MarioSabino

Ser do passado

09.06.22

A velhice tem início quando você começa a ser tempo passado (ou perdido) para gente mais jovem. Um exemplo cotidiano e bastante ilustrativo: você envia mensagens e elas não são lidas, ou são lidas horas mais tarde — e, quando respondidas, é de forma lacônica, protocolar, condescendente ou enfadada. A pessoa pode lançar mão também de emojis, o que a livra logo do velho e ela pode continuar online com gente mais interessante. Quando envelhece, você se torna tempo passado (ou perdido) até para os filhos crescidos.

Descobri, recentemente, que sou trotskista. Não porque me tornei adepto das ideias esquerdistas do revolucionário russo Leon Trótski — isso seria ser um velho ridículo –, mas porque encontrei no seu Diário no Exílio a formulação exata para uma constatação geral: “A velhice é a mais inesperada das coisas que acontecem a uma pessoa”. O aspecto mais previsível da vida é, paradoxalmente, o mais inesperado. Um belo dia nublado, você começa a ser tempo passado (ou perdido) para os outros e não sabe exatamente como a coisa se deu.

Há quem lute para adiar esse momento, como recomendou o poeta Dylan Thomas (que morreu antes dos 40 anos): “Não aceite docilmente essa bela noite; enfureça-se, enfureça-se contra o apagar das luzes”. A fúria poética tem contraponto lucrativo na indústria voltada para a resistência epidérmica, com resultados às vezes questionáveis, mas, de modo geral, satisfatório no seu aspecto enganador: o de podermos aparentar menos idade do que realmente temos.

O que é difícil de renovar é a alma velha que você se tornou. Uma alma que, ressabiada pelos anos derradeiros, tropeça nas próprias hesitaçōes e inseguranças e exaspera os mais jovens nos seus anos iniciais ou situados no meio do caminho das nossas vidas. Como um velho pode hesitar, se é justamente o maior sabedor da brevidade que lhe devora a existência? Que direito ele tem de ser inseguro? Não viveu o suficiente para adquirir logo a certeza sobre seguir um caminho que certamente lhe daria um vida melhor e a chance de deixar de ser tempo passado (ou perdido)? Uma vez alcançada, contudo, a certeza de um velho pode ser tardia demais.

Eu e as minhas divagações.

Não sou consumidor da indústria de cosméticos e procedimentos estéticos, mas me dizem com relativa frequência que, aos 60 anos, pareço mais jovem do que sou (a frequência está diminuindo). Quando tinha 46, tive de tirar um pedaço do intestino, depois de ser diagnosticado com diverticulite. Antes da cirurgia, o anestesista me tranquilizou, afirmando que eu aparentava ter dez anos menos. “Isso significa que, por dentro, você também é mais jovem”, disse ele. No ano passado, com 59, ao ser internado para fazer uma ablação, agora diagnosticado com arritmia cardíaca, ouvi observação semelhante de um dos médicos. A verdade, porém, é que me vi em mesas de operação por causa de doenças que são mais comuns e mortíferas em pacientes mais velhos do que eu. Aos que afirmam que pareço mais jovem, costumo responder que meus pais morreram quase sem rugas.

Há coisa de um mês, mais ou menos, fui tomar um sorvete na esquina da minha rua, acompanhado do meu filho de 16 anos. Na volta, ao cruzarmos um bar com mesas na calçada, ouvimos um elogio feminino dito em voz alta. Comentei com o meu filho: “Você faz sucesso, hein?” Ele riu: “Era para você, pai, eu vi. Você está bonitão com essa barba meio branca”. Extraí mais graça do que vaidade do episódio. O álcool evidentemente havia melhorado bastante a disposição da moça para barbas meio brancas. Mas entendo que haja velhos que se sintam revigorados por momentos como esse. Afinal de contas, a velhice é também “quando um dia as moças começam a nos tratar com respeito e os rapazes sem respeito nenhum”. A frase é do poeta Mário Quintana.

A velhice tem início quando você começa a ser tempo passado (ou perdido) para gente mais jovem. Estou passando (e me perdendo na perda do outro), e não há o que fazer. Insistir em se fazer presente parece patético. Nesta semana, um tuíte do perfil Mad Men Quotes, com frases da série americana, dizia: “Não desperdice a sua juventude com a velhice”. Muita gente jovem curtiu. Lembrei que o escritor Italo Svevo atribuiu à palavra senilidade um excesso no amor e, assim, sinto-me à vontade para enviar um emoji de coração a quem não mais se desperdiça comigo: ❤️

 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Então, estou igual a vc...mandando emoji para tudo. Sou da mesma geração, rsrs. Mesmo que a turma novinha ache "cringe"...hehehe. Encurta a conversa, é ótimo. Se os demais tiverem sorte, também estarão condenados a invisibilidade. Não creio que nós "idosos" seremos incluídos na campanha "inclusão para todos". Bora curtir aquilo que eles ainda não descobriram. Viva os meus fiozinhos grisalhos!

