Eduardo Knapp/FolhapressO governo concluiu a reavaliação do sistema de monitoramento das rodovias

Radares em novo round

A polêmica sobre a proibição de radares nas rodovias do país, que mobiliza um lobby milionário em Brasília, ganhará novo capítulo nos próximos dias
07.02.20

Um dos grandes inimigos eleitos por Jair Bolsonaro em seu primeiro ano de governo não tem ideologia, doutrina ou partido político, mas foi classificado pelo chefe do Palácio do Planalto como responsável por uma “grande roubalheira”. O sistema de fiscalização eletrônica das estradas que cortam o país virou o alvo de uma cruzada pessoal do presidente da República. Ao comprar briga contra esse oponente incomum, ele desagradou até parte de seus aliados, mas ganhou o apoio de influentes forças populares. Seis meses depois de Bolsonaro anunciar que o Brasil não teria mais radares móveis, o que motivou uma guerra política e judicial, o governo finalizou um trabalho de reavaliação de todo o sistema de monitoramento das rodovias. O estudo será apresentado na próxima terça-feira, 11, ao Conselho Nacional de Trânsito. Parlamentares e militantes em defesa do trânsito seguro já preparam a resistência para o segundo ato da campanha de Bolsonaro contra os radares.

Crusoé apurou que o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), vinculado ao Ministério da Infraestrutura, apresentará ao colegiado uma proposta de alteração da Resolução 396, em vigor desde 2011. A legislação fixa os requisitos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos. A ideia prévia, segundo fontes ouvidas pela reportagem, é dificultar ao máximo a instalação dos equipamentos, para dar uma roupagem técnica à vontade de Bolsonaro. O governo pode, por exemplo, impor mais exigências para autorizar o funcionamento de radares. Hoje, o estudo técnico prévio precisa contemplar características da via, como aclives e declives, o fluxo de carros e de pedestres, a velocidade da área fiscalizada, a média de acidentes no local e outros potenciais de risco. Mas para tornar as regras mais rígidas é preciso submeter a proposta ao Conselho Nacional de Trânsito, que é o órgão máximo normativo e consultivo para assuntos relacionados ao tema. O segundo round da luta de Bolsonaro contra os radares começa na semana que vem. Em nota, o Ministério da Infraestrutura confirmou que a proposta já está em avaliação pelas câmaras temáticas do Conselho Nacional de Trânsito e que será apresentada aos conselheiros na reunião marcada para os próximos dias.

As contestações do presidente com relação à fiscalização eletrônica de rodovias começaram no fim de março do ano passado, quando ele anunciou, pelas redes sociais, a suspensão da instalação de 8 mil radares em pistas federais. Prometeu ainda rever todos os contratos para verificar a “real necessidade dos aparelhos” e para que não houvesse “dúvidas quanto ao enriquecimento de poucos em detrimento da paz do motorista”. Em agosto, um novo episódio polêmico: o presidente anunciou o fim da fiscalização com radares móveis em todo o Brasil e proibiu a Polícia Federal de multar motoristas usando aparelhos portáteis.

Bolsonaro acabou com a fiscalização por radar móvel, mas a Justiça derrubou
Especialistas em trânsito, associações de familiares de vítimas de acidentes rodoviários e até alguns parlamentares bolsonaristas reagiram. Ainda em abril do ano passado, a Justiça Federal em Brasília determinou a manutenção dos radares e a renovação de contratos, sob pena de multa diária de 50 mil reais. Em um acordo com o Ministério Público Federal, o governo se comprometeu a instalar 1.140 novos equipamentos em rodovias federais. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes informou esta semana que, sete meses depois do acerto na justiça, esses radares ainda estão em processo de instalação, já que o projeto de alguns aparelhos não foi aprovado. Já em relação ao fim da fiscalização por meio de radares móveis, desde dezembro ela foi retomada por decisão judicial.

O debate em torno do controle eletrônico de velocidade envolve um jogo de forças e de lobbies políticos poderosos. De um lado estão motoristas, principalmente caminhoneiros, que correm o risco de perder a carteira de habilitação diante do excesso de multas e pontos. O presidente Jair Bolsonaro não esconde o receio que a categoria lhe impinge. A briga com governadores por causa do preço do combustível é um exemplo do que o governo está disposto a fazer para evitar uma nova greve de caminhoneiros – ameaça que paira como nuvem negra sobre o governo, desde o ano passado. As declarações públicas do presidente contra os radares poucos meses depois de tomar posse foram outro aceno aos transportadores de cargas.

No outro extremo desse espectro de forças estão os empresários do bilionário setor de radares eletrônicos, muitos com interlocução e força no Congresso Nacional. A última grande licitação realizada pelo DNIT, em 2016, teve valor estimado de 2,3 bilhões de reais – montante que acabou reduzido a pouco mais de 1 bilhão de reais com a concorrência pública. Ao todo, oito empresas firmaram contrato com a União, em decorrência dessa licitação, e têm interesses econômicos na manutenção dos radares.

