DiogoMainardina ilha do desespero

“Os brasileiros devem ser montados ao menos uma vez por semana”

15.07.22

Fui expurgado da Veja. Apagaram de seus arquivos tudo o que publiquei em 22 anos como colaborador da revista. Não é uma grande perda. A imprensa sempre teve esse caráter de provisoriedade. Devo ter escrito uma coisa boa para cada quinze ruins. O saldo desse cancelamento, portanto, é vantajoso para mim.

Só descobri que havia sido expurgado da Veja no último domingo, depois de ler na Folha de S. Paulo uma coluna de Ruy Castro, em que ele dizia:

“Ivan Lessa foi autor de frases que nos fazem dolorosamente entender o que somos e por quê. Uma: ‘De 15 em 15 anos, o Brasil esquece o que aconteceu nos 15 anos anteriores.’ Outra: ‘O brasileiro é um povo com os pés no chão. E as mãos também.’ E, quando os militares bradaram ‘Brasil, ame-o ou deixe-o’, Ivan completou: ‘O último a sair apague a luz do aeroporto.’”

A luz se apagou de uma vez por todas quando Ivan Lessa morreu — o meu Ivan Lessa.

Como tenho pensado obsessivamente na morte de meus afetos, procurei na internet o que eu disse sobre ele quando um enfisema pulmonar o matou, em 8 de junho de 2012. Encontrei o depoimento que dei para o Jornal Nacional:

“Ivan Lessa foi o melhor escritor brasileiro até o fim, quando precisava de uma bomba de oxigênio para respirar. Com sua morte, quem fica sem oxigênio é o Bananão, como ele chamava debochadamente o Brasil. Por sorte, uma cultura de zumbis como a nossa não precisa de oxigênio para respirar.”

Na época, publiquei também um textinho choroso na Veja. Quando tentei resgatá-lo, porém, o motor de buscas de revista desculpou-se educadamente e informou-me que o link daquele textinho choroso “não existe mais, mudou de endereço ou houve um erro de digitação” — o que corresponde perfeitamente ao meu estado de espírito atual, que oscila entre a ausência completa e a tecla errada.

A Veja só manteve em seus arquivos um trecho de um podcast que gravei em 2007, e que foi transcrito por Reinaldo Azevedo, que replicava tudo o que eu fazia (quando ainda precisava de mim). No podcast, eu dizia:

“‘Se Robespierre tivesse nascido em Crato, Ceará, ele se chamaria Danton’.

A frase é de Ivan Lessa. Está em Gip-Gip Nheco-Nheco, uma coletânea de suas frases publicadas no Pasquim entre 1972 e 1977.

Outra frase de Ivan Lessa, reunida em Gip-Gip Nheco-Nheco:

“Os brasileiros, para não perder a forma, devem ser montados ao menos uma vez por semana” (…).

Eu lia Ivan Lessa em 1977. Mas só o conheci pessoalmente algum tempo depois, em 1980. (…) Ivan Lessa foi a pessoa mais importante da minha vida, fora do círculo familiar. (…) Eu tinha 18 anos. Toquei a campainha de sua casa, em Londres, e pedi para ser adotado. Ele me adotou.”

Não sei como continuava o podcast. E nunca vou saber. Mas não importa. Aquele Brasil não existe mais. Virou um simples erro de digitação.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Assinei a Veja durante um tempo, e ao abrir a revista ia direto pra última página ler a sua coluna. Um absurdo apagarem uma parte tão importante da própria revista, textos que contam a história de uma perspectiva muito especial.

  2. Fui sua leitora assídua na VEJA. Um texto me marcou muito. Aquele que conta sobre seu filho vencendo a gravidade. Lindo demais! Este país é miserável!

  3. Diogo Mainardi, fui sua leitora assídua da sua coluna na Veja, comprei livros seus e ganhei outros. À época, Lula ñ era unanimidade, pq você já apontava falcatruas no governo petista. Só desse tempo.

  4. Deixei de assinar a Veja quando você saiu, pulei para o Antagonista faminta por boa e idônea informação, além de uma deliciosa ironia e sarcasmo. Ser cancelado assim, apagado da história, deve dar mesmo um sentimento de tristeza, melancolia...de alguns tempos para cá muita informação começou a sumir, e vai piorar muito. Eu tive um lapso de esperança no brasileiro e no Brasil durante a Lava Jato, mas foi bem curto. Logo este povo "macunaímico" provou que não muda e ainda é capaz de piorar muito.

