Divulgação"Temos um Estado inchado, obeso, ineficiente, que gera inflação e desestimula a poupança, o investimento, os empregos"

Menos políticos, menos leis estúpidas

O empresário Alexandre Ostrowiecki, diretor-geral da Multilaser e criador do Ranking dos Políticos, defende a redução do número de congressistas e diz que o Estado inchado é o que mais atrapalha o bem-estar dos brasileiros
05.08.22

Quanto tinha 24 anos, Alexandre Ostrowiecki recebeu um email dizendo que seu pai tinha saído para um mergulho no mar da Costa Rica e não retornara. Em meio ao luto, ele precisou assumir às pressas a direção da Multilaser, então mais conhecida por reciclar cartuchos de impressoras. Formado em administração e com experiência anterior em consultoria, Ostrowiecki teve de encarar a penosa rotina dos empresários no Brasil. Em uma história insólita contada por ele, um dia, agentes tributários visitaram a fábrica para cobrar o Imposto de Circulação de Mercadorias, o ICMS, de produtos que tinham sido roubados dias antes por uma quadrilha composta por 30 homens armados “O imposto é sobre circulação. Como a mercadoria circulou, então tem que pagar”, disseram os fiscais.

As decepções com o Estado brasileiro o levaram, em 2007, a escrever o livro Carregando o Elefante, em que denunciava as agruras dos empresários brasileiros, obrigados a sustentar um Estado paquidérmico. Mais adiante, Ostrowiecki chegou a outra conclusão. Não era o empresário que carregava o elefante estatal, mas os pobres. “Eles pagam impostos estratosféricos a cada compra, convivem com a violência diária nas periferias, com as escolas sem professores, com as filas e a falta de atendimento digno no SUS. Sempre sustentando os políticos ‘bonzinhos’, de diferentes cores e sabores, que fingem amor aos humildes”, escreveu ele em seu livro O Moedor de Pobres (LVM Editora), lançado no ano passado.

O desgosto com o sistema o levou, em 2013, a criar o Ranking dos Políticos, a maior plataforma de avaliação dos congressistas do país. No site, mantido com doações de pessoas físicas, os deputados e senadores são classificados do melhor para o pior, de acordo com apenas três critérios: combate aos privilégios, desperdício e corrupção. Quando um parlamentar propõe leis inúteis ou que cria burocracias desnecessárias, ele cai posições na lista. Nesta semana, o site criticava dois deputados, André Figueiredo, do PDT, e Juscelino Filho, da União Brasil. O primeiro apresentou um requerimento de urgência para votar a concessão de cidadão honorário ao piloto Lewis Hamilton. O segundo elaborou um projeto de lei para criar o Dia Nacional do Cavalo. Aos 43 anos, Ostrowiecki conversou com Crusoé.

Este é o pior Congresso da história?
Este certamente não é um dos piores. É preciso lembrar que a atual legislatura aprovou uma série de medidas importantes para o avanço institucional e econômico do Brasil, como a lei de liberdade econômica, o marco das startups, o marco do saneamento, a lei do gás, a Reforma da Previdência e a privatização da Cedae, a Companhia Estadual de Água e Esgoto do Rio de Janeiro. Claro, também ocorreram retrocessos, como a PEC Kamikaze e o aumento do fundo eleitoral. Portanto, houve avanços e atrasos. Certamente não é um Congresso dos sonhos, mas não dá para falar que é o pior da história.

Adriano Vizoni/FolhapressAdriano Vizoni/Folhapress“Entre os melhores parlamentares da legislatura anterior, quase três quartos foram reeleitos”
O atual Congresso, eleito em 2018, teve a maior taxa de renovação já registrada: 52%. Que impacto isso teve?
De modo geral, a renovação foi boa para o Brasil e para o Congresso. Entre os 20 nomes mais bem colocados no Ranking dos Políticos neste momento, a maioria é de parlamentares de primeiro mandato. Minha conclusão é a de que essa nova safra trouxe mais coisas positivas que negativas. Outra boa notícia é que o eleitor está prestando mais atenção ao que acontece em Brasília. Entre os melhores parlamentares da legislatura anterior, quase três quartos foram reeleitos. Entre os piores, menos da metade. Isso mostra que a população está enxergando o trabalho deles e apostando nos bons congressistas.