Geraldo Bubniak/AGB/FolhapressGeraldo Bubniak/AGB/FolhapressNo novo round, governo vai endurecer regras para a instalação dos radares
O terceiro elemento envolvido na guerra de interesses é o chamado “lobby do bem”, realizado por entidades que atuam em defesa do trânsito seguro e, principalmente, por associações de familiares de vítimas de acidentes fatais. Esse grupo pressiona deputados da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro por medidas que garantam a manutenção da fiscalização eletrônica nas rodovias brasileiras. Rodolfo Rizzotto, coordenador da organização SOS Estradas, é interlocutor dessas entidades no Congresso e usa dados estatísticos para questionar a luta anti-radares de Bolsonaro. “Foram medidas tomadas sem a apresentação de nenhum estudo técnico. Existem falhas pontuais com relação à instalação de aparelhos, mas, sem dúvida, o maior problema são os infratores impunes. O Brasil não tem uma indústria de multas, e sim uma fábrica de infratores”, argumenta.

Dados da Polícia Rodoviária Federal compilados pelo SOS Estrada mostram que, no primeiro trimestre de 2019, houve uma média de 398 mortes por mês. A partir de abril, quando o presidente começou sua cruzada contra os radares, até dezembro, a média mensal subiu para 460 vítimas. Na contramão dos SOS Estrada, o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos, Diumar Bueno, que representa os caminhoneiros, milita contra o que chama de abusos do sistema de fiscalização. “Somos favoráveis ao controle de velocidade, mas achamos que esse sistema de radares eletrônicos é uma política equivocada, que não cumpre o objetivo de redução de velocidade”, argumenta. “Está comprovado que há um esquema de arrecadação. O modelo e o método estão errados e esperamos que o governo reveja tudo isso no processo de reavaliação da fiscalização eletrônica”, acrescenta Bueno.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. É óbvio que, para maior segurança, deve haver controle de velocidade. Porém a margem para a punição dos infratores deve ser revista. A localização dos radares deve ser informada previamente como era antigamente. Atualmente, percebe-se que existe uma indústria das multas e não há transparência quanto ao destino e total do dinheiro arrecadado.

  2. De um lado, temos os lobystas e um contrato de 2,3 bilhões de reais da Dilma. Do outro lado temos o Bolsonaro querendo derrubar isso. Em quem você acredita? Fácil. Follow the money. Quem defende a Dilma e os lobystas ou é "inocente útil" ou é "culpado inútil".

  3. No geral, o sistema de radares é bom e passa despercebido pelo bom condutor. Mas, esporadicamente, nos deparamos com fiscalizações "amoitadas" e em locais sem muita razão. Outro fator é uma baixa definição de velocidade para trechos sem risca a ninguém, passiveis de fiscalização. Um debate lúcido da questão se faz necessário.

  4. Resido em Uberlândia MG e utilizando rodovias federais efetuo viagens para Jundiaí SP, onde tenho familiares. Na Br em Minas Gerais o limite de velocidade é de 100 kph, contudo é comum sermos ultrapassados por caminhões vazios ou carregados a não menos que 130 kph. O que não ocorre na Rodovia Anhanguera onde a fiscalização móvel é uma constante. Esclareço que não são todos os veículos pesados que excedem a velocidade.

  5. A Rodovia Amaral Peixoto que liga Niteroi a Marica ,saquarema e Araruama ~e absolutamente uma vergonha . O asfalto todo esburacado e dezenas de pardais. A via eh ainda estreita e sem acostamento. Causa indignacao pelo IPVA que pagamos para ter estrada tao indecentemente esburacada. Eh uma vergonha ,eh indecente ,eh uma canalhice o que fazem com todos os pagadoress de impostos. Raca de vagabundos que nao melhoram as estradas e ainda nos multa . Cada pardal desce a velocidade para 40k.

  6. Assim como a questão da liberação de posse de armas, o que está em jogo não é a necessidade ou não do controle de velocidade e sim uma mudança na aplicação das leis no Brasil. São raríssimos os casos em que infratores de trânsito tenham sido condenados e, principalmente, PRESOS em função de crimes praticados. Infelizmente, com o STF descartando a prisão em 2ª Instância, não temos como evitar este tipo de crime. Radares não tem impedido infratores contumazes de continuar a infringir a lei.

  7. Presidente Bolsonaro, reduza drasticamente esta industria de multa,alterando os beneficiários da arrecadação: 60% para o Ministério da Saúde que acolhe os acidentados, 35% para o ministério da previdência que acolhe os trabalhadores afastados nós acidentes e 5% para a indústria do radar. Isto vai reduzir muito a na fé praticada contra a sociedade.

  8. É uma grande roubalheira mesmo?! Esses radares, instrumentos do achaque, são instalados em locais onde jamais ocorreram acidentes, a não ser aqueles causados por motoristas que ingeriram álcool ou qualquer outra droga, ,mas, como se sabe, não há como fiscalizá-los eficazmente, pois, exigiria parar todos os veículos para abordar e entrevistar cada motorista, nas estradas ou nas cidades. Essa é a verdade.

  9. O Presidente Bolsonaro tem razão. Os radares não previnem acidentes e são uma forma de assalto ao contribuinte. Basta observar que são instalados exatamente em locais onde nunca ocorrem acidentes; não são pontos críticos. Eles são estrategicamente instalados em locais onde a velocidade máxima poderia ser maior, exatamente para arrecadar mais. A grande maioria dos acidentes nesses locais, planos e extensos, são causados por motoristas embriagados, que nenhum radar pode inibir.