    1. Diogo não dá a mínima bola para a Veja e outros. ... Tem filhos e família lindos. ... Tem os que o admiram. ... Sou um deles, a esta hora, esperando sua próxima coluna.

  5. Mainardi, este post magnífico conflita minha reação sobre o tema. Uma mistura de admiração com tristeza e desânimo, afinal vivo aqui e aqui morrerei. Impacta a mudança da Veja depois do Civitta, e me incomoda está história de ser montado pelo menos uma vez por semana. Alegro me em saber que ainda sei dar coices.

  6. Há tempos, tb larguei a Veja, ao perder totalmente a alegria em recebê-la depois q virou "preVista". A CRUSOÉ é 1 SUPER ILHA e VOCÊ É 1 SUPER COLUNA, DIOGO, DAQUELAS ROMANAS, FORTES e NOBRES. É daquelas BOAS E GENIAIS PESSOAS em quem A GENTE pensa direto qdo pensamos no MELHOR DO BRASIL e, há muito faz parte da elite da RESISTÊNCIA BRASILEIRA, AQUELA q c/ ou s/ subtrações do seu trabalho, permanecerá p/ sempre em nossas mentes e corações, tendo angariado credibilidade, respeito e toda admiração.

  7. Texto triste, Mainard . Melancólico! Que o Brasil é fraco de memória todos nós sabemos…mas não tem como expurgar 22 anos de história com uma revista.

    1. O mais triste é constatar que vc está coberto de razão., Mainardi. Lendo seu texto, fiquei com vontade de chorar. Como é possível passarem a borracha em 22 anos de história? Impossível. Escarafuncha que acha. Tenho medo desse país sem memória; se fizeram isso com vc que tem visibilidade, imagina conosco? Vão acabar apagando nossos CPFs.

  8. Olá, Eu sempre li suas colunas na Veja, tbm fui assinante da revista e foi isso e por outras, tanto nas reportagens como pelas outras colunas tendenciosas, que deixei de assina'-lá, e assim assino agora a Crusoe'. Continuem a serem independentes!!!

  9. Você não alivia, Diogo. Estou feliz em voltar a ler a Crusoé, minha assinatura venceu há umas duas semanas, fiquei com preguiça de renovar por telefone.

  10. A citação que dá título ao texto é tão dura, mas tão verdadeira que dói na alma só de ler. Confesso minha ignorância quanto ao Lessa, buscarei corrigir isso.

  11. Lamentável essa constatação de cancelamento de suas colunas, eu não perdia nenhuma. Aconselho você utilizar a biblioteca física das revistas Veja e publicá-las em um livro.

    1. Eu só assinei Veja enquanto Mainardi comentava, com muita propriedade, as situações em que nos vivenciamos neste país . Também gostava do Guzzo mas, infelizmente, este deu uma guinada e perdeu o rumo e a coerência

  12. Eu ja disse esta besteira uma vez porem vou repeti la !! O Brasil só tera jeito qdo nao existirem mais politicos ! Vamos provatizar Brasilia ! Vai sobrar 1 trilhao por para investimento

  13. Em Banânia há dois Perons: Lula e Bolsonaro. Os bananienses adoram isso. O que não querem é ficar sem um Peron. Que país de droga!

  14. Qual é o poder que setores da imprensa tem em procurar conservar só o que lhe interessa , e deixar seus leitores órfãos de alguns parágrafos por ela preteridos.

  15. Diogo falou tudo 👏👏 eu desisti do Brasil, não vou conseguir mudar absolutamente nada neste país pobre, que infinito só mostra mais miséria porque assim alimentará todos esses canalhas no poder. Voto por obrigação mas vou anular todos, nenhum político me representa mais. Só se Moro se candidatar a alguma coisa, nele eu voto, merece meu respeito e Deltan também. Eu não tenho a sua sorte de poder ir embora desse país afundado na lama em todos os aspectos, sociais, educacionais, (in) justiça e saúde

    1. Concordo com vc Danton, pena que também não posso sair

    2. Oi Dalton. Casuza já disse há mais de trinta anos ( que pais é esse). Hj digo " triste país".

  16. Realmente vivemos tempos dificeis... mas tudo passa e o Brasil precisa sofrer para crescer...vamos aguentar firme Diogo, agora eh contenção de danos...

