E as cubanas?

31.01.20

Quem participa do debate público nas redes sociais sabe que parte do tempo é gasto lidando com gente que, muitas vezes escondida pelo anonimato de perfis falsos, xinga, grita e dá chilique achando que com isso vai intimidar. No meu caso, é muito raro passar um dia sem ler “e as cubanas?”, como se lembrar daquela semifinal em 1996 que abriu caminho para a histórica medalha de bronze olímpica em Atlanta fosse motivo de constrangimento e não de orgulho para qualquer atleta daquela geração.

Claro que competi para vencer e adoraria ter conquistado o ouro naquele ano, como entre outras tantas realizações que superaram os sonhos mais inimagináveis quando saí de Lavras, em Minas, para ganhar o mundo pelo esporte. Tenho uma vida hoje repleta dessas realizações, planos e expectativas de trabalho entre Brasil e EUA, e tenho muito a agradecer. Uma das sortes que tive, com certeza, foi não ter nascido refém da ditadura cubana.

Todos esses pensamentos e lembranças vieram à tona nesta semana quando conheci aqui nos EUA, na famosa e emocionante Marcha pela Vida (March for Life) em Washington, um casal de médicos cubanos que conseguiu asilo na capital americana. Com meu perfeito portunhol, conversamos sobre Brasil, Cuba, vôlei, governos, Fidel, Trump e o “Mais Médicos”. Contei que nosso presidente condicionou a continuação do programa a um teste de validação que os agentes de saúde cubanos teriam que passar, o mesmo que brasileiros formados no exterior precisam para exercer a profissão, e que pudessem trazer suas famílias e ficar com seus salários, mas que Cuba não aceitou. Eles, obviamente, não ficaram surpresos. Contei da narrativa que parte da imprensa e artistas abobalhados empurram dia sim e outro também de que o Brasil está caminhando para virar uma “ditadura”, mesmo com o atual governo não querendo ser sócio e patrocinador de uma ditadura de verdade.

Ouvi então do casal cubano exilado em Washington o que todos os que estão no debate político com o mínimo de honestidade intelectual sabem sobre o que realmente acontece em Cuba, e não o que os desmiolados socialistas do Leblon com camisas do Che Guevara pregam: de que o socialismo devora física e mentalmente os cidadãos em sua sanha totalitária. Mas eu não precisaria ouvir a história de mais um casal que fugiu da ilha dos Castros para validar o que sabemos, posso dar meu testemunho pessoal de quem conviveu com as atletas cubanas. Sei o que ouvi delas sobre Fidel Castro se apropriar de suas premiações, da falta dos itens mais básicos para consumo, de como várias vezes compramos pasta de dente, sabonete e remédios para elas, produtos que depois eram levados para Cuba escondidos para não serem confiscados. Por mais competitivo que fosse o clima, não tive como não me emocionar quando ouvi de uma bicampeã olímpica que ela trocaria tudo, todos os seus títulos e medalhas, pela oportunidade de poder viver fora de Cuba com sua família, longe daquela ditadura horrorosa, daquela miséria absoluta num país que já foi um dos mais ricos do continente.

Sei que é óbvio, mas não custa lembrar: os elogios das atletas cubanas aos ditadores e ao regime, feitos para a imprensa durante as competições, não eram espontâneos, evidentemente. Todas viviam sob a mais alta pressão e sabiam das consequências para elas e seus familiares se ousassem fazer qualquer crítica pública. Eram declarações tão verdadeiras quanto o sorriso da torcida norte-coreana nas coreografias robóticas exibidas nos Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang em 2018, na Coreia do Norte. Tenho calafrios só de pensar na vida daquelas pessoas “tão sorridentes”.

Não há dúvida de que há regiões no Brasil desassistidas em tudo – basta ver a atual calamidade com o abastecimento de água numa grande cidade como o Rio de Janeiro – e a presença de agentes de saúde poderia, caso não prescrevessem tratamentos equivocados, ser melhor que nada, mas um erro não justifica o outro. A incompetência do país de prover condições básicas de saneamento e atendimento médico para a população mais necessitada não pode servir de pretexto para o envio de bilhões de reais para uma ditadura sanguinária e genocida, usando seres humanos como mulas. É preciso que tenhamos uma grande discussão nacional sobre como levar atendimento médico e saneamento básico de qualidade a todos.