  2. Mario, Tenho uma "tática" para ter um pouco de conforto sobre esse tema: Fernando Henrique Cardoso e Fernanda Montenegro têm 90 anos. Estão ativos e relevantes. Ainda faltam 30 anos para você chegar nessa idade. Aproveita, meu jovem! Saúde, paz e alegria! ❤️

  3. Suas divagações são como terapia para mim... prefiro seus comentários políticos no dia a dia... Vida longa e próspera🖖 !

  4. Não se iluda com a urgência dos jovens, Mário. Cito Nelson Rodrigues (em A Bofetada): "O defeito do jovem é o velho. (...) Falo dos [velhos] que erguem a cínica bandeira da imaturidade". Bandeira que entopem os jovens de certezas absolutas.

  5. Mestre Mário. Fácil perceber que 98% dos leitores desta revista, já são “entrados” na faixa dos 60 em diante. E percebo também que os textos de todos são bem decididos, muitas vezes ferinos, provocativos, até críticos e interpelativos, quando em desacordo com outros comentaristas, akguns ate grosseiros e mal educados, mas todos seus fãs incondicionais. Mas ainda prefiro suas análises políticas. Pq não volta pra ela, vez em quando?

    1. Valeu grande mestre.. ficarei aqui atento às suas próximas incursões no “-affaire” da complexa e estúpida seara da política tupiniquim. Obgado pelo seu comentário ao meucomentário.

    2. Caro Alvaro, obrigado por ser leitor dos meus artigos. É que neste espaço aqui prefiro sair da minha sina de todos os dias. Mas voltarei a falar de política também. Abs.

  6. Não entristece não Sabino! enquanto seguimos vendo pegadas a frente e esquecendo das que deixamos pelo caminho, o espirito jovem prevalece! como diria meu amigo gaúcho, " bah, que texto tche!!!"

  7. Mestre Mário. Repassei seu esplêndido texto (com a fonte, claro) a vários amigos meus. Velhos iguais a mim. Tenho 73. Nunca recebi tantos elogios. Repasso todos a você. Isso só aumentou a minha inveja.

  8. Mario, está na hora de lançar outro romance. Você está inspirado. É agora. Sou da sua geração e a força e beleza não são mais epidérmicas. Estão nas palavras.

  9. Tenho 71 anos. Será que sei do que você fala? É conhecida a frase que diz que a vida é um eterno aprendizado. Verdade. O que tenho aprendido de nomes de doenças e de remédios é impressionante. Nada a reclamar. Faço galhofa apenas. Ademais ainda aprendo com o nosso sempre jovial Quintana. Aprendo e me emociono. Com você também igualmente jovial e igualmente Mário. Abraços...Ney

  10. Mário, muito bom o seu texto. Mas a mim, a terceira idade deu uma total independência da opinião dos outros. Como se, finalmente, eu estivesse livre de ter de agradar quem quer que seja.

  11. Eu não entendi esse final 😬🙈! É "deixou de se desperdiçar", mesmo ou "deixou-se desperdiçar cmg"? Eu não entendi mesmo, mas acho q as pessoas estão envelhecendo muito bem, não só fisicamente, mas com uma cabeça muito "boa", cheias de ideias e planos. Muitas desesperanças, vdd,mas, qm mandou nascer nesse mundo😒?! Mandar msg e o fulano ler e não responder ou responder bem mais tarde não tem a ver com velhice de qm mandou, tem a ver c a falta de educação de qm recebeu... De qqr forma: 💖💖💖😘🤗

  12. Me identifico com várias situações relatadas, afinal já tenho 62 e tenho um filho de 15 anos. E a vida segue

  13. Adoro seus textos. Se os 40 são os novos 20 anos, então os 60 são os novos 40...kkkkkk... E pra ser bem "cringe" fica aqui meu emoji pra você 🤗

  14. Prezado, Mario Sabino! Para os que já passaram na via, uma década, ou mais, além da sua, aprenderam: a idade do indivíduo é instável dependendo das circunstâncias. Nesse contexto, caso estejam permeando protagonistas muito poderosos e endinheirados, serão sempre o centro das atenções, independente do tempo passado.

  15. ...e eu, que andava "namorando" com os olhos uma moça funcionária de um supermercado local e recebi dela a seguinte percepção: "Vai de quê, coroa?"