  17. Em 2018 houve as maiores renovações do Senado e da Câmara, dos 30 anos de nossa Constituição. Muitos nomes eram novas caras, e eu renovei as minhas esperanças de termos finalmente o começo de um Brasil decente. O "mecanismo" os doutrinou e os disciplinou bem rápido, ao ponto de não fazerem nenhuma diferença ao status quo, até hoje. Agora, chegamos ao estado da arte dessas instituições mafiosas, ao aprovarem na cara dura uma PEC criminosa, que avacalha a própria Constituição Federal e o país.

    1. Parabéns Paulo! queria ter a sua competência para descrever o Brasil hj tão bem como disse! Que país é esse! já disse Casuza! Até quando?

    2. ....e o silêncio ensurdecedor das ruas!!! qual o tamanho de nossa responsabilidade??!!

  18. Alguém aí pode explicar esse fenômeno Bolsonaro? _ O homem por onde quer que ande, arrasta multidões para recepcioná-lo, evento quase que em forma de adoração, algo nunca visto na história deste país. __ Hoje em Fortaleza a recepção ao PR., foi transcedental. __ Corram todos lá no youtube, blog do Eduardo Bolsonaro e confiram a matéria.

    1. Arre! Será que o comentarista e isento de paixões em seus comentários?

    2. O PAULO PTralha lamentando o fracasso da empreitada para assassinar o PR. _ Pela revolta, o cara deve ter tido corneado recentemente, pois o galhudo sequer esconde a frustração pelo fracasso do Adélio.

    3. Explico: (kkkk) é que os 20% que o idolatra, segue ele segamente, não importa se purgatório ou inferno

    4. Deve ser por causa de seu legado, das profundas transformações e melhorias irrefutáveis que o Brasil tem experimentado nos últimos 4 anos, sob qualquer aspecto que se examine (qualquer um). E imaginar que uma facada quase impediu tudo isso. Se a faca usada fosse só um pouco mais longa, ou mais larga, o Satanás o teria arrastado para a caldeira mais funda do inferno. Maldito Adélio.😡

  19. Pois é Diogo velho de guerra. Eu assinei a Veja desde o seu numero 01, la pelos anos 60 (o que denuncia minhas longas primaveras). Continuo assinando, feito um desvairado leitor viciado. Mas, reconheço, a Veja tornou-se uma “cegueta”. Não dá pra ver mais nada. E virou uma revistinha desonesta. Descobri, recentemente, que esses fdp me cobraram, por muito tempo, duas assinaturas para o mesmo nome: o meu. São uns pulhas. Esse tal de Fábio Carvalho, um assecla do velho Lula.

  20. A Veja já foi uma boa revista, mas deixou de ser há muito tempo. Que absurdo, isso. Por que? Então você não gosta da carta e mata o carteiro? Revistinha medíocre. Espero, Diogo, que você tenha guardado cópias de seus textos.🙏🏻

  21. sabe, tive um marido maravilhoso que morreu a 15 anos,eu lembro que ele assinava a veja e começava sempre pelo Mainardi café da manhã do domingão só dava Mainardi e no final ele sempre dizia! esse menino sabe das coisas! hoje quem diz sou eu! que saudade!

  22. Nossa! que coincidência. Postei na matéria do Graieb que quase enviei um artigo para o NYT, mas acabei 'enviando' pra uma pasta das minhas filhas. O artigo também se inspirava em Ivan Lessa: "Four years we'll be robbed; another four years we'll be killed and so on. Hey world, learn from us." Depois passei aqui. Bacana saber disso.

  23. Acompanho o trabalho de Diogo como Jornalista e Escritor há anos. Até muitas vezes DISCORDO BASTANTE DELE, mas não esqueço o que ele disse em certa ocasião. " O Brasil não tem partidos políticos de direita, de esquerda, de nada. Têm um bando de salafrários que se reúnem para roubar juntos ". Essa, para mim, é uma definição perfeita do sistema político brasileiro. E nunca conseguirão " apagá-la ".

    1. Oi Gilberto. Concordo com vc, depois dessa aprovação da PEC acabou o nosso País! Virou esculhambação! Mudar a Constituição para aprovação da PEC da cara de pau é um escárnio para os brasileiros que sabem ler e escrever. Triste fim!