    1. O Presidente está certo quando critica a indústria da multa dos RADARES. esse tipo de penalidades só serve para encher vos bolsos de empresários do setor e políticos corruptos. o número de acidentes e mortes no trânsito aumenta a cada ano. olá solução problema do trânsito está na impunidade dos motoristas causadores de acidentes. façamos como no Estados Unidos punindo as mortes no trânsito como crime dolosos contra a vida que vai reduzir drasticamente os acidentes.

  10. Tudo nessepaiz é caça ao pato. Não satisfeito em te extorquir impostos, as ditas agências nacionais são profissionais em te extrair também o sangue. Pra trabalhar lá deve ser obrigatorio atestado de psicopata.

  11. Será que velocidade é o vilão dos acidentes em estradas? Na Alemanha a exceção é limitar a velocidade. É comum que viajando a 140km/hora você esteja atrapalhando o trânsito!! Enquanto o Brasil tem cerca de 60.000 acidentes ano, a Alemanha tem cerca de 6.000! Ou seja dez vezes menos!! A extensão da malha rodoviária lá e o número de veículos é semelhante ao daqui! A maioria da rede data dos anos 30 (num estilo Dutra de duas mãos); a conservação no entanto é PERFEITA!!. Nunca encontrei um buraco!

  12. Para melhorar o trânsito é preciso começar com as auto escolas, Que só arrecadam sem compromisso com a educação no trânsito. Quando alguém não passa no teste, de quem é a culpa? Quem ensino mal? e o que acontece?Nada! E as vias, um lixo, na minha região fizeram um asfalto novo pouco antes das chuvas e poucos dias após as primeiras os buracos são enormes, um asfalto vagabundo, porque não copiam o pavimento dos EUA, que tem 20cm de manta asfáltica, enquanto aqui se questionam o exagero de 2cm.

    1. Como se diz aqui em Pernambuco: são posicionados pra nos pegar “à traição”.

  13. Não entendo uma fiscalização eletrônica que avisa onde os aparelhos vão estar. Os motoristas reduzem a velocidade após a advertência e voltam a acelerar após deixarem os radares para trás. Nunca entendi.

    1. Porque é só para lugares que tem alto índice de acidentes. Se estiver escondido, ele multa e não evita o acidente.

  14. já trabalhei nesta Área, e posso afirmar que a única intenção dos governos e arrecadação, culpa do cidadão brasileiro que tem sua consciência no bolso infelizmente.

  15. co pode um Presidente ser tão estupido. nós EUA que ele adora de joelhos carros policiais ficam escondidos em curvas atrás de árvores para pegar infratores e ainda mais usam carros dofarcados trafegando nas estradas também para pegar infratores. sem fiscalização rigorosa não há trânsito decente. vá passar uns dias lá e volte civilizado .!?!!

    1. A diferença é que as multas no EUA, vão para o governo, e aqui, ficam uma pequena porcentagem com o governo, o resto (a grande parte) fica com as empresas que tem caixa pra bancar lobbys e propinas para prefeitos. Se vc tivesse alguns radares, e ganhasse dinheiro com eles, onde iria colocá-los? aqui na minha cidade, eles colocam em lugares que não passam pedestres, mas que reduzem a velocidade extrema (de 100km/h para 40 km/h), e na porta do shopping (onde tem pedestre) não tem radar.

  16. Eu não entendo a maioria dos argumentos contra a fiscalização feita pelos radares. Estão multando sem que haja cometimento de infrações? Só há indústria de multas, se houver infrações indevidas. Este é o caso? Concordo que há pouca educação de trânsito ou fiscalização adequada, com a parada do infrator e as devidas correções aos atos praticados. Os absurdos que acontecem relacionados a excesso de velocidade tem que ser punidos com rigor e acredito que os radares e câmeras são as ferramentas.

    1. Se vc quer ser roubado, problema seu. não deseje isso para os outros. Normalmente é criado golpes nesses radrares (mudança aleatório de velocidade, sem placas de velocidades para que o cidadão saiba que velocidade é a via etc). No estado de Pernambuco, os prefeitos e o governador, precisam de dinheiro para política. Existem vias mal sinalizadas de 30km. só para faturar. Não dá para defender isso... é loucura, como defende pessoas que quer lhe roubar.... não entendo..,

  17. Tenho viajado de carro por estradas dos EUA e da Europa recentemente. Nestes países desenvolvidos não se vê este verdadeiro mar de radares que vemos no Brasil. É claro que esta desproporção de radares é fruto de uma máfia arrecadatória que não aumenta a segurança nas estradas. Precisamos acabar com este abuso como tantos outros como: DPVAT, extintor de incêndios, a combinação pedágio+IPVA. Etc.

  18. É uma indústria da multa em cima dos carros. É só dinheiro, não tem moral nenhuma nessa história. Caso contrário, haveria fiscalização em cima das motos, que correm muito mais que os carros, fechando os motoristas e costurando entre as faixas o tempo todo. Por outro lado, não há policiamento educativo móvel. O policiamento é pontual, localizado nos postos da Polícia Rodoviária. Nos Estados Unidos, vi que tem polícia rodando o tempo todo nas estradas.

  19. o lobby dos fabricantes e o interesse dos políticos é enorme, achou que o Presidente, não ganha essa...eles são muito fortes e não querem perder essa boca.

  20. O mais importante é a segurança do motorista e passageiros. infelizmente, ainda somos um povo sem educação nessa área também.

