai , e não deixar Portugues chegar perto.

  3. Parabéns à CRUSOÉ, por desvendar tantas falcatruas desse “ nefasto desgoverno”. Estamos vendo o Putim, destruir a Croácia! Mas, ele defende a RÚSSIA! Na história da humanidade, somente Nero, incendiou Roma! Esse maldito Presidente do BRASIL, está implodindo o País! Ninguém ousa interromper a corrupção, o armamento civil, o desemprego, a fome, a distribuição escancarada do dinheiro público, as ridículas motociatas, e sua antecipada campanha eleitoral!!! Estamos vivendo num CIRCO DE HORRORES!

  4. Todos os patrocinadores das falcatruas cometidas no país, sabem o povo que o país tem… Uma praga que vem dos tempos coloniais e que atualmente se escancara diante da estupefata sociedade, que no entanto, não reage à altura de tanta desfaçatez!

  5. Esse uso do Fundo para comprar apoio de parlamentares foi largamente usado no período Fernando Haddad. Aumentou a quantidade de cursos de baixa qualidade e de formados analfabetos funcionais!!!!

  6. Com a supressão do valor sobreposto no leilão, R$732 milhões, este governinho sem vergonha estaria deixando de adquirir pelo menos 2.167 ônibus escolares. Coisa que não faz falta alguma à nossa população, principalmente a mais carente. Me impressiona como uma pessoa pode se tornar um verdadeiro lixo humano quando se utiliza de um cargo de poder para estar se lixando para as necessidades das pessoas as quais ele deveria estar ali para servir. Nauseante!

  7. Tudo isso não surpreende se até o STF, em especial Gilmar, não consideram mais a corrupção um crime

  8. Brasil um País de analfabetos, sem um passado de orgulho , e sem um futuro promissor . Sempre tolerou a corrupção achando tudo normal , o único fato histórico que nos dava orgulho era a Lava Jato que à imprensa ajudou a enterrar.

    1. Se os brasileiros tivessem vergonha na cara, não falariam sequer nos nomes desses “CORRUPTOS” que implodiram o BRASIL e querem destruir o restinho que sobrou! A melhor campanha seria ZERO VOTO nas urnas!!!

    2. Se fossemos um povo com um mínimo de civismo , teríamos mudado isso.

    1. Indecente a desfaçatez desses senhores ... Lesa Pátria, deveriam ser enforcados em praça pública

  9. uma corja que rouba o cofre público há décadas e a sociedade fica omissa, a única esperança foi a lava jato que hoje está morta e seus heróis perseguidos descaradamente

  10. Uma situação impressionante está ocorrendo com a sociedade brasileira: não manifesta nenhum sentimento de indignação, postura omissa e disputam nas pesquisas eleitorais a polarização , o candidato que já depenou o País ou o candidato está atualmente,depenando. É deprimente como a corrupção se torna aceitável. Vamos continuar a "guerra" contra os Deltans e os Moros. Viva o Brasil ,terra da Banana e da Mandioca.

    1. Um povo ignorante , que não se inteira das notícias , e que escolhe somente os populistas . Sérgio moro não tem chance por aqui … ainda não temos nível para escolher um presidente sério e anti corrupção …

  11. MEU LIVRO “O INROTULÁVEL”. Link de acesso: https://www.amazon.com.br/dp/B09HP2F1QS/ref=cm_sw_r_wa_awdo_PQSA5Z6AXXH2SX16NH87 ..............................................……. #ÉMOROouNULO: o ACORDÃO dos DEGENERADOS MORAIS para EVITAR o IMPEACHMENT do BOLSONARO e TIRAR LULA da CADEIA! os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

    1. Mas parece que vc, bem informado, sabe de onde Moro tirou este dinheirinho né? Ignorância rara!

    2. O molusco 🦑 quer voltar e tem muito orelha seca que acredita nele. O Moro é um coitado mas já ganhou um bom dinheirinho não se sabe de quem. Nesse governo as estatais deram lucro, e a educação está na pior porquê os petistas destruíram ela com sua ideologia imbecil…

Mais notícias
Assine agora
TOPO