A histeria atual que cerca tudo em relação ao nome de Jair Bolsonaro, assim como o de Donald Trump (não, não estou comparando os dois, mas a histeria é a mesma), e a infantilidade de muitos não conseguirem discutir erros pontuais e que precisam de correções mostram apenas a mesquinhez de quem critica tudo e todos pelo único objetivo de vencer o debate, de qualquer jeito, mesmo que seja no grito. O governo enfrenta grandes e complexas questões que envolvem a saúde pública e que foram herdadas dos anos de total desgoverno petista. Até quando as picuinhas falarão mais alto e deixaremos de abordar com o devido respeito e seriedade o que é urgente e real, sem o sequestro das agendas políticas inconfessáveis e sem o fascismo imaginário? Até quando ouviremos as mais absurdas falácias de uma oposição perdida, que ainda prega em 2020 a demonização do capitalismo e do mercado livre, em função de uma ideologia que não deu certo em absolutamente lugar nenhum? (Não, os países escandinavos não são socialistas. Google).

Regla Bell, Mireya Luis e Magaly Carbajal, entre outras, foram ícones do vôlei da minha geração, ganharam tudo, mas nunca tiveram nada. Duvido que qualquer um criado numa democracia tenha inveja das dificuldades que  enfrentaram na vida. Elas são exemplos de superação, talento e força, representaram Cuba brilhantemente e todas as nossas eventuais desavenças daquela época foram mais que superadas. Tive o prazer de encontrar Mireya nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, e no Rio, em 2016. Almoçamos e relembramos a eterna rivalidade que fez parte de nossas vidas e de tantos fãs do vôlei brasileiro e mundial. Entre uma risada e outra (e algumas lágrimas de ambas) ouvi, mais uma vez, o testemunho de que muito pouco havia mudado para os atletas na ilha da família Castro, e que muitos que foram jogar na Europa pediram asilo político e simplesmente não voltaram.

O encontro com o casal cubano na manifestação em Washington me fez lembrar não apenas das dezenas de vídeos na internet de cubanos relatando o que o socialismo fez com a população do país e como programas, entre os quais o Mais Médicos, eram injustos para eles — mas também da abstenção da honestidade nesse e em outros debates sérios para o Brasil, apenas porque o candidato de alguns não levou a eleição. Eleição que desbancou o partido mais corrupto que o país já viu e desnudou não apenas a hipocrisia de muitos que se diziam a favor da liberdade (mas que agora mostram seus verdadeiros esqueletos no armário) e que expôs a oposição ampla e agora óbvia: a que vem do PT, das viúvas do PSDB e MDB, mas também das castas e dos privilegiados que não querem deixar de mamar no estado brasileiro, seja na área da saúde, da educação, do saneamento básico ou da segurança.

Dra. Mercedez, a médica cubana que conheci em Washington, e seu marido, vítimas da ditadura e do socialismo em toda a sua vil essência, agora estão felizes na capital do país que oferece a maior liberdade econômica do mundo e, obviamente, as melhores oportunidades sociais e financeiras para seus habitantes. Já quem via as atletas cubanas pela TV não tinha como conhecer as histórias de cada uma, do que tiveram que passar e como elas e suas famílias sofreram e sofrem. Portanto, quando me perguntam, em desnecessário, agressivo e mesquinho tom de deboche, “e as cubanas?”, eu sinceramente, de coração, só espero que elas estejam bem.

Ana Paula Henkel é analista de política e esportes. Jogadora de vôlei profissional, disputou quatro Olimpíadas pelo Brasil. Estuda Ciência Política na Universidade da Califórnia.
Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Paula, o problema de alguns intelectuais e 'universitários' brasileiros não é apenas a desonestidade intelectual, é bem pior que isso: é maldade e incessibilidade a dor do outro... eles ou elas são apenas psicopatas que se vestem com um discurso sinuoso e odioso, quero que eles vão morar na terra de Fidel Castro, de Che e de todos os tiranos deste mundo (ou seja, o inferno) porque quem não consegue se calar mesmo quando sabe do erro será calado por quem tem a última palavra, ou seja, Deus.