  21. Reclamam de barriga cheia.Aqui na Europa(Italia e Espanha) que eu sei, tem radares dinamicos e nao estaticos como ai no Brasil.Aqui vc. passa no radar na velocidade correta,mas vai ser verificado 4,5,6 km a frente,pelo tempo.É medido o tempo que vc. passou nos 2 pts Ai sim é calculado sua velocidade, se deu acima do permitido.Dançou....

  22. Quem ainda tem duvida que é uma roubalheira a multa escamoteada dos radares moveis, ora onde deve fiscalizar a velocidade que se instale radar fixo e os acidentes não são causados somente por velocidade, as má condicões dos veiculos causam grandes acidentes.

  23. É UM SISTEMA DE CONTROLE COMPLETAMENTE EQUIVOCADO. Não está provado que o motorista mais rápido seja o responsável pelos acidentes. Outro problema está no controle da velocidade nos trechos de estradas controlados pelas prefeituras. Na mesma rodovia se encontra pracas que exigem as velocidades mais variadas entre 40 e 80km e isto em espaço de 3 a 5 km. Óbvio que atrás disto uma enorme negociata. O pior disto tudo são os bandidos que ainda comandam o setor.

  24. POR FAVOR NÃO. Foi só o Presidente Bolsonaro falar nessa industria de multas, que diversas cidades encheram as ruas de radares. Minha cidade teve um aumento na arrecadação de 400%. Critérios, Legislação, necessidade ZERO.

  25. 1 fato: o Brasil é o país que mais multa no mundo 2fato: nosso trânsito é uma verdadeira carnificina apesar desta enorme fiscalização defendida pela indústria da multa 3fato automóveis saírem das fábricas com limitador de velocidade 4 educação continuada da população Maioria dos motoristas, pedestres, ciclistas não conhecem a legislação As entidades em defesa das vítimas são utilizadas pela indústria. A causa é nobre mas a verdadeira intenção não é e nunca foi resolver o problema.

    1. Pior que os motoristas é a qualidade das estradas e a péssima qualidade dos carros. Muitos carros brasileiros não seriam vendidos nos países desenvolvidos pois não passam nos testes de segurança dinâmica. Estes são os verdadeiros vilões. No Brasil o motorista é vítima.

    2. Falou tudo, Renato! Como motorista que roda, em média, 3 mil km/mês, percebo que a principal causa de acidentes não é a velocidade, mas a péssima qualidade dos motoristas, que dirige como se estivessem sozinhos no mundo - sem dar uma seta... sem olhar um retrovisor...

  26. O pior inimigo do povo, e o STF. Esses sim teriam que ser eliminados. Quanto a roubalheira dos radares, e só quebrar cada um. Nosso país não tem lei mesmo.

  27. FATOS: existe indústria da multa SIM. Existem MUITOS motoristas que não estão nem aí para as regras de transito. Agora, tem que se pensar em alterar o esquema de fiscalização com muito estudo e critério. Pelo menos apareceu alguém pra meter a mão no vespeiro e tentar resolver o problema.

  28. Em Albuquerque, na estrada Teresópolis Friburgo, a polícia militar rodoviária instalou um radar móvel de 40 km por hora, e pasmem, ele se situa entre dois radares de 50km por hora. Não há um carro que por ali passe não tenha sido multado. Uma armadilha de quadrilha.

  29. Se pelo menos padronizar todos os radares para que fique claro para quem dirige , já evitaria muitos acidentes que são causados porque o motorista não onde está escondido as arapucas e tira sua atenção da estrada pela má sinalização,e acaba ao invés de evitar causando mais mortes , e essa falta de padrão nacional demonstra que a intenção é só arrecadar e não diminuir acidente.

  30. "Não temos uma indústria de multas, mas sim uma fábrica de infratores". A fábrica também produz mortos, famílias destroçadas e prejuízo nas contas públicas (sistemas de saúde e previdenciário), além de afetar o crescimento da economia com a morte precoce de milhares de pessoas em plena idade produtiva. Aos caminhoneiros tudo o que lhes é devido: respeito, preço justo de frete e de combustíveis. Atacar radares e pontos na CNH é fazer cortesia com o chapéu errado. Trânsito seguro sempre!

  31. A função da polícia é educar, orientar, advertir e punir. RADARES MOVEIS PODEM existir mas sempre precedidos de sinalização indicativa. O MOTORISTA deve estar ciente da aproximação do radar que não está habitualmente naquele local. Sabendo disso, só será multado se ignorar a advertência. Em SP há RADARES em viadutos sobre pista única q multam o veículo quando acaba de passar sob o viaduto sem qualquer aviso na entrada!! Já vi em rodovia, placa de 80 km/h ao lado de aviso 60km/h.

  32. A Rio/Santos é uma vergonha, até Angra está com o asfalto todo remendado e radares de 40, 60, 50, 40, 40, 60, 40, 50km..............

  33. Aqui, em BH, guardando as devidas proporções, a Prefeitura alegou que não tem verbas para colocar sinalizador de tempo, nos semáforos. Mas, sempre tem verbas para colocar radares de avanço de sinal! E aí? É arrecadação ou não é?

  34. a indústria da multa é poderosa e atua no congresso com congressistas e policiais.... e esses não querem saber de segurança e sim de faturamento

  35. Só quem dirige nas estradas nacionais sabe o que é ter que ficar com um olho no radar e o outro no velocímetro! É de dar enxaqueca! E o prazer de dirigir vai pro espaço!