    2. Perfeito. Que descrição lúcida e cristalina, essa de Diogo sobre o nosso sistema político. 👏🏻👏🏻👏🏻

  24. Eu assinava a revista para ler o Mainardi. Um dia li na capa "PT era vidro e se quebrou"... que pena, ainda existe PT. Mas também existe Mainardi. VEJA era vidro e se lascou, um dia espatifa.

    1. Isso de nem lula e nem Bolsonaro fo ajuda a esquerda maldita

    2. Não faça isso porque é tudo que a esquerda quer e pior que Bolsonaro é a esquerda maldita.

  25. Quando assinava a Veja criei o hábito de começar a revista de trás, só para chegar mais rápido na coluna de Diogo Mainardi, depois que vc saiu parei de assinar a revista, perdeu a graça.

    1. Luiz Carlos eu também fui assinante da Veja por mais de 30 (trinta) anos. Portanto, antes do nosso Mainardi chegar lá. Mas o meu cancelamento da assinatura ocorreu logo após a saída do escriba Mainardi, que à época era para grande parte dos assinantes da Veja, a maior atração daquela revista que se tornou um reles pasquim de quinta categoria.

  26. Diogo, tb estou absolutamente desanimada com o Brasil, ainda bem, pelo menos, tenho você, Mário, Cláudio para compartilhar dos mesmos sentimentos. Mas tenho fé, os ventos tem que mudar uma hora. Ah, te acompanho desde a Veja e como tantos, começava a ler pela última página.

  27. Ivan Lessa, Paulo Francis e Diogo Mainardi - os três maiores nomes do jornalismo brasileiro! Cultos, inteligentes e, sobretudo, coerentes.

  28. Fui íntimo do Ivan Lessa (aliás Edélsio Tavares) pois assinei "O Pasquim" desde o n. 44 até o n. 1000 e poucos, quando "degringlolou" com rachas internos e adesismos partidários e ideológicos. A turma mais inteligente não decaiu e continuou por aí. Podia ser mais à esquerda, mas não era burra, sectária, brega, primária e bitolada como a esquerda de hoje. Talvez fosse mais contra-cultura mesmo, não alinhada ao falso dualismo esquerda-direita. Por acaso alguém sabe a piada do "papagaio fanho"?

    1. Paulo, perfeito seu comentário. Costumo sempre bater na tecla de q no Brasil os políticos usam a ideologia como forma de manter o gado (eleitorado) coeso e submisso, como ferramenta de adestramento e controle. Aqui, idologia nunca será um ideal ou um norte a ser buscado, pois ela mesma se transforma, muitas vezes assumindo o ideal exatamente oposto ao q se diz buscar, sempre conforme os interesses desses mesmos políticos inescrupulosos. Isso quando não é usada como papael higienico por eles.

    2. Magda, peça a um direitista QQ direitista para dizer o que é ser direitista. É uma piada. Até vc, querida, não deve saber pq ou o de surgiu essa denominação "esquerda/direita"!!! Dá uma olhadinha na história da França, ok? No Brasil o povão não sabe o que é isso (esquerda/direita). Como tb "NUNCA TIVEMOS COMUNISMO"! Tivemos e temos "SIM NAZIFASCISMO"! Então, vamos deixar essas definições para países sérios, com pessoas educadas e conhecedoras dos seus direitos! O Terra é plana, amiga!

    3. Peça a um esquerdista, qualquer esquerdista, para definir o que é "ser de esquerda". É uma piada.

  29. DÓI SER BRASILEIRO Doe muito! Sentir orgulho de seu país deveria ser um direito, mais aqui não é! Sentir que o país tem projeto de futuro deveria ser certeza, mais aqui não é! Ter a certeza de termos homens íntegros, verdadeiros estadistas a frente do destino do país, deveria ser obrigatório, mais aqui não é! De termos uma verdadeira distribuição de riqueza e renda, deveria ser obrigação, mais aqui não é! A única certeza que sobra, é que aqui não se tem futuro, não se tem JUSTIÇA e esperança.

    1. Oi Maurício. Vc foi perfeito, hj com mais de 70 anos não acredito mais nos homens do nosso País! Quem sabe um dia consigamos eleger 308 deputados ( homens dignos) e 50 ( senadores) igualmente dignos possamos mudar nossas leis.