  16. Sou mais 'velha' que você e posso afirmar: Vai ter razão assim, lá...onde você quiser. Afinal, quem escreve com tanta qualidade e imaginação, está em todos os lugares; melhor ainda, está nas mentes e corações, tanto de jovens, como de 'velhos'. Never Yield! ;-)

  17. Seu tempo passado é um achado para quem adora as suas divagações. Obrigado pelo seu presente (ou passado)!

  18. Oh Mário que lindo. A moça tinha razão você está um charme com essa barba. Também estou no time dos sexagenarios, fazer o quê....rsrs

  19. Como sempre, espetacular e fantástico nos temas mais cotidianos e simples (que não é este caso!!). Show!

  20. "Resistência epidérmica"! Gostei muito da expressão. Vou sugerir a dermatologistas que a adotem como nome de clínica. Nem vão notar a ironia.

  21. Um doce de coco para você pelo lindo e singelo comentário. É mais que um emoji 🧡, mas sim 🍬🍬 (beijinho de coco 🥥 não tem)

  22. Estamos na iminência de sermos governados por pessoas com idade e ideias do século passado. Pessoas já testadas e até reprovadas em alguma medida. Daqui, dos meus 78 anos, sinto-me muito incomodada com essa situação!

  23. Quando era bem jovem, percebi o que me aborrecia nos mais velhos era aquele excesso de verdades cristalizadas. Não havia possibilidade de trocas e as conversas, apenas por educação, derivavam sempre em monólogos. De antemão sabia que só queriam ser ouvidos e isso não mudava em função da inteligência ou cultura. O idoso também não desaprende a dialogar?

    1. Um bom e oportuno questionamento, Silvana.

  24. Amei seu texto, pois estou com 61 e me sinto como vc. E amei os comentários que li!!! Bom saber que envelhecemos em grupo e podemos trocar figurinhas e aprender com quem está alguns passos à nossa frente. Que Deus nos dê sabedoria em aplicarmos nossa experiência de vida corretamente....e nos dê alegria nesta nova fase de vida....sem complexos!!

  25. Fadiga biológica de material. O metabolismo, - já o demonstrou a ciência -, que quase não se altera entre os 20 e os 60, começa a a despencar e a direcionar os humanos para seu encontro com o destino universal da espécie. E pouca coisa é tão asquerosa quanto idosos se engraçando com moças.

  26. Mário, quando chegarmos aos oitenta (tenho 61), a gente conversa de novo. Também tenho cara de menino, mas ossos e pele de 61. E, principalmente vitalidade e paciência para chegar aos 86 de meu pai ou quiçá aos 99 do meu nono.

  27. Mário, não concordo que os mais velhos (eu já tenho 75!) não podem hesitar, têm que ter certezas. Eu cada vez me dou mais o direito de dizer não sei. Ou o direito de mudar de opinião. Adoro o Raul Seixas e a sua máxima: "Prefiro ser uma metamorfose ambulante. Do que ter a velho opinião formada sobre tudo."

    1. Isso é segurança e serenidade adquiridas com a idade e calejamento pelas cabeçadas que damos na vida. Em outras palavras: sabedoria.

  28. A vida não tem nenhum propósito além de si mesma (F.A.Hayek), logo, vivamos sem gastar tempo tentando descobrir eventuais razões, se é que existem, para estarmos aqui.

    1. Pra mim foi extremamente libertador assumir que a vida não tem nenhum sentido mesmo, porque assim parei de procurar e fui ser feliz curtindo o que aparece.

  29. Sabino boa tarde. Desperdício ZERO com a leitura de suas palavras que me leva a refletir sobre o que não quero. Acho que é porque estou trafegando nos 68 e .e considero jovem, já que meu pai partiu com 99. Vamos aproveitar a experiência da idade e as vantagens que vêm com o derradeiro avançar dos anos. Feliz Vida aos idosos!!!

  30. Sessenta não é velho! Há mta coisa ainda pela frente. Vc se dará conta da idade ao chegar aos 75 anos. A gente só começa a sentir o peso da idade qdo beira os 80. Aí passamos a ser invisiveis. Ao divisar a porta de saída da vida. Ela estará lá aberta o tempo tdo, pra lhe mostrar que vc já escreveu sua história. Vc a divisará todas as manhãs, qdo se der conta que ainda vive. Mas precisa seguir mesmo que tdo pese e assuste. Quem morre antes dos 80 no fundo se livra dessa agonia.

  31. Belo e esclarecedor texto. Interessante identificar coisas que acontecem em nosso dia a dia e, imediatamente, se dar conta de que é isso. Como ainda não tinha percebido? Hora de viver de outra forma!

    1. Há pouco tempo elogiei um ex-professor que reencontrei passado dos 90, que está em melhor forma do que eu. Ao que ele respondeu: é só a lataria, minha filha. Gostei da resposta e do bom humor dele.