  36. Outra vergonha nacional.As autoridades estão muito mais preocupadas em arrecadar do que com a segurança do trânsito.Se assim não você,investiram em educação de trânsito.Um exemplo simples é o uso obrigatório do farol nas rodovias; eles tem estrutura para multar, mas não tem interesse em colocar uma sinalização , para lembrar o motorista dessa obrigatoriedade.

  37. É importante a segurança no trânsito. No entanto, certas situações impõe mais análise. Como ficar de tocaia numa reta onde a ultrapassagem é permitida a 90 embora a placa diga 80. Os carros de hoje aceleram sozinhos e é difícil ultrapassar sem acelerar um pouco, principalmente numa estrada pouco movimentada.

  38. Radar movel so serve p punir e nao muda em nada os acidentes. Se a funcao do radar e garantir q em trechos perigosos a velocidade seja reduzida, entao deveriam colocar radar fixo. Torço p q o Bolsonaro reduza estes gastos e nao puna pessoas de bem

  39. Sim !!! Educação!!! E na sociedade como um todo!!!O Trânsito só é o reflexo da nossa sociedade atual!!! Sou a favor dos radares!! De alguma maneira o povo deve ser educado!!!

  40. Na Europa, praticamente a totalidade dos motoristas respeita a sinalização de velocidade, sem radar escondido ou não. É uma questão de ensino. A criança, desde o jardim de infância, aprende a respeitar leis. A maioria respeita isso a vida inteira. QUESTÃO DE EDUCAÇÃO. Este é o segredo. Esta é a solução do problema quanto ao limite de velocidade, etc., etc.

  41. PARABÉNS BOLSONARO!! MAIS UMA VEZ MOSTRA QUE ESTÁ DO LADO DOS BRASILEIROS CORRETOS E SUSTENTADO RES DE UMA CORJA DE POLÍTICOS MAMADORES DE TETAS ESTATAIS!!

    1. A indústria da multa não favorece em absoluto aos motoristas, é meramente arrecadatória. Aliás aqui existem várias pegadinhas, que podem levar o motorista, na ânsia de evitar as multas, provocar os piores acidentes.

    2. Nas nossas rodovias nao precisa de radares,e sim de motoristas responsáveis, e principalmente educados, . ,o que infelismente estamos carentes.

    3. Viu, Cássio. Mas a estupidez é maior que o senso de realidade. Não registram nada, preferem culpar os radares, as estradas, o tempo, o papa...

  42. E quase impossível viajar sem ser multado. A velocidade máxima de 110 km/h nas rodovias causa irritação nas autoridades do trânsito. Do nada, o limite despenca para 60 e 50 km/h, com aviso de radar. A falta de clareza é proposital para multar.

    1. Tem que rever os critérios para instalação desses radares. Abusos com seu uso estão espalhados por todo o Brasil. BR 040 próximo a cidade de Santos Dumont, existem radares que multam que transita com velocidade acima de 30 km/hora. Quem passar por ali, principalmente à noite terá grande chance de ser multado.

    2. Concordo plenamente. existem trechos que você, se obedecer a velocidade indicada, será atropelado por algum caminhão ou ônibus de carreira.

  43. A velocidade de segurança em qualquer trecho de uma via varia com o tipo de veículo, as condições do veículo (carregamento, manutenção, modelo - abs, faróis, etc.), com as condições do motorista (disposição física, acuidade visual, estado emocional, etc.), com as condições climáticas (chuva, neblina, etc.) com a hora do dia (noite, dia, posição do sol, etc.). No entanto para tantas variáveis atribui-se uma velocidade única nos radares. Claro que é uma impropriedade.

    1. Bom senso não é o jeito dos burocratas. É trabalhoso e difícil treinar os policiais para terem bom senso. A primeira vez que dirigi nos EUA fiquei surpreso porq eu circulava na velocidade permitida e todos os outros me ultrapassavam. O que há? Um americano me disse: até 10% acima a policia tolera, ninguém pode dirigir olhando o velocímetro. Mas, me disse, se vc é parado por outra infração levará tb a multa de velocidade. A maioria dirige com cuidado. O irresponsável não respeita qualq limite

  44. Quem já dirigiu no exterior fica ainda mais revoltado com a indústria da multa brasileira. Em Orlando, FL nos EUA e em Portugal, países onde dirigi, a sinalização de trânsito é clara. No Brasil, na maioria dos casos, a sinalização é confusa induzindo os motoristas ao erro. Isso tem que mudar no Brasil.

    1. As autoridades só querem arrecadar, não tem interesse em educação de trânsito.

    2. E ainda dizem q os “caça-níqueis” são proibidos no Brasil ... o q são estes radares senão “caça-níqueis ??? Só q estes não ficam às escondidas e sim nas surpresas das estradas.

  45. Em São Paulo, capital, se vc andar de carro num dia chuvoso, os semáforos deixam de funcionar. Mas os radares jamais. Qual o nome disto se não industria da multa? Vc é multado por passar no vermelho num semáforo que não tá funcionando. Ah vão c.a.g.a.r

  46. Tem gente que não tá nem aí pra radar ou lombada no meio da rua. Um tipo de motorista que enfia o pé no acelerador e desrespeita qualquer regra de trânsito. Mas também tem muita pegadinha de limite de velocidade nas estradas e ruas do Brasil, evidenciando a indústria da multa. Trechos que permite rodar tranquilamente a 100Km por hora, ou mais, colocam placas para rodar a 60 Km/h, e por lá sempre haverá um radar funcionando perfeitamente para arrancar dinheiro do nosso bolso. Multa revoltante!