  2. Ana Paula, Parabéns por sua lucidez, coragem e capacidade de expor sua posição sobre temas tão relevantes. E que, infelizmente, muitos não enxergam. Quando falo coragem, é porque posso imaginar a imensa quantidade de desafetos e desaforos que recebe por cada texto brilhante como esse que publicou. Continue, porque por outro lado, há também um imenso número de pessoas que te admiram e se sentem de alma lavada (como eu) ao ler tanta coisa bacana e honesta em sua sinceridade !

  3. Parabéns por tudo, Ana Paula! Mas, quanto aos desqualificados que insistem em provocá-la, não tem outra definição senão a de que são semianalfabetos, analfabetos funcionais, pés de chinelo, hipócritas artistas (até renomados), pseudos celebridades, pseudos jornalistas, etc. Muita gente criminosa e comparsa do cafajeste e bandido LULA, chefão de todos eles. O dinheiro fácil dos cofres públicos acabou! Grato pelo texto e muita saúde pra você.

  4. Fez tudo o que fez. E ainda escreve. E bem, muito bem eu diria! Um relato s/ Cuba: tenho um amigo que é Juiz (não o nomino por não tê-lo localizado) quem em 2004, c/ a filarmônica de BSB foi a Cuba. Já na véspera do retorno bateram à porta já bem tarde, era o camareiro, com uma moça bonita, que disse de forma constrangida: é minha irmã, eu a trouxe ver se o sr. que dormir com ela, não é puta, é que estamos precisando muito de dinheiro. São 2 dólares. Ele recusou e deu US$ 5. Os três choraram...

  5. Adoro os textos da Ana Paula! Conseguem ser leves e densos, objetivos e sensíveis ao mesmo tempo. Parabéns e obrigado a ela!

  6. Parabéns Ana! Fui jogadora de vôlei também, joguei no Sport Juiz de Fora com a Márcia Fu (Fusinha para mim 😄), Filó, Popó, RôRô, etc.... sou mineira também e tenho muito orgulho de ver você trazendo comentários lúcidos e fundamentados. Assim como você, eu também moro nos USA, Florida, e os motivos que me fizeram deixar a minha vida no Brasil e me mudar com a minha família para esse país próspero, capitalista e Incrível, foi a violência e a corrupção sistêmica inserida na nossa nação.

  7. Excelente, mais uma fez!!!! Parabéns, Ana Paula, precisamos de pessoas como vc para ajudar a expressar a verdade, de uma maneira clara, fácil, embasada, coerente e inteligente! Você faz a diferença! Obrigada!!

  8. Parabéns Ana Paula. Texto que emociona e transborda sinceridade. O esporte e a educação são a "porta de saída" das coisas ruins.

  9. Ana, nem sempre temos o mesmo ponto de vista sobre alguns assuntos e é bom que seja assim a meu ver, mas o fato é que sempre te admirei como atleta e hoje muito, mas muito mais mesmo como pessoa.

  10. Excelente. Concordo plenamente com sua opinião. Triste ver pessoas com certo nível educacional ainda defendendo o Socialismo. Deveriam realmente experimentar viver em um país socialista.

  11. Ana Paula, meus aplausos . A lucidez e visão de seus textos fazem muita falta aqui na nossa "imprensa" . Se me permite uma dica , leia "O romance da minha vida" de Leonardo Padura , um gênio cubano

  12. Parabéns Ana Paula pelas suas crônicas sempre objetivas e sem pedantismo. Oxalá tivéssemos mais crônicas com estas características. É uma delícia ler você.

  13. É o que você disse Ana... É muito fácil gritar "Libre Cuba", morando no Leblon, esquiando em Aspen e fazendo compras em NYC.... Esses socialistas vivem "La Doce Vita condenando tudo aquilo que eles mais consomem....

  14. Impressionante como a coluna da Ana mantém esse nível. Já clico no link com um sorriso no rosto, prevendo meus minutos de leitura agradável. Não sei se lê os comentários, caso o faça, meus sinceros parabéns.