    2. Concordo com tudo, Maurício, menos o "mais".

  30. Sou do tempo do Pasquim, desde o seu número 4. Hoje, como seria? Só gênios naquele jornazinho disputado a tapas na banca da minha cidade. Que quadro, que artigos, que comentários... Hoje, resta-nos: Boçalnaro x Lulladrão. Sinceramente, o Brasil não merece. Parabéns, Diogo, considero-o o meu Paulo Francis.

  31. Quantos Ivan Lessa se foram. No presente mais ainda, sentimos essas faltas. A perda é geral, em todos os segmentos, principalmente da imprensa com a política. Hoje, o Lula ainda é uma liderança política e provável futuro presidente.Há uma cumplicidade do país com o atraso. Não suportam desenvolvimento econômico. Fazem uma disputa entre ele e o desenvolvimento social. Visão populista. Ambos devem seguir de mãos dadas. Escolher Lula ou Bolsonaro é o mais do mesmo.

    1. Eu não concordo. Bolsonaro pode não ser o ideal, mas compará-lo com Lula é um equívoco grosseiro. De tudo que li nesses comentários, uma coisa é verdadeira: o Brasil produz a pior espécie de político do planeta.

    2. O Brasil está pobre sob todos os aspectos: cultural, político e social. Dá uma tristeza conviver com as meras que estão ao nosso redor. Tudo é federativa buá buá!!

  32. Tenho 66 anos. Meu pai, quando eu era pequeno dizia que nunca veria um país sério, se referindo ao Brasil. Hoje eu repito a mesma frase para meus filhos. Tristemente. Continuamos na vanguarda do atraso. Cordeiro de Deus...

  33. Caríssimo Diogo, serei seu leitor onde estiveres. O Brasil era o país do futuro quando eu tinha 10 anos, continua sendo somente para os teimosos e os cegos. Nosso futuro foi jogado na lata de lixo pela ignorância coletiva. Aqui na Crusoé, além dos ótimos colunistas, podem ler excelentes comentários de pessoas cultas, sóbrias e desalentadas com nosso país como eu. Ver que nosso bananão nos obrigará escolher entre o péssimo e o ruim, faz qualquer um que raciocina querer sair antes da luz de apagar

    1. Excelente, Adir! Lembro também das diversas campanhas sobre o maravilhoso futuro que "teríamos". Mas temos que manter a Esperança, a única virtude que não fugiu da Caixa de Pandora. Sou bem mais velho que o Diogo, e continuo aprendendo com ele. Pude ler O Pasquim, - um argueiro nos olhos dos tiranetes -, e agora posso ler O Anta e Crusoé, e me animei com a hipótese Moro, talvez boa demais para nosso momento.

  34. Assinei a Veja por muito tempo, quando chegava dava uma folheada e procurava a página do seu artigo, sempre gostei do seu modo de pensar e escrever. Esses tempos atuais estão do avesso, difícil se manter lúcido. Abraço

  35. Sou sua fã, Diogo, desde os tempos da Veja. Lia a revista de trás para frente, porque sua coluna ficava no final dela. Continuo a te seguir e compartilhar das suas ideias. É uma lástima viver num país com a maioria da população inculta, desinteressada por leitura, mas com um ego tão elevado que não lhes permite enxergar a dura realidade que se tornou a cultura brasileira. Quem pensa que sabe alguma coisa, sabe menos que a maioria ignorante.

    1. Faço de suas palavras as minhas, Sandra. Acompanho 100% seu comentário.

  36. O quê é Veja???? Apagar seus textos foi a tentativa de apagar também a sombra do que a revista já foi um dia. Ficou a fantasia estampada, sem corpo e sem cérebro.

  37. Fui assinante da VEJA não perdia um Manhatan Connection porque vc estava lá. Agoro sou assinante CRUSOÉ, Antagonista, e não perco PAPO ANTAGONISTA. Obrigada ❤❤❤

  38. Tempos bons quando esperávamos a revista chegar e disputávamos quem iria ler primeiro. Minha mãe começava sempre pelo Mainardi! Era fã! Atualmente não conheço ninguém que ainda seja assinante.