  47. Outro absurdo, a BR-101, (a mesma rodovia, tipo de estrada, riscos de trânsito etc) de Curitiba até divisa Santa Catarina 110 km por hora; em Santa Catarina 100 km por hora. Qual a justificativa para isto?

    1. Para que o limite de velocidade seja 100 km/h, abaixo do permitido por lei, seria necessária uma sinalização visível por todo o percurso, isto é, uma placa a cada 50 metros.

  48. Continuando comentário anterior, temos uma empresa com equipe comercial que trabalha viajando continuamente. Somos rigorosos com o cumprimento das normas de trânsito e cuidados, mas, mesmo assim, 3 funcionários estão na iminência de serem demitidos, pois irão perder a carteira. Todas as infrações cometidas são de baixo risco. Exemplifico: Andar a 67 km por hora, quando a lei era 60 km. Oitenta por hora, etc. Vejam que vivi a dor da perda e, mesmo assim, entendo que tem uma indústria de multa

  49. olha, experimenta sair do Rio de Janeiro e ir para Parati e vocês irão ver a quantidade absurdas de radares, com velocidades máxima de 40 -50 -60 kms por hora, um bandido a pé te assalta na maior tranquilidade, fora que você corre risco de acidente, tendo em vista que não sabe se presta atenção na estrada ou nas placas informativas que que oscilam muito é uma verdadeira pegadinha do malandro. Quanto a que limita a 110 kms por hora, sou totalmente favorável.

    1. concordo. as rodovias estão cheias de pegadinhas. porque não egizem mais 3a. pistas. exemplo br 277 para Foz do Iguaçu

  50. Aqui fala um pai que perdeu um filho de 31 anos, vítima de acidente e porque motorista infrator desrespeitou sinalização de velocidade. Mesmo com a dor da perda, não carrego ódio do motorista causador do fato, mas sim me enoja o que a corrupção causa, pois o local do acidente, BR 470, Alto Vale do Itajaí é uma das rodovias que grande causadora de mortes no Brasil e ninguém fez nada para melhorar e mudar o risco comprovadamente existente (o roubo e corrupção, não permitiu isto).

  51. Varios lados da questão: Familiares de vítimas de trânsito destroçados emocionante e querendo punição (ou até vingança?) Motoristas perseguidos por radares abusivos em locais exdruxulos com péssima sinalização Motoristas psicopatas dirigindo a solta Prefeitos de pequenas cidades engordando o caixa com multas justas e injustas Empresários vendendo seus radares Presidente fanfarrão que fala mais do que pensa Técnicos analistas e de especialistas em.... pn Afff onde é a saída?

  52. O Presidente Bolsonaro está agindo nesta questão dos radares com total desrespeito à vida dos cidadãos. O motorista brasileiro é o pior e mais irresponsá vel do mundo. Nenhum país mata mais no trânsito do que o Brasil. Qual a dificuldade em se respeitar a sinalização, cumprir a lei? Milhares de inocentes pagando com a vida pela irresponsabilidade destes doentes que não entendem a responsabilidade que devemos ter ao dirigir um veículo.

    1. Maria, vc é motorista, pois não parece que trafega em estradas brasileiras. A indústria da multa não evita acidentes, muito pelo contrário, as pegadinhas, que são muitas, causam acidentes. Imagina vc estar na estrada a 110km/h e de repente uma sinalização para 50km/h? É mais adiante 100, vc definitivamente não dirige em estradas. Não sabe do que se trata.

    2. Ricardo, obrigada por argumentar tão ricamente e em alto nível. Se os motoristas, que são os condutores dos veículos, não são os culpados pela mortandade nas estradas, mortes essas superioriores à mortandade das guerras mais sangrentas, quem são os responsáveis?

    3. idiota! punição a torto e direita não melhora o trânsito! porqueiras! rode as estradas e verá q o motorista ei menos culpado! radares só pegam os destruídos!

  53. Radares são instalados sem finalidade de disciplinamento/educação do trânsito. Único critério adotado é o da maximização da arrecadação. Governantes e empresários em conluio contra o cidadão. Lamentável.

  54. Absurdo, da minha cidade até Búzios no litoral fluminense, havia a pouco, 23 radares fixos, após Bolsonaro falar em retirar, passaram para 40. Quem controla essa arrecadação ?

  55. Indústria da multa sim! Indústria dos semáforos nas cidades! Crusoé, se possível investigue quanto arrecada UM pardal num trecho movimentado de uma rodovia E de uma rua de cidade grande. Só um; o choque vai ser grande. Lobby de empresários milionários da indústria de radares. Esse o Brasil que o PT deixou. JB está mais que certo. ONGs de preservação de vidas: o que salva vidas são rodovias duplas, BEM conservadas, com asfalto decente veículos em condições e EDUCAÇÃO. Vide Alemanha, UK, França.

  56. se no Brasil as coisas tem que ser transparente...a fiscalização tem que ter placa de Advertência antes dos radares....caso contrario é roubalheira mesmo...a Impressa exige transparência em suas ações, e por que a policia federal tem que ficar escondida aplicando multa ... usurpação... e a Imprensa seja Isenta - transparente e ética também - estamos cheios dessa imprensa maldita.