  15. Helena Mader e Ana Paula Henkel, a primeira me lembra muito o quadro “A hora da Venenosa “ da Record já a Ana Paula Henkel é de primeiríssima linha, como escreve bem!

  16. Prezada Ana Paula Henkel, Sou pós-doutor em Ciência Política pelo Ibero Amerikanischues Institut em Berlin - Germany. Acompanho sua coluna com acuidade. Sua escrita é clara e objetiva ao abordar temas de relevância na conjuntura política e econômica do Brasil. Felizmente, a eleição de 2018 possibilitou o ressurgimento de uma tradição que estava adormecida no Brasil. A síntese da tese democrática é o antagonismo. Parabéns e continue a nos remeter suas contribuições! Atenciosamente,

  17. Sua personalidade forte faz com que os ignorantes e invejosos apelem cada vez que lêem seus textos incorrigíveis. Vá em frente que seus admiradores continuarão a ler seus artigos com respeito.

  18. Lembrei de algo que dizia para os meus alunos anos atrás: um bom profissional da nossa área de ciências sociais (Economia, Administração, Direito) deve ter em mente o que deu errado nos últimos anos, e onde; e o que deu certo, onde. Depois, listar os problemas do Brasil e fazer a mesma reflexão. Aí, certamente, todos terão consciência de que existem problemas que serão resolvidas em décadas e não em meses.

    1. Gostei , indicou a existência das castas brasileiras

  19. Que sensibilidade, você é diferenciada, que bom ler seus relatos. Chorei junto com vocês e "a cubana", a clareza que você carrega junto a sua experiencia de vida me conforta, me faz acreditar no amanhã.

    1. Viver a falsa realidade, como vivem essas pessoas q defendem “ditaduras branca” é fácil. Gostaria de vê-las viver sob o domínio de canalhas q usam a Liberdade e a Democracia para oprimir um Povo alegre e ordeiro como os cubanos. Aplaudem a nossa canalhada talvez por serem iguais ou desconhecer a verdadeira “fome” deles pelo poder. Conhecimento e experiência não se adquire ouvindo políticos corruptos e sim na escola da vida em contato com nossos semelhantes. Parabéns ! Suas obras a enobrece.

  20. Parabéns Ana pelo brilhante texto. Continuas espetacular agora tbem como comentarista. E eu continuo seu fã desde há muito tempo.

  21. Sempre muito inteligente nos seus comentários, diretos, focados e com base em fatos concretos. Sem blá, blá, blá e mi, mi, mi. Parabéns!!!

  22. Chega a ser surreal a gana com que a analista se agarra em comentários sangrentos contra comunistas (ainda existem????) . Com tanta coisa acontecendo aqui no Brasil com o alto escaláo, assassinatos náo esclarecidos, conversas naó esclarecidas, crimes de estelionato naó esclarecidos, sinais claros de interferencia nos poderes, etc,etc,etc e a ex (grande) atleta se preocupando com...CUBA??? Bom , depois que declarou que o maior estadista que conheceu foi Ronald Reagan nada surpreende mais

    1. Bem fraquinha (como analista politica, jogava MUIIITO)

  23. Vou dar uma sugestão a Crusoé . Criem uma maneira de pagarmos pra poder compartilhar textos . Voces ganhariam dinheiro e mais pessoas poderiam ler esse texto essencial da Ana Paula Henkel !

    1. ótima idéia. E divulgaria a revista e os autores de textos

  24. Ana Paula, mais uma vez vc foi brilhante. Adoro os seus textos. Nada melhor do que ler o depoimento de quem viveu situações como as que vc descreve, pois elimina o cinismo e a mentira sórdida dos desequilibrados da esquerda. Parabéns!!!

  25. Infelizmente esses seres das trevas vao continuar atormentando tua vida. Pra essas pessoas a verdade nao importa como nao importa a corrupcao, pq foram feitas pela "causa, da ideologoa". Ha muito nao acredito em ideologias pq elas so atendem os q estao no poder, o povo e'sempre usado como massa de manobra. O q faz a diferenca e'uma economia liberal e forte q assegure emprego e renda á populacao e condicoes para q educacao e saude de qualidade á todos.