    1. Diogo, o Ivan manteve o afiadíssimo humor, até o fim. Se você também o adotou, esse é o caminho!

  39. Quando eu assinava a Veja (também deixei), no Arquivo Digital, com todos os exemplares desde o n. 1, as antigas revistas podiam ser lidas totalmente digitalizadas, até com os anúncios. Diogo estava lá. Como resgatar isso, caso esse arquivo digital ainda exista? Realmente não sei. Teria que contar com a boa vontade e o tempo de algum assinante com acesso, coisa que não sei se algum deles teria.

  40. Belo texto. O Brasil está difícil mesmo. Se o Lula assumir o governo, vão apagar tudo sobre o que ele fez na Lava Jato, como o romance 1984. Um coloca sigilo de 100 anos, o outro manda apagar tudo o que fala a verdade sobre ele.

  41. Diogo,quando Lula era idolatrado no início de seu mandato surfando na onda das comidites em alta,crédito barato e os brasileiros da classe C e D achando que por poderem frequentar shopping já faziam parte da classe média, você era o único repórter que escrevio que estava ocorrendo nos seus artigos a revista Veja. Eles iam de encontro com o que eu pensava .Fiquei triste quando saiu da revista e foi para Itália.Depois disto a revista só foi ficando pior e hoje nem sei como está

    1. Marcia, aqui em casa também acompanhávamos os artigos do Diogo denunciando as falcatruas do pt, quando praticamente toda a imprensa da época já era chapa branca.

  42. Diogo, só conheci a Veja, pq tinha 1 melhor amiga no E.M. muitíssimo inteligente, q me apresentou a revista e sua coluna (ainda leio td de trás p frente por causa dela😬). Tinha vergonha e ficava quieta, pq ia direto p Calvin e turma da Mônica (nos jornais), mas ouvia tds os comentários (orgulhosa da minha amiga e s/ entender nd). A Veja assumiu um papel feio nesse mundo do qual temos medo e vergonha. Sinto muito pelos seus afetos. Espero q essa fase passe logo pq dói vê-lo triste assim! 🌻🙏🤗

  43. Fui assinante da Veja para ler Diogo e alguns poucos colunistas. Assistia ao Manhattan Connection para ouvir o Diogo. Hoje, fora do BR, continuo assinando O Antagonista até qd puder... arrumei um novo vício q é ler tb o Mario... Por aqui tb nos entristecemos com suas perdas. E só desejamos muita força para q continue sempre em sua missão. Sua retidão é admirável em um meio em q mantê-la parece ser 'missão impossível' para a maioria.

  44. Essa estória de "brasileiro ser montado uma vez por semana para não perder a forma", do Ivan Lessa, está fora da realidade presente, pois, nos últimos três anos e meio, é montado diariamente.

  45. https://web.archive.org/web/20140410213358/http://veja.abril.com.br/130803/mainardi.html Fucei o Web Archive Org e achei alguma coisa. Não é de 2012, mas tem coisas lá. Essa aí é de 2003. Atemporal.

  46. Meu LIVRO “O INROTULÁVEL”. MORO Senador/DELTAN Deputado! NULO p PRESIDENTE: o ACORDÃO dos DEGENERADOS MORAIS para EVITAR o IMPEACHMENT do BOLSONARO e TIRAR LULA da CADEIA! Os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! Triunfaremos👊 Sir Claiton

  47. Por fatos como esse deixei de assinar a VEJA há 2 ou 3 anos, após tê-la assinado por várias décadas. Uma pena o que ocorreu com uma excelente revista.

  48. Texto chocante,realidade na veia sem impurezas.Pensar q a gente tem esperança,mas não tenho mais, a degradação é inerente ao brasileiro,nascer no Brasil é manter o q está aí, pois já se nasce comprometido com o analfabetismo funcional, já está no DNA por empenho de governos brasileiros de ser.

  49. O registro que li agora, acima (no topo do reconhecimento humano), confirmam que sobraram poucos jornalistas que, atualmente, respeitam (com a competência e o profissionalismo exigida) a história não oficial desta nação e dois deles- Diogo e Ruy- obrigatoriamente estão entre estes. Dois excelentes polemistas ( em extinção nesta era dos quadrúpedes influencers desenvolvidos pela tal inteligência artificial) , e só eles, como poucos, poderiam fazer este gesto de reverência citando o Imortal Ivan.