  32. Seus textos são uma delícia de ler! Meus 60 adquiridos ainda essa semana ainda estão me causando certa vertigem, mas logo vem a acomodação e a busca pelo eterno “lado bom”.

  33. A idade é consequência da vida vivida. Cada um dá o valor que lhe dá siginificado. E, parodiando Millôr, viver é perigoso... e como ele, prefiro a morte do que morrer.

  34. Ah Mario....tenho 7.7 e me vi retratado nesta coluna. Alguns dos meus netos me respondem, principalmente o mais velho -corintiano, devido influência e ameaças minhas quando pequeno. Abração!!!

  35. Tenho quase 77. Na última segunda-feira pisei de mau jeito numa guia de meio fio e caí. Dei com a cara no chão, machucou bastante o osso da face. Dane-se. Estou - talvez - vivendo a última série de minha vida atual, mas tenho sentimento de que meu espírito ainda é jovem e tem muita coisa para produzir no futuro. Mesmo que o futuro esteja em outra dimensão. Os filhos e netos que já não respondem também passarão por isto, obrigatoriamente. Portanto, deixemos que eles vão pentear macacos.

    1. Eles também chegarão lá. A sucessão de gerações não perdoa nem poupa ninguém.

  36. Mário, você está na crise dos 60, estou nessa também. Não é fácil. Só posso falar que minha mãe recebe muitos elogios. Já chamaram ela, na rua, de Rainha Elizabeth, em Londres e aqui no Brasil. Ela é baixinha, cabelos brancos e usa uns chapeuzinhos do modelo da Rainha. Acho que essas chamadas ajudam ela a enfrentar a velhice.

  37. Mário, aos 68 também percebi que sou “tempo perdido” de muita gente, incluindo amigos e familiares. Raramente tenho respostas simultâneas às minhas mensagens. Constatar isso me libertou de responsabilidades e compromissos assumidos. Me fez entender que sou eu que não posso desperdiçar meu tempo comigo mesmo e me fez sair em busca de realizar meus próprios sonhos abandonados em função das responsabilidades por outros assumidas ao longo da minha vida.

  38. “Ser do passado” já foi “ser do presente”, e na verdade, sempre seremos “ser do presente” … não importa a idade e o que nos atropelou. Aquilo que guardamos no ❤️ jamais será roubado, é a vida, bem ou mal, vivida…. nossa historia, nosso caminho…

  39. Novamente inteligentemente Mario atingiu em cheio o âmago de seus leitores. Para comprovar o texto, passei pela mesma experiência e mesma ideia com a remoção do sigmoide em decorrência da diverticulite e pela colocação de um stent em função de uma isquemia vascular. No mais, envelhecemos nas mesmas condições de temperatura e pressão. Parabéns pelo belo e reconfortante texto periódico.

  40. Obrigada Mario! Delícia ler mais um artigo seu!Completei 60 anos há três anos; estar no supermercado e decidir ir ou não para a fila dos idosos foi o momento em que eu, inesperadamente, constatei: sou idosa e preciso conviver com o ostracismo que se manifestava aos poucos. A velhice é uma merda mas, ainda assim, tem vida também neste cenário. Vamos vive-la.

    1. A vida também pode ser uma merda, Maria. Por isso não me importo de envelhecer, mesmo com dores, achaques e indiferença por parte dos jovens. Tenho amigos e curto fazer muitas coisas sozinha. Alguém já disse que envelhecer é uma merda mas a alternativa é muito pior. Teria sido Tônia Carrero?

  41. Eu me vi dentro do seu texto. Finalmente eu entendi o que começa acontecer com a relação do meu neto mais velho comigo. Criança que eu praticamente criei e que tenho um amor danado, que chorava para não ir embora da minha casa,agora depois de adolescente já não me procura, ja não atende minhas ligações, já não lê minhas mensagens de whatsApp e quando lê não responde e quando responde é 3 ou 4 dias depois. É como diz um amigo: "A medida que envelhecemos começamos também a ficar invisível".

    1. Na adolescência ficam assim, precisam afirmar sua suposta independência. Depois de adultos eles voltam.

    2. De certa forma me surpreende a reação dos leitores aparentando uma constatação tardia da realidade dos idosos. Tive a sorte de não me iludir em relação ao que esperar quando esse momento chegou.

  42. Do jeito que falou da mãe já ausente com muita emoção, do barbeiro que havia morrido, do tempo que resta, definitivamente Sabino chegou à última idade. Felizmente bem lúcido e escrevendo bem.

  43. Sem emoji, Mario. ... Fiz 64 em 12 de maio. Você, 60 em 7 de abril. ... Vale a pena estar acordado para poder ler você. ... Vale a pena ter cabelos brancos. ... Sou fã de seus textos.

Mais notícias
Assine agora
TOPO