  26. Parabéns por essa aula magna aos que já conhecem a história cubana e também para quem sabe, abrir as cabeças desses esquerdopatas. Somos Mineiros e Liberdade é o nome de Minas.

    1. Isto é uma democracia, daqui a pouco mais que dois anos e meio você vai ter oportunidade de trocá-lo, Cuba vive aquilo há mais de 60 anos.

  27. Ana Paula, muito mais que campeã de vôlei você se notabiliza como analista política. Emocionante seu relato e sua sensibilidade feminina, emocionou-me também.

  28. Faz pouco tempo que assinei Crusoé e O Antagonista.Cancelei minha assinatura de O Globo,pois não aguentava mais um jornal que dedica meia página para uma tragédia como Brumadinho e duas para a liberdade do Lula.Prá mim é demais.Fico feliz e ainda tenho alguma esperança no Brasil,em que pesem seus alcolumbres, rodrigos maias,tóffolis e assemelhados,quando leio artigos como esse,escritos por uma mulher que admirei.como atleta e beleza também,por que não?

  29. texto primoroso Ana Paula. Vc é um exemplo de mulher, de atleta, de analista política acima de tudo de ser humano. obrigado por nos proporcionar essas ótimas reflexões. Um abraço de um fã de muitos anos.

  30. Parabéns. Tapa na cara com luva de pelica. Não se iludam. Ninguém convence um petista. Sofreram lavagem cerebral e morrerão assim.

  31. Parabéns Ana, pelo comentário feito por quem fez parte da história dos grandes jogos da nossa seleção de voley que tanto fez pelo crescimento do esporte em nosso país. Pessoas como você são muito importante para fazer o contraponto a esse pessoal de esquerda que não tem preocupação com uma pauta que favoreça a discussão sadia dos reais problemas que o Brasil precisa enfrentar para melhorar a vida de nossa gente. Admiro a sua determinação e me sinto representado pelas suas colocações.

  32. Análise lúcida e precisa, é mais que hora de abandonarmos as ideologias e enfrentarmos os fatos para que os brasileiros possam reconstruir sua identidade social e política.

  33. Então as cubanas fingiam muito bem! Enquanto eram atletas...mesmo que tomadas as devidas proporções elas eram privilegiadas pois levavam a propaganda comunista. mimimi é agora que a casinha caiu. Elas eram bem vibrantes na epoca delas! por favor né?

    1. sem noção do que é uma ditadura... ai delas se não fingissem.

    2. Oi ricardo,com r minúsculo mesmo, gente como você que acham que em Cuba, não sendo os castro e o stablischment que os ajudam a se manter no poder, alguém que com toda desgraça ainda tem orgulho de representar seu país mas sorri para não desagradar aqueles monstros e ver sua família e a si próprio punido tenha algum privilégio,é idiota, louco ou petista;parece que você é tudo isto ao mesmo tempo, poupe as vítimas daquela ilha de horrores por favor

  34. Será que alguém pode dar mais uma medalha de ouro para Ana Paula por esse artigo tão realista, lúcido, objetivo e intelectualmente honesto?

  35. Parabéns Ana Paula! esclarecedor, mas que para muitos, é a apenas um equivocado modo de enxergar as coisas. Infelizmente existe gente que não enxergam o óbvio.

  36. O que impressiona é a cegueira ideológica de tanta gente. Defendem Cuba como se fosse um paraíso na Terra e não o inferno que é!

  37. Parabéns, Ana! A melhor colunista da_ Crusoé, que, apesar de criar umas cascas de banana para o Governo, é uma revista muito boa.

  38. Ana Paula, você foi uma grande profissional nos esportes, mas como analista política, você se supera, sempre as suas análises são maravilhosas e as leio e aprendo com prazer, apesar dos meus 69 anos de idade.

  39. Henkel, lindo texto. Apaixonante sua postura de cidadã Brasileira observadora, humildemente transmitindo seu conhecimento para nós.

  40. Ana Paula, seu texto cada vez melhor, toda sexta a primeira coluna que leio é a sua, e olha que seus companheiros são os melhores.