  50. Infelizmente o que dissestes em 2003, 2006, 2010 e 2014 será o mesmo que precisará ser dito em 2022. O Brasil não precisa de arquivo, pois nunca sai do espaço tempo que é só seu. Não é um privilégio tupiniquim, infelizmente, mas aqui temos um método muito rebuscado em ficar parado no tempo.

    1. https://web.archive.org/web/20140410213358/http://veja.abril.com.br/130803/mainardi.html

  51. Sigo o Diogo há anos como jornalista e escritor. Até DISCORDO BASTANTE dele, mas um "xiste" não esqueço. "O BRASIL NÃO TEM PARTIDO DE DIREITA, DE ESQUERDA, DE NADA. TEM UM MONTE DE SALAFRÁRIOS QUE SE REUNEM PARA ROUBAR JUNTOS"! Acredito ser uma das melhores definições que já li sobre a estrutura partidária brasileira. Esta a VEJA não consegue mais apagar !!!

    1. PERFEITO! basta uma frase para resumir nossa política.

  52. Acompanho o Diogo como comentarista e escritor há anos. Até DISCORDO BASTANTE dele, mas fez um "xiste" que tenho sempre em mente quando leio sobre política brasileira. "O BRASIL NÃO TEM PARTIDO DE DIREITA, DE ESQUERDA, DE NADA. TEM UM MONTE DE SALAFRÁRIOS QUE SE REUNEM PARA ROUBAR JUNTOS"! Acredito que seja uma das mais reais definições sobre agremiações políticas nesse país deitado em berço esplêndido !!!

  53. Pois é Sr. Mainardi, vivemos no país do faz de contas em que tudo é sem pé nem cabeça. Querer encontrar lógica no brasileiro é querer que se tenha um pouquinho de discernimento operacional.

  54. Diogo, tenho tidos os seus artigos recortados e guardados com carinho. Desde décadas, fui sua seguidora entusiasmada nessa selva emburrecida de nossa política. Com tal mestre sem papas na língua, foi mais suportável aguentar tantas desilusões com possíveis "salvadores da pátria", afinal tão incapazes quanto seus antecessores. Grata ao Diogo em minha vida.😀

    1. Se me permite, faço minhas suas palavras. Só não tenho infelizmente os artigos guardados. Deveria enviá-los ao Diogo para um livro coletânea de seus artigos históricos. Só o Antagonista nos salva nesse labirinto medonho. Ave, Diogo!

  55. Fui assinante de Veja nos primórdios. Tinha todas as edições. Quando me casei por falta de espaço minha mãe entregou para um carroceiro para reciclar. O que vale é o que fica em nossas mentes. A Veja já foi uma publicação dos mais variados naipes do jornalismo. Depois que pseudos jornalistas viraram a casaca para o poder de padrão, virou um antro de canceladores. Por isso continuo por aqui enquanto vocês não se dobrarem aos podres poderes.

  56. Época em que a Veja era uma excelente revista! Esperava ansiosamente por cada exemplar. Esse cancelamento só demonstra em que se tornou a revisa. Na sepultura está escrito “Jaz aqui aquela que foi uma das melhores revistas de conteúdo do Brasil. Descanse em paz!”

  57. Típica demonstração autoritária que lutamos tanto pra transformar em democracia. É triste ver o tal cancelamento de pessoas. Mais triste é assistir o cancelamento de ideias. Precisamos parar de assistir!

  58. Pouco antes da pandemia eu estive em Veneza e tentei ser adotado pelo Diogo. Procurei pela sua casa por toda a região que eu sabia que ele morava. Mas não encontrei. Não toquei a campainha. Depois de um vídeo do Diego aqui mesmo, agora eu sei. Quando voltar a Veneza, tocarei-a incessantemente.

  59. Tem dias em que dá vontade de jogar a toalha. Era assinante da Veja por colunistas como vc, Diogo. Tristeza como jornalista que sou e tristeza como cidadã.

  60. Sou uma viúva chorosa do Diogo. Fui assinante da Veja por mais de 2 décadas da minha vida. Com a sua saída, cancelei minha assinatura e disse que só voltaria quando ela fosse uma revista imparcial. Isso nunca vai acontecer, tendo quem ela tem no comando.

