Acesso VIP

06.03.20

Na manhã desta sexta-feira, 6, o futuro presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, e o presidente do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio de Noronha, farão uma “análise econômica do direito” para seleta plateia no hotel Fasano, no Rio. Será mais um dos muitos eventos organizados por entidades pouco conhecidas do grande público que se dividem entre coletar patrocínios privados e convidar magistrados, geralmente com tudo pago, para encontros com empresários e advogados. Desta feita, a organização é do Instituto Justiça & Cidadania, um dos mais ativos nesse front atualmente. O coordenador do evento, intitulado “Conversa com o Judiciário”, é outro ministro do STJ, Luiz Felipe Salomão. O convite, “pessoal e intransferível”, foi distribuído para gente escolhida a dedo e registra: “após o encontro, você será nosso convidado a almoçar no Restaurante Fasano Al Mare”. Não há menção a patrocinadores. O hotel e o restaurante são os mais estrelados da orla carioca.

STFSTFLuiz Fux é a grande estrela do encontro

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O Fux, apesar de alguns malabarismos, é mais um, dos muitos do judiciário, que aprecia de uma mordomia, uns agrados... lembrem-se da forma marota com sua excelência procedeu episódio vergonhoso e pouco edificante do "auxílio" moradia dos magistrados. Ele "gosta"!!!

  2. É isso aí.... almoço com a presença com toda certeza, da fina flor das grandes bancas especializadas na defesa de marginais ilustres.... Esse o Brasil.... Que saudades do Dr. Heráclito Barbosa e do Joaquim Barbosa.... Seria coincidências de sobrenome???

  3. São as reportagens com esse tipo de informação que nos empurram para as ruas no dia 15/03! Para gritar em alto e bom som: Basta, Judiciário! Cansamos!

  4. Mas esse Noronha não está na delação premiada do Cabral? E o Fux? Se prestando para um desgaste besta; ninguém precisa de "conversa com Judiciário" . Precisa-se que os membros dessa grei tenham compostura, vergonha na cara e cumpram com seus dever! O resto é empulhação, conversa fiada, uma leniência por um lado e, por outro, uma corrupçãozinha

  5. Os integrantes do judiciário vivem em um mundo a que os simples mortais não acessam. Quem lhes pagam essas mordomias? Os simples mortais.

  6. Tudo isto já tem prazo pra acabar. Em 2013 alinhamos nas ruas as PAUTAS ANTICORRUPÇÃO e, em 2 anos, o EXECUTIVO viu uma luz no fim do túnel. Dia15 próximo, acertaremos s contas com o LEGISLATIVO, em quem votamos e nos deve satisfações, por ñ terem instituído a PRISÃO em SEGUNDA e o FIM do Foro privilegiado. LAVATOGA? CPI desnecessária depois deste primeiro round. STF como é, não nos presta. Ñ nos consideram, e nem são nossos escolhidos.

  7. Marketing sem camuflagem. Mais pessoal que institucional. Fica numa posição entre aqueles desavergonhados "congressos científicos" com patrocínio e fartas mordomias da indústria farmacêutica e o showmício político. Petistas e demais esquerdopatas denominariam "Plenária Jurídico-Popular".

  8. Avisa lá!!!! que o carnaval já acabou semana passada. Só na Bahia que é o ano todo, só param para lavar as escadas como faz muito calor não precisa secar.

  9. Esse ai é o o Rachad das elites juridicas...É só olhar os envolvidos, são os que tentam mandar no Brasil, e patrocinam a formaçao de leis que os atenda.

    1. Mudou alguma coisa ? Isso acontece aki, Portugal, França e onde há conchavos pra usarem nossos impostos. Kem paga ? Tem alguma dúvida q é o Zé Povinho ? As reportagens so troca os nomes mas, o modus operandi eles vão passando para kem ocupa o cargo ( uma mão lava a outro e seca). E viva a justiça.

Mais notícias
Assine agora
TOPO