  41. Parabéns Ana! É a melhor leitura na Crusoé. A sua luta contra o socialismo mostra sua inteligência. Temos que vencer esse regime maléfico que cega, ensurdece e rouba o futuro de gerações.

  42. Ana Paula, vai por mim, saia da Cruzoé, não queime o seu filme. Ultimamente a revista tem postado uma matéria mais tendenciosa do que outra, está perdendo a credibilidade e parece que não estão nem aí. Eu já me decidi, vou cancelar a porcaria dessa assinatura e nunca mais perder meu tempo lendo qualquer publicação de seus "colunistas".

    1. Cara,tu és simplesmente, um calhorda..renova logo a porra dessa assinatura e não enche mais o saco..

    2. Ana, você é única. Texto claro, correto e traz emoção. Continue assim, você tem o meu respeito.

  43. Novamente cativante e maravilha artigo, reflete com uma clareza singular a situação dos esquecidos pela ditadura que apenas se serve da população. Parabéns Ana Paula.

  44. Muito bom o artigo, aliás como sempre. Cuba já foi uma potência no vôlei masculino e no feminino, hoje não é mais e os atletas permanecem a ter que a conviver com a sua saga de vida.

  45. Todo mundo sabe que Cuba é uma ditadura militar tal como a que existia no Brasil e que é elogiada até hoje pelo presidente que a Ana apoia. De direita ou de esquerda, tanto faz. As duas são ditaduras. A nossa sorte é que mandamos os nossos militares para os quartéis, enquanto os cubanos não conseguiram fazer isto até hoje. Por fim, dizer que Cuba foi um dos países mais ricos do continente é mentira. A direita de lá roubava tanto que a população pobre e miserável teve que apoiar os Castros.

    1. Quando eu digo que a Oligofrenia do Jose (sem acento, que toma no assento), se não for ele peço desculpas, atingiu o climax, o faço com muita convicção. Atentem bem para os absurdos que ele acaba de escrever: Ditadura militar no Brasil. QUANDO? COMO? Você teve (se é que nessa época ainda usasse calças curtas), bloqueado o direito de ir a qqr lugar e voltar? 2- Alguém te incomodou a não ser que tenha se envolvido com terroristas? Que mente tacanha a sua!

  46. Ana Paula, conheci você em 1995 quando a seleção brasileira de vôlei feminino fazia avaliação física da CDA. Já era seu fã como atleta e agora mais ainda como jornalista.

  47. Ana Paula, sou sua fã como atleta e agora como escritora. Parabéns pelos seus textos tão claros e pela lição que vc me passa mostrando sua paciência com certo tipo de pessoas que usam a Internet para descontar sua ira por tudo que vai contra o que pensam e acreditam.

  48. Querida Ana, se é que posso assim chamá-la, nome tambem de minha irmã, obrigada por mais um emocionante e inteligentissimo texto. Você é um exemplo de cidadã e mulher. Só não cancelo a Crusoé por sua causa ( e pelo Sabino tb, confesso!)👏👏

  49. Vamos mandar esses esquerdopatas para lá, mas para viverem como o povo de lá e não com todos os privilégios da casta que está no poder, aliás o socialismo é a volta do feudalismo, uns com muito, “quem manda” e o povo todo explorado por eles, socialismo é a maior falácia já inventada para retornarem com o feudalismo, façam as comparações e vejam se não é igual. Parabéns Ana Paula, sábias palavras e grande artigo. Aproveitem e mandem os canalhas de toga para lá tb

    1. Brilhante minha conterrânea Ana Paula. Que tal dar um upgrade na política brasileira, Ana Paula? Tem meu voto e campanha.

  50. Concordo com os comentários da maioria esmagadora... Parabéns Ana... Excelente matéria...Relatando a realidade do regime socialista em um País

  51. Que lindo texto! Brilhantemente escrito, expondo um ponto de vista inspirado na vivência real, não nas falácias ensinadas por professores esquerdistas. Parabéns, Ana Paula. Inteligência, estudo e honestidade intelectual fazem uma belíssima combinação.

  52. Fico arrepiada de ler este artigo. Obrigada, Ana Paula não deixe de compartilhar com o brasileiro o seu conhecimento, com as suas impressões todos crescem de alguma forma.