    1. José vc exige das empresas mas, se esquece que está ética tem que existir em cada um de nós. Qual é o problema de não existir placa indicando a proximidade do radar. Vc tem que andar na velocidade indicada da via . Enão qual o problema do policial não estar à vista. Enquanto todo mundo viver freando perto do radar e, pregando o pé depois, vamos ser multados , sim. E, não dá para reclamar. Nem os senhores caminhoneiros.

  57. Sou de Ituverava-SP. Viajei para Unaí. Na volta, em Paracatu, fui multada pq velocidade era 40 km e passei a 49. O absurdo é uma rodovia onde a velocidade permitida é 100km e alteram para 40, sem placas informativas. O mesmo ocorreu em outro trajeto de Paracatu, em 2017. Se isso não é indústria de multa, não sei o que é.

    1. Bernadete vc não deve dirigir em estradas e nem sabe o que está falando. A velocidade da pista muda a todo instante, então é lei, tem que avisar sim. Chega dessas pegadinhas para garantir o faturamento desse lobby milionário é-nos motoristas que se danem.? Pela sua conversa se percebe que vc não é motorista de estrada.

  58. Estão muito mais ficados na arrecadação do que em justiça. Quando o motorista comete algum acidente por alta velocidade oh embriaguez o que acontece? Alguém é realmente punido? Ou apenas paga as despesas médicas e de funerais? O que aconteceu com o filho da Fátima Bernardes e Bonner? E tantos outros pelo Brasil? Que tal fazer justiça real.

  59. Se não quer ganhar multa, dirija dentro do limite. Inclusive, para quem reclama do preço dos combustíveis, dirigir 20% acima do limite gasta 10% a mais de combustível em carros e até 30% nos caminhões .Se for fazer como nos EUA ou Europa, os radares estão instalados dentro das viaturas. Ao detectar um infrator, ele tem de ser perseguido e parado. Impossível de se fazer aqui. Eliminem os pardais, que todos sabem onde estão e tiram o pé...

    1. Só que na Europa ou nos EUA, não tem pegadinhas, o limite de velocidade nas auto banh é de 130 pq as estradas são ótimas e os carros melhores ainda. O que se está discutindo é o lobby dos radares, que só favorece alguns políticos e as empresas em questão. Acordem, isso é o Brasil

    2. Concordo com vocë, Roberto. Eu moro a quatro horas de Nova York. Brinco com meu marido que atrás de cada árvore tem um carro de polícia rodoviária. São rigorosíssimos, e se te pegam por qualquer negligência, as consequências são amargas. No Brasil o cara sai bêbado, mata cinco, e o quê acontece? Nada!

    3. E para quem acha que na Alemanha nada é proibido, procure saber o que significa Erhöhte Betriebsgefahr... Toparia arcar com as consequências?

    4. Acho curioso que muitas das pessoas que querem que a lei seja duríssima contra a corrupção são as que reclamam de tomarem multas de trânsito. Curioso caso. Para punir os outros, a força da lei, para não me punir, argumentos sem fim. Vivemos uma carnificina no trânsito, tão mortal quanto o tráfico de drogas. Até quando pessoas vão morrer porque outros acham que estão jogando video-game enquanto estão no trânsito?

    5. No Brasil, quando.não se sabe como resolver um problema, proíbe-se! Simples assim. As liberdades do cidadão que se danem... O caso é tão grave que nas autoestradas alemãs não há limites de velocidade, nada é proibido

    6. ...e com o dinheiro dos pardais, que se melhore as condições das estradas no Brasil, que são um perigo. Aliás, outra razão para se dirigir dentro do limite. Certa vez caí num buraco que cortou o pneu e quebrou a roda. Sorte que eu estava dentro do limite de velocidade.

  60. Continuando: radares fixos avisados, com velocidade abaixo da velocidade segura da pista, funcionam como método arrecadatório e incentivam o comportamento hipócrita na sociedade, pois os motoristas só observam o limite de velocidade onde estão os radares.

  61. Se está comprovado que há um esquema de arrecadação com as multas que ele seja reprimido. Mas tudo indica que o PR está refém dos caminhoneiros. Até o Temer foi mais corajoso.

  62. A discussão está toda errada, dos dois lados! O problema fundamental é o estabelecimento de limites de velocidade desnecessariamente baixos, gerando lentidão no trânsito e interesse em desrespeitar a norma, para que alguém se beneficie do ato de multar. Resolvida a primeira questão, transformando limite de velocidade em uma política séria, a fiscalização tem que ser feita sem limites! Sem avisar, usando radares móveis, com perseguição por viaturas, etc. Ninguém pode ter direito de violar Direito

    1. Parabéns Rafael, este é o caminho que devemos defender. É um absurdo entrar em uma rodovia que deveria ter velocidade de 100 km/h e a todo instante precisar baixar a velocidade em curvas perigosas, lombadas físicas, com lojinhas de panelas, bares, pedestres, cavalos, bicicletas e ponto de ônibus!!! O absurdo é a falta de padrão e a corrupção que continua a moer com o país criando a indústria da multa, ao invés de corrigir as estradas!

