Padilha, o profeta

11.10.19

O diretor de cinema José Padilha, que trabalha em um documentário sobre as mensagens roubadas dos investigadores da Lava Jato, pediu autorização à Justiça Federal em Brasília para entrevistar Walter Delgatti Neto, o Vermelho, e dois de seus comparsas presos pela Operação Spoofing. Ao tentar convencer o juiz Ricardo Leite de que as declarações não representariam qualquer prejuízo para a investigação ainda em curso, os advogados do diretor usam um argumento curioso. Dizem que o documentário só sairá daqui a pelo menos seis meses e que, até lá, as apurações já estarão encerradas e a denúncia do Ministério Público já deverá ter sido ajuizada. “Quando da sua exibição (do documentário) já haverá denúncia e instrução, não implicando a entrevista em prejuízo nas investigações”, escrevem os advogados de Padilha. O pedido ainda não foi analisado pelo juiz.

Atualização: Nesta sexta-feira, 11, o juiz Ricardo Leite negou a autorização para a entrevista solicitada por José Padilha. Saiba mais aqui.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Veja se Padilha não quer ir fundo nas investigações e saber quem pagou os hackers, gg e intercept. A intenção destes vazamentos, precedem em muito o conteúdo.

  2. A reportagem dos blogueiros de crachá não passa de uma informação de como funciona essa mídia. Não trás nada que comprometa, nem acrescenta nada ao que já temos conhecimento. Palavras como: fogo amigo, blogueiros da direita e outras, circulam com os que fabricam notícias, nos dias atuais. Mas ninguém desse grupo tem poder de derrubar Ministros. Ninguém aí é pago com dinheiro público nos moldes da Dilma. São funcionários, como tantos que lá estão para colaborar por ser pró Bolsonaro. Nada demais.

  3. CORRETÍSSIMA ATITUDE e decisão do magistrado procedimento certo em casos de investigação em andamento absurdo seria conceder e liberar uma promoção a este tipo ou qq outro evento.

  4. Muito acertada a decisão do juíz ao não permitir a entrevista. Esse Padilha não é nem um pouco isento ou confiável. Só mamava na Lei Rouanet, agora o pó está difícil.

  5. "Eu tenho impressão que, pelo menos tal como está formulado (o recurso), se for anulada a sentença, nós voltamos até a denúncia. Portanto, todos os atos por ele (Moro) praticados no processo, inclusive o recebimento da denúncia, estão afetados pela nulidade. Será esse o veredicto", explicou o ministro Gilmar Mendes em entrevista....

  6. É o fim da picada esse pedido!! pra quê? fazer um filminho tipo daquele que fizeram sobre a filha do Moro?? A esquerda usando de tudo para não ser enterrada!

  7. O juiz está certíssimo em negar. Interessante como todo mundo gosta de prever o final das denúncias em investigação. E ainda dão o veredicto!

  8. Se eu fosse o juiz, pediria que eles juntassem o roteiro completo, com as falas e o storyboard para análise. E mandaria que voltassem em seis meses.

  9. Para eles afirmarem que a denúncia já estará ajuizada demonstra que eles já sabem que os caras são culpados antes do término das investigações? Estranho mesmo.

    1. Ou já que não acrescentará em nada, nem precisa ser feita!

Mais notícias
Assine agora
TOPO