    1. Estava enfraquecido,anêmico,privadodas excelentes crônicas da Ana Paula.Voltei ao normal.Estou curado...

  53. Magnífico texto Ana Paula. Devemos valorizar e aprender a votar nos verdadeiros homens e mulheres que trabalham diuturnamente, pelo nosso país. Chega a dar um frio na espinha quando penso que por um tris não caímos numa ditadura. A eterna vigilância é urgente. Assisti muitos jogos seus.

  54. Parabéns Ana Paula, mandou no alvo, quanta gente tenta tapar o sol com a peneira prá defender essa ditadura asquerosa, inclusive o chico burarque que adora e defende e nem põe os pés naquela ilha

  55. Ótimo comentário, sobre uma Cuba e o regime que impacta os cubanos que a imprensa brasileira prefere se omitir, para ver se o povo não aprende a conectar os pontos dos politicos e artistas tupiniquims que defendem a ideologia e forma de governo - com a dura realidade do que acontece por la’.

  56. Este foi o primeiro texto seu que li e gostei muito. A sua experiência com as atletas cubanas foi algo novo, e importante, para mim. Parabéns para você que está juntando a uma bela carreira de esportista também a de comentarista.

  57. Vivemos dias sombrios, Ana Paula. Não há mais diálogo político (será que houve algum dia?), mesmo quando a realidade se mostra tão perversa, como no caso de Cuba e Venezuela. É triste ouvir que o governo atual é ilegítimo, ou seja, 57 milhões de votos para ele de nada valem. Será que um dia as pessoas irão despertar?

    1. Ops! Os 57 milhões de votos onde? Governo ilegítimo onde? O Brasil é soberano, nosso voto conta, o brasileiro é livre até para alegar ilegitimidade. O choro também é livre, Aproveite!

  58. Faço coro contigo. Belo artigo. Precisamos pensar alto, fazer um exame de consciência constante para manter um discurso justo e humano. Muito lúcido seu artigo.

  59. Embora eu tenha torcido pelo Brasil em 1986 penso que foi bom as Cubanas vencerem. Se tivessem perdido, no mínimo seriam fuziladas ao regressar ao país maravilha de Lula e seus asseclas.

  60. Lindo texto! Obrigado! Tenho certeza que pouco a pouco, a argumentação desonesta vai diminuir, e cada vez mais a lucidez prevalecerá! Vamos em frente!

    1. Não precisa ser só do Leblon. Se te ajuda, já vi idiota de classe média com camisa do Che Guevara na Tijuca, bem como em várias outras cidades do país. Não é um clichê, é um símbolo perfeito do que é ser esquerda-caviar estúpido. Se você não gosta, azar o seu. Vai ver que você é admirador do Che.

    2. Parou coisa nenhuma. Leu até o fim e está se remoendo de ódio até agora.

  61. Já sou fã d vc, Ana Paula, tb me oriento pela moderação e busca da verdade. Assino em baixo esse seu artigo-depoimento e aplaudo sua coragem e lucidez

  62. Ana Paula, só quem foi à Cuba, não aos locais que se pode visitar tem um pouco de noção do que seja a inaltecida ilha da esquerda caviar brasileira. O que você descreveu pude observar com meus próprios olhos. Uma lástima que no Brasil artistas, principalmente, defendam os regimes mais ditatoriais do mundo sem o menor constrangimento. Nesse momento é que vejo como eles menosprezam a democracia. Quem sabe algum dia teremos uma classe artística menos hipócrita.

  63. Ana Paula meu respeito e admiração pela sua carreira e agora pela sua nova carreira de articulista, jornalista. Mulher de fibra de opinião. Quando perguntarem "e as cubanas? " .Você pode dizer "estão muito mal vocês viram como estao?". Ironias a parte sua matéria é um relato verdadeiro da vida em Cuba. Não conheço Cuba, mas se tudo que li,continua acontecendo POBRE CUBANOS.