    2. As mortes a acontecem pelo estado precário das estradas, mas isso ninguém diz porque não interessa. As estradas argentinas são excelentes e muito bem sinalizadas. Você dirige com absoluta segurança.

    3. Lentidão no trânsito ocorre mesmo é quando um veículo tomba na pista por excesso de velocidade.

  63. Não há duvida de que existe uma indústria das multas e que um grupo se beneficia com radares ( inclusive sustentando "lobby" ) e que isso tem de ser diminuído para atender o objetivo de diminuição de acidentes. Achacar o bolso do motorista não é a melhor solução.

  64. Só desinformados ou partes interessadas caem neste engodo de segurança no trânsito. O que diminui acidente é estrada boa, duplicada/triplicada e carro bom. O resto é coerção estatal de país socialista, que em nome da segurança só quer fungar o bolso do povo para manter as bebesses do setor público. Parabéns presidente.

    1. Bernardete ao insistir que o único caminho é o da educação, culpando novamente o povo brasileiro, vc propõem manter a indústria da multa e que nossos filhos sejam doutrinados a abaixar a cabeça para toda esta vergonha nacional? Entendo sua ideologia....

    2. Mas, seria muito bom se finalmente em 100 anos nos tornássemos um povo educado, não é?

    3. Onde possamos viajar na velocidade estabelecida da estrada, sem ficar alterando a mesma a cada curva, obstáculos, pontos de ônibus, ciclistas, etc... Ex.: a serra do cafezal entre SP e PR foi duplicada a menos de 2 anos e obriga reduzir a velocidade para 60 km/h dentro de um túnel, com radar é claro! Aonde está nossa engenharia? A estrada acabou de ser construída e a velocidade no trecho já começa bem abaixo da máxima da estrada! Não existe escolas, nem pessoas, nem cidades próximas!

    4. Bernardete a educação é importante, mas não é a solução para este caso! Em menos de 100 anos não precisaremos mais dirigir automóveis. Ninguém mais irá tirar carteira de motorista devido aos carros autômatos. O que precisamos é de um padrão internacional de projeto e construção de autoestradas, sem curvas perigosas, sem acesso a pedestres, sem pontos de ônibus, que não passem dentro de cidades pequenas, com viadutos em entradas de cidades, sem lombadas físicas, etc...

    5. Finalmente uma observação aguda! É exatamente isso. A solução para esconder o problema tem sido culpar a vítima... A mídia vassala impinge essa mentira!

    6. Estamos muito longe de sermos pessoas educadas que obedecem regras sem precisarem de fiscalização. Acho que o correto é fiscalização ferrenha sobre as empresas do setor, com multas e até perda do contrato e, paralelamente vamos voltar à “vaca fria”: vamos investir em educação. E esperar 50 ou 100 anos . Não tem outro caminho.

  65. o importante é dar nomes as empresas que estão por trás dessa industria de multas , em todos os níveis federal, estadual e municipal , descobrirão o óbvio , o objetivo principal é arrecadação , jamais a vida do cidadão!

  66. Essa história está restrita as estradas federais; se incluírem as estaduais e os municípios verão o tamanho do roubo. No Rio de Janeiro os radares fixos adicionalmente contribuem para congestionamentos.

  67. É óbvio que todos querem um trânsito seguro. Mas não se deixem iludir. O que existe hoje é uma indústria da multa enganando a sociedade. Se apropriam de um tema tão sensível que é a segurança para cometerem verdadeiros assaltos,instalam aparelhos de radares, que são arapucas, transformando aqueles motoristas desatentos em verdadeiros bandidos perante a opinião pública.

    1. McLombada - este era a solução antiga, que só dava dinheiro as empresas de suspensão, freios e pneus. O “isquema” evoluiu!!! Agora todos os prefeitos, vereadores, deputados, senadores e judiciário em geral podem faturar (para o Brasil - é claro), ao invés de corrigir as estradas invertem a responsabilidade, acusando de irresponsabilidade os motoristas e ampliando o faturamento! Como reverter isto???

    2. Isso, em rodovias federais, coloque uma lombada alta, assim uns 40 cm com forma para o cara reduzir para 80km,,,,,,,,!!!!! cada idéia,,,esta explicado tudo isso ai taokei????

  68. O problema não é a fiscalização, são os infratores. Que se moralize eventuais superfaturamento de aquisição/manutenção de radares, mas as estradas precisam cada vez mais de mecanismos de moralização.

    1. Como eng. posso dizer que não há investimento no incremento de segurança das estradas federais, pois os departamentos responsaveis sempre primaram pela corrupção generalizada e péssima atuação técnica. Obras superfaturadas e pessimamente executadas é o padrão. Sinalizações são inexistentes ou pessimamente mantidas. instalar radares é mais uma forma de corrupção. A renda de multas de veria ser totalmente revertida para mantenimento das sinalizações e reparo das rodovias. Jamais para lucros.

    2. Quem são os infratores? Os que não conseguem saber se a velocidade no trecho é de 100, 80, 60, 50, 40, ou 30km/h? Acredite que em várias estradas existe uma sequência de placas antes da lombada eletrônica e logo após uma de velocidade alta para confundir! Ou os responsáveis pela construção de estradas com curvas perigosas, que instalam ponto de ônibus direto nas rodovias e permitem pedestres, tratores, colheitadeiras, ciclistas, carroças transitar pelas mesmas???

Mais notícias
Assine agora
TOPO