RuyGoiaba

João Gilberto continua morto

12.07.19

Quando o Saturday Night Live começou a ser exibido, em 1975, já incluía uma paródia do noticiário da TV dos EUA – o Weekend Update, que existe até hoje. O apresentador era Chevy Chase, que um dia anunciou a seguinte notícia de última hora: “O generalíssimo Francisco Franco continua morto”. Era uma referência à longa agonia do ditador espanhol, que morreu em novembro daquele ano. Em outras vezes, Chase interrompeu a leitura do noticiário fake para informar que Franco seguia “lutando bravamente para permanecer morto”.

Neste país sem generalíssimos, João Gilberto – que, para usar um clichê dos cadernos culturais, “saiu de cena” no sábado passado (6), aos 88 anos — não ressuscitou no terceiro dia. Na verdade, se você mora no Brasil, basta olhar em volta para constatar que João Gilberto está cada vez mais morto: o país tem caprichado em ser o oposto de tudo aquilo que o eremita do 30º andar daquele apart-hotel no Leblon vinha colocando na sua música desde os anos 50. Melhor se esconder do mundo – “lutar bravamente para permanecer morto” — do que levar bala nesta terra sem bossa, mas com 60 mil homicídios por ano.

(Parêntese para uma digressão pessoal: quando comecei a ouvir João Gilberto, na adolescência, me aproximei de sua música como o teenager ranheta que eu era — firmemente predisposto a não gostar, de tão cansado de ver gente rasgando seda para o, lá vem mais um clichê, “papa da bossa nova”. É claro que me apaixonei imediatamente. Meu primeiro álbum dele foi uma coletânea em vinil chamada O Mito, que consistia nos seus três primeiros discos – os essenciais da bossa nova — mais o 78 rotações com A Felicidade, só que com as faixas misturadas. Não autorizado, esse lançamento foi um dos motivos da briga de João Gilberto com a EMI, que salvo engano meu se arrastaria até a morte dele.)

Também essa atitude de “não jogar o jogo” me agradava em João Gilberto, por mais que eu entenda a irritação de quem levou cano após ter comprado ingresso para algum show dele. Não jogar o jogo que família, amigos, jornalistas e até plateias pagantes gostariam que ele jogasse é de uma solidão admirável. Todo mundo que já escreveu, compôs, cantou, tocou ou pintou qualquer coisinha sabe: todos nós temos algo de foca amestrada, equilibrando a bola no nariz e batendo palminhas depois de receber do público uma sardinha como prêmio pelo trabalho bem feito. Nisso, ninguém foi menos foca do que João Gilberto.

E João mostrava, pelo menos para mim, um país em que eu gostaria de viver, mais bonito, mais suave, mais interessantemente dissonante, mais sincopado: um país que nos obrigava a parar para ouvir. Era o que estava não só na bossa como em todos aqueles maravilhosos sambas das décadas de 30 e 40, que ele tirava de um baú aparentemente inesgotável; sua interpretação apenas nos fazia ver isso com clareza. E é o absoluto oposto deste Brasil que se esgoela, em que gente estúpida se digladia nas redes e fora delas, gente corrupta se orgulha da própria vulgaridade e gente ignorante, da própria ignorância. Nada mais antijoãogilbertiano que a política brasileira, para qualquer lado que a gente olhe.

João Gilberto está morto, mas MC Reaça viverá para sempre: a vulgaridade e a burrice são eternas. A nós, como a Antígona, só resta honrar nossos mortos.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Não consigo imaginar trabalho de paintbrush mais tosco do que esse que tentou “esconder” o lagostim servido no almoço de Jair Bolsonaro com o embaixador de Israel no domingo (7), antes da decisão da Copa América. Ficaria menos ridículo desenhar duas bolas de futebol por cima dos pratos proibidões. E parece que ninguém cogitou simplesmente não publicar a foto nas redes sociais – afinal, vivemos no mundo pós-Instagram, em que a comida não existiu se não foi fotografada. Pena que não fotografar tenha efeito zero na minha dieta.