  61. Realmente somos a expressao de um povo que nao deu certo e de um fracasso como nacao. Gostaria muito de sair antes de a luz se apagar.

  62. Pois é por isto e tantas quem conhece o que o excelente Mainardi escreveu em resistência à quadrilha da qual hoje é passivo "apoiador" já que a omissão gera óbvia submissão aos desejos da quadrilha assassina e seus tentáculos a promover suja guerra revolucionária contra o Estado e nação que arrogantes "iluminados" fingem não ver ... o exílio duro e violento até mesmo doce em sua bela Itália mudou o belo cérebro de um grande e corajoso jornalista ... mas é a dor que faz gemer e usar anestésicos.

  63. Tive que cancelar meu cartão de crédito para que não fosse debitada a assinatura, por outros meios foi impossível. Nem imaginava que tinham esta pobreza de espírito, achava que era só fraqueza intelectual.

  64. Era leitora de Veja por sua causa. Por sua coluninha gigante. Mas não guardei nenhuma, infelizmente. Quem sabe algum assinante da Crusoe tenha a mania de colecionar e possa encontrar este artigo pra você. Na torcida.

  65. Eu assinei a Veja no passado, antes dela virar um lixo (qdo mudou para aquele petista). Um dos motivos era a sua coluna. E apagar conteúdo anterior diz muito. Imagine se a Folha ou Estadão resolvessem apagar edições dos últimos 100 anos. História é história, não pode ser reescrita.

  66. Diogo, você deve escrever um texto ruim para cada 999 excelentes. Da Veja, o único escritor que ainda leio é você. O restante, ou Bolsonarou, Lulou, Trumpou, Olavou ou morreu. Sou grato por você manter a chama da lucidez, mesmo que de longe, segurando a única lanterna que ainda ilumina o Brasil. Enquanto fizer isso, tenho uma esperança. Não desista de nós!

  67. Depois de saber que o excelso Elio Gaspari praticava censura na Veja e, agora, que a revista o expurgou de lá, não sinto o menor lamento por sua espetaculosa decadência.

  68. Vendo as frequencia das motociatas e os militantes em ação, tendo a concordar com a frase do Lessa, infelizmente. #nemlulanembolsonaro

  69. O povinho do paz e amor cancelando um jornalista sem se importar com o que os leitores tem a dizer. Eu, há muito, deixei de ler a porca.ria da Veja. Ainda assim, acho um desrespeito total ao assinante simplesmente desaparecer com material. MS

  70. Diogo, tenho saudade do tempo em que corria a ler seu artigo na edição semanal da Veja. Entre seus leitores deve haver muita gente que colecionou Veja e que lhe pode enviar seus textos de volta. Tenho a coleção completa da segunda fase da Senhor e vou procurar ver se há textos de Ivan Lessa.

  71. A história deste país não me permite acreditar neste país, mas nunca a descrença atingiu tal grau. Há 4 anos a imagem política mais suja que tínhamos (e olha que todas essas imagens são sujas) era de um psicopata chamado lula. Líder de uma perigosa organização criminosa. Veio outro psicopata, um tal Bolsonaro, e fez o impensável. Ressuscitou, purificando-o, o tal lula. Deu aos envergonhados eleitores lulistas uma desculpa para nele votar, afinal, pensam, há algo pior do que o ex-presidiário.

  72. Eu já perdi completamente a expectativa de ver o Brasil se tornar uma nação de fato. A imbecilização das pessoas atingem níveis elevados a cada dia que passa. E isso reflete nas escolhas dos nossos representantes, cada vez mais preocupados com os seus interesses. Não vejo mais esperanças em ver um povo ereto, com pés no chão. O que resta é ficar de 4 e ser montado pelo menos 1 vez por semana, quiçá todos os dias!

  73. Conheci Ivan Lessa através de você. Lembro do monte de vezes que o citou num Roda Viva. ... Uma cabeça pensante. ... Não sabia que Bananão era cria do mesmo. Parabéns.

    1. Também ouvi de você (num podcast?) citando o Lessa em que o mesmo afirmava que se colocassem um Mapa Mundi sobre - sei lá! -, os bananeiros não saberiam apontar a localização do Bananão.

    1. Isto aqui está o CAOS mesmo...Desalentador constatar os interesses da impressa e dos três poderes em fermentar a corrupção....

Mais notícias
Assine agora
TOPO