  64. Ana Paula, parabéns por relembrar o sofrimento deste povo tão cruelmente explorado por estes ditadores cubanos, apoiados pelo PT com o nosso dinheiro. Só para esclarecer, o Brasil não é hoje uma Cuba, não porque PT não tentou, mas pelo nossa gloriosa Forças Armadas, que nunca compactuaram com este regime diabólico.

  65. Até eu que sou mais fraquinho fico abismado com essa maravilhosa brasileira, q leva a minha pátria ao conhecimento do MUNDO. Linda, perfeita.

  66. Cada dia melhor essa Ana Paula. Os que não têm inteligência e criticam/agridem sem fundamento algum continuarão a se ofuscar perante o brilho dessa bela e inteligente mulher.

  67. Perfeito! como todos os seus artigos! Ideologia cega. À direita ou à esquerda. Mas à esquerda é pior: não só cega. Ela mata,e mata muito.

  68. Bah. Eu acompanhei tudo isso do mais médicos. E agora, olhando para trás, vejo em tudo isso um pouco do horário de verão: tinha uma boa justificativa impunha a todos uma mentira e tinha defensores ditos em maioria. Hoje só me assusta pensar como coisas assim podem acontecer. Sobre Cuba, a trilogia de Pedro Juan Gutierrez sobre Havana suja corrobora tudo isso. E o homem que amava os cachorros do Padura. Precisa mais? Só parabéns, Ana. Que ser humano bonito tu és.

  69. Mais um texto absolutamente irrelevante. Todo mundo sabe como é a vida em Cuba, como é viver sob um regime comunista. A articulista, apesar de classificar as críticas a Bolsonaro e Trump como “histeria”, está fazendo de tudo para não tratar do impeachment de Trump. E eu entendo perfeitamente. Se ela não pode mentir e enganar o leitor, melhor ficar em silêncio. Histérica é sua devoção cega e desonesta à direita radical.

    1. O Fernandão .. e esse teu "se valhe".. é um autêntico tiro no saco da gramática e da língua materna.. alvaro( o costa hem?)

    2. Ninguém quis transformar o Brasil em Cuba. Só tentaram imprimir aqui o mesmo sistema de governo político ideológico que grassa por lá...

    3. Como sempre, o artigo da Ana Paula é totalmente irrelevante e anacrônico. Como se alguém em algum momento tivesse pedindo para transformar o Brasil em Cuba. O PT, que possui vários defensores de Cuba, nunca nem chegou perto disso. Pra passar o pano para governantes pelos quais a Ana Paula milita, ela se valhe desse argumento, que é da mesma maturidade que os argumentos da turma do elenão. Quem aplaude os artigos da Ana Paula passa recibo de sua ignorância política e infantilidade.

    4. Como é a vida em Cuba? Como funciona um país pobre, fechado, que massacra seus proprios cidadãos, tolhindo qualquer forma de liberdade e mesmo assim fornece, de uma forma geral, uma melhor educação e saúde, se comparado ao Brasil, sem deixar de beneficiar uma elite dirigente corrupta e anacrônica. Só vivendo lá, ou conversando com quem vive, para sabermos. Parabéns por defender suas idéias com sensibilidade e humanidade!

    5. Isso mesmo, Cristiane. Faço minhas as suas palavras. As viúvas vivandeiras continuam assanhadas. A elas o direito de espernear. Texto impecável da Ana Paula.

    6. O que seria dos bons textos sem críticas, não é vdd? Esquerdistas estão em todos os lugares... Até na Crusoé. Ana Paula escreve muito bem, e o fato de ela ter desagradado alguém da ala esquerdista só fala a seu favor.

    1. Pois é!, tem nesta reportagem a declaração consciente de Ana Paula que socialismo nao deu certo em nenhum país do mundo, onde ele passa deixa um rastro de infelicidades ,destruiçao e desgraça. Atenção pelo programa mais médicos do Padilha no partido PT, foi uma prova da escravidao dos medicos patrocinado pelo PT, e muitas coisas ruins que o socialismo traz para dentro de seu pais que adota esta ditadura. Viva a liberdade. Ditadura por socialismo aqui never jamais.

    2. Ana Paula. Que dicernimento. Linda reportagem. Obrigada.

Mais notícias
Assine agora
TOPO