Reprodução/redes sociaisReprodução/redes sociaisBolsonaro e o embaixador de Israel almoçam um delicioso borrão de paintbrush

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. João Gilberto precisou morrer para receber todas as honras que o Brasil deve e devia ao músico que levou o Brasil aos ouvidos de todo o mundo. É uma pena que todos nós sejamos tão insensíveis e não reconhecedores - em vida - dos nossos verdadeiros heróis nacionais. João Gilberto deveria ter tido um envelhecer mais digno e honrado por parte de todos nós. É uma pena; uma oportunidade perdida. Temos todos muito o que aprender.

  2. Goiaba, atualize suas informações. O número de crimes violentos no Brasil em 2018 foi de 51.589 (veja http://especiais.g1.globo.com/monitor-da-violencia/2018/mortes-violentas-no-brasil/#/dados-mensais-2018), com 24.74 mortes por 100mil ha. O estado de SP ficou com a taxa de 7,6, inferior a muitos países desenvolvidos. O pico foi em 2017 com 59.128. Nunca atingiu os 60 mil.

  3. Belo texto. Pouca coisa boa aconteceu no Brasil em termos de musica nas ultimas decadas. Triste ter q q admitir. Gostei tb de saber da manipulacao da foto. Nao quero a volta da esquerda de forma alguma, mas tb nao quero ficar cego, achando q td q o governo faz, esta certo. O bom amigo e' aquele q aponta os nossos erros com sinceridade e Crusoe' nao nasceu pra ser chapa branca.

  4. O embaixador de Israel se for um judeu ortodoxo, não pode comer crustáceos. Talvez este já o motivo de esconderem o conteúdo dos pratos. Em relação a Bolsonaro, qual o problema em fazer um banquete a um representante de outro país? Se for lagosta, carne de sol o que seja. Vamos deixar o homem em paz. No final o destino da comido será o mesmo, iguala todos.

    1. exatamente! mas quem escondeu o wue tava comenfo foram eles. Hipócritas!

  5. Caro Rogério, que grande consolo é ler ou ouvir alguém nesses dias, cujas palavras traduzam nosso sentimento, o "zeitgeist" de acordo com nosso entender. Sentimo-nos menos sós e com esperança de ainda haver pares nesse mundo de hoje.

    1. Muito bom texto. Esta semana fiz uma viagem de avião e para minha alegria, ao entrar na aeronave, enquanto os passageiros naquela fila sem fim se acomodavam e acomodavam seus pertences, tocavam as principais musicas da epoca áurea da bossa nova, numa trilha suave e relaxante. Amei! Acho que era uma homenagem singela a João Gilberto.

  6. www.oantagonista.com @Direita_Network pavão misterioso @ElmanoItamar facebook - PATRIA AMADA, BRASIL DEMOCRATICO A MAE DE DILMA MORREU. ELA PROIBIU QUE DIVULGASSE A CAUSA MORTIS. Mãe de gente fina e terrorista não revela causa mortis. É ofensivo. Mas morreu. Os Institutos Médicos Legais são cruéis com pessoas que se sentem difeferenciadas: dão os estágios post-mortis de todos. Iguasinhos. Seguem aí os estágios cientificos que todos nós passaremos, ricos e pobres, DEUSES MINISTROS e servent

  7. ASSINO EMBAIXO. Nossa música ensandeceu. Não é música, não tem poesia, nem sensibilidade. É grosseira, agressiva, indecente e conduz os jovens a se acostumar com o mau gosto e a vulgaridade, considerando estas "más qualidades" como normais e desejáveis. Tudo o que contraria esta "baixaria" é considerado careta, ultrapassado ."Ultra-passado" como o som delicado,afinado e saudoso de um "Desafinado"...

  8. BELO TEXTO,TAMBÉM ACHO SUA MÚSICA REQUINTADA- E É APRECIADA INTERNACIONALMENTE,O QUE DEIXA O BRASIL BONITO,É EM SUA ARQUITETURA NATURAL. . GOSTO DE BOSSA NOVA..e respiro outros tantos sons! Parabéns

  9. Impossível não ouvir “Corcovado (quieto Nights) com Stan Getz no sax e Jobim no piano e não se render à sofisticação dos acordes de João Gilberto. Pode-se não gostar de sua música, mas nela, ele foi o melhor e elevou a cultura popular brasileira a um patamar jamais igualado

  10. Ouvir João Gilberto foi e sempre será maravilhoso.Gosto muito das coisas mais explícitas,a ironia que Rui usou pra veladamente criticar o Presidente por não ter se pronunciado sobre a morte de JG ,não pode fazer do MC Reáça um Zé Ninguém.

  11. Concordo com o fato de parecer que João Gilberto já estava morto, pois se tornou uma pessoa esquisita e reclusa até a sua morte. Porém, nada será capaz de apagar o legado deixado por ele a música brasileira. Seu estilo musical tornou a nossa música audível e valorizada no Exterior, ainda que muitos brasileiros não tenham dado importância ao seu talento musical. João Gilberto permanecerá imortal para aqueles que reconhecem a sua genialidade e a sua contribuição para o enriquecimento da MPB.

  12. Sensacional. Sempre o Mito. Continue sempre esse cara cara. Gostamos da sua agilidade na escolha dos bons. Da rapidez em colocar nossas pautas no colo do parlamento. No seu jeito meio sacana de despistar os fisiológicos da imprensa e proteger a todos nós brasileiros De nos enxergar. É obrigado pela "Dona" q você tem aí em casa. Sendo esses exemplos, tbm nos regozijamos e estamos reestruturando as nossas famílias. Muita saúde para todos nós.

  13. Como diria o sábio Joaquim Teixeira do Insta, "Problematizaram o lagostim", ahahahahahaha, que coisa ridícula esse photoshop.

  14. Meus pesares à família e aos admiradores e fãs. Mas eu não gosto da música do João Gilberto. E digo isso não para ser arrogante mas porque no Brasil da lacração se você não gosta de algum cantor você é taxado de ignorante. Ora, música vem de “musa”, beleza, e música que encanta é música bonita. A música do João Gilberto é muito feia aos meus ouvidos. Simples assim. Aliás eu vejo muita gente elogiando a música de João Gilberto mas não vejo ninguém a ouvindo. Gosto musical não é imposição; é gosto

  15. Acho que tudo o que foi dito poderia ter sido dito há alguns anos atrás na morte do Tim Maia. O cara tinha talento? Tinha de montão. Isso dava o direito dele ser mal educado com o público, irresponsável com quem produzia o show? Os dois se achavam donos da verdade.

  16. O texto muito bom foi desde o banquete de fino paladar que JG deixou à música brasileira, ao tosco prato que Bolsonaro tem oferecido aos seus eleitores (como eu fui). Está cada vez mais indigesto.

  17. Pois eh, o tal do JG nos ensina que um dia a gente pode acertar na mosca e depois passar 50 anos fazendo merda. Para refletir..

  18. O texto que eu gostaria de ter assinado, pois penso exatamente assim. O Brasil de hoje não reconhece o valor de João Gilberto. O Brasil agoniza vociferando e o politicamente correto aplaude a mediocridade.

  19. Kkkkkk, podiam ter retocado também o peito aberto do embaixador e pintado uma gravata! O EB me parece mais preparado que isto! Kkkkk

  20. "João Gilberto", sua discrição falava mais que palavras e línguas. Parabéns pela reportagem e pelos comentários carinhosos, muitos oportunos.

  21. bobagens...tenham mais critério...que importa a comida de um Presidente? Exageram em vulgaridade. Preocupem com a comida dos pobres. Os poderosos sempre comerao bem se tiverem saude.

    1. Concordo Albertino, mas isto é efeito da lagosta do STF. JB quer posar de simples, mas chama mais atenção ao tentar esconder o cardápio

    2. Albertina, resumiu bem esta celeuma. O que pegou mal foi a péssima manipulação do prato que comiam. Se tivesse mantido a originalidade nada teria sido tão observado. Deve ter sido mais uma burrice do filho Carlos.

  22. E o Tim Maia? Ele pode até não ser considerado músico tão bom quanto o João Gilberto, mas era um showman talentoso, mas que não equilibrava bolinha...de maneira nenhuma...

  23. Melhor texto sobre João Gilberto que li nesses dias... não sabia muito sobre ele e Goaiaba o apresenta como uma figura muito simpática... pelo menos do meu ponto de vista...

    1. Nelson Motta, que o conheceu bem de perto também falou sobre ele no seu último programa ressaltando seu lado amigável. No fundo somos todos um LP com lado A e o lado B, tem gente que passa a vida, mais por influencia do que por vivência, tocando só um lado do disco e desconhecendo o que tem do outro.

    2. Lindo comentário sobre alguém que foi exemplo de dignidade.

  24. Excepcional retrato do Brasil...na minha visão, o pior não são os políticos canalhas se exibindo com a costumeira cara de pau, mas sim ter quem os aplauda...O clímax disso é ver petistas e Renan se ajudando...difícil entender o Brasil

  25. João Gilberto tem valor principalmente pelo pioneirismo. No entanto, essa teoria de relevância permanente da Bossa Nova ao redor do mundo não é verdadeira.

    1. A bossa-nova foi gravada por quase todos os grandes nomes do jazz ao redor do mundo. Partindo do princípio de que o jazz, de todos, é o gênero musical mais sofisticado e apurado, cujos músicos e intérpretes tem conhecimento técnico em níveis absurdos do que seja música, acho que João Gilberto está muitíssimo bem no panteão dos grandes da música universal. Ele é reverenciado e lembrado no exterior, coisa que nós, brasileiros, não fazemos, porque consumimos o lixo cultural da globalização.

  26. R.I.P. João Gilberto. Pode ter sido muitas coisas, mas com certeza nunca foi uma foca amestrada como tantos que se vê por aí. Devo dizer Sr Goiaba que sua coluna é um belo retorno para meus minguados vinténs investidos na assinatura da revista.

  27. Sabe a diferença entre lagosta e lagostim? Sabe o preço dos dois? Pior que gente que se orgulha da ignorância, é aquela que não reconhece a própria.

  28. João Gilberto não era mesmo para todos os ouvidos. Nem todos nasceram ou desenvolveram ouvidos privilegiados para ouvir João Gilberto e a Bossa-Nova.

  29. João Gilberto é o cantor mais chato, deprimente, saco murcho e baixo astral da história. É o contrário do Viagra, a pessoa brocha imediatamente após ouvi-lo. mais uma daquelas escrotices que o brasileiro resolve entronizar porque a mídia resolveu que é clássico.

    1. Insuportável como sempre esse João Gilberto! Do ponto de vista artístico, que permaneça morto

    2. É mesmo, Marcos! Um saco, música chata, ele era um chato, sempre foi.

  30. João Gilberto continua morto, ok! A Bossa Nova continua viva, no mundo todo😃 O Funk é o novo Samba. O Brasil foi destruído. O Brasil será reconstruído e a música, no Brasil, continua viva... Um novo tempo! Deverá haver sementes de coisa boa aguardando para brotar... paciência e certeza!🎼🎶 Será maravilhoso perceber que o Brasil evoluiu... precisamos mais tempo’ Lagostim é maravilhoso, adoro😋

Mais notícias
Assine agora
TOPO