O que se pode dizer sobre essa legislatura em relação à corrupção?
Com o “orçamento secreto“, no qual as emendas de relator ganharam uma dimensão jamais vista, o Poder Executivo abriu mão de boa parte de sua margem de manobra para realizar políticas públicas. Essa incumbência foi transferida ao Congresso, que tem realizado um toma lá dá cá muitas vezes não republicano. Como resultado, temos visto execuções de orçamento bastante suspeitas. Um exemplo disso é a explosão de consumo de serviços de saúde em cidades cuja população não é numerosa o suficiente para justificar tais números.

Algumas pesquisas mostram que menos de 10% dos brasileiros avaliam como bom ou ótimo o trabalho do Congresso. O que poderia melhorar essa imagem?
Uma das causas dessa má avaliação é o número excessivo de parlamentares. Portanto, eu defendo uma gradual redução no total de deputados e senadores. No Senado, cada estado poderia ter dois representantes, em vez de três. Como cada um deles custa 40 milhões de reais por ano, a economia anual seria superior a 1 bilhão de reais. Na Câmara, podemos passar de 513 para um número próximo de 200. A economia nesse caso seria ainda maior: 3 bilhões de reais. Sem contar que, quanto menos políticos tivermos, menor é a quantidade de leis estúpidas a serem promulgadas. Outro fator que afeta a imagem do Congresso é a distância entre o eleitor e o eleito. Isso deriva do sistema eleitoral que temos, o voto proporcional misto, que torna as campanhas extremamente caras e complexas. No estado de São Paulo, o cidadão precisa escolher 1 entre 1.200 candidatos a deputado federal, para apenas 70 vagas. Isso atrapalha a compreensão das propostas e torna um desafio lembrar em quem se votou. Fica difícil esperar que o eleitor cobre algo dos seus eleitos. Uma solução seria o voto distrital, dividindo o Brasil em 200 distritos, com uma população de 1 milhão de pessoas cada. Nesse caso, os candidatos não se preocupariam em agradar a um grupo específico, mas em atender à maioria dos eleitores de sua região. Isso simplificaria muito o acompanhamento do trabalho dos políticos.

Reprodução/YouTube/Alexandre OstrowieckiReprodução/YouTube/Alexandre Ostrowiecki“É preciso destravar o Brasil para que o cidadão comum possa produzir, aproveitar a vida e ser feliz”
Quais são os partidos que mais defendem os privilégios no Congresso?
Nosso site tem como pilar a avaliação individual de deputados e senadores. Quando se entra no site, dá para ver claramente os nomes dos congressistas, de vários partidos, bem ou mal avaliados. Também é possível saber a nota média dos partidos. Nesse caso, nós não avaliamos a ideologia das agrupações, e sim fazemos uma média matemática de como os seus integrantes são avaliados. Partidos cujos integrantes tiraram notas maiores têm uma média maior. Claro, alguns partidos defendem certas políticas que acabam, direta ou indiretamente, inchando a máquina pública, gerando desperdício, abrindo espaço para privilégios e para a corrupção. Então, eles caem no ranking. 

Os cinco partidos mais mal avaliados são de esquerda: PCdoB, PSOL, PT, Rede e PSB. Por que isso acontece?
Nós focamos muito pouco nos cinco piores partidos. Esse não é um grupo que interessa o Ranking. Nós focamos nos duzentos piores congressistas, para que eles não se reelejam. Eles são de partidos de esquerda, de direita e de centro.

Os candidatos destas eleições estão atentos aos principais problemas do Brasil?
O discurso político no Brasil ainda passa muito longe de atacar os reais problemas do país. Hoje temos um Estado inchado, obeso, ineficiente, que gera inflação e desestimula a poupança, o investimento, os empregos. Poucos são os que falam essa verdade nua e crua para a população. O Estado, da forma como se constitui, é hoje o que mais prejudica o bem-estar do cidadão.

O sr. é de direita ou de esquerda?
Esses termos têm mais de duzentos anos e foram cunhados na época da Revolução Francesa. Eles estão obsoletos. Eu me considero uma pessoa pragmática, centrista, que apoia o cidadão comum contra os grupinhos de interesse, que vivem de mamar nas tetas do Estado. É preciso destravar o Brasil para que esse cidadão comum possa produzir, aproveitar a vida e ser feliz.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Concordo em gênero , número e grau com suas palavras, Alexandre. Que bom seria que nossos políticos tivessem seu perfil. Faltam no serviço público pessoas inteligentes e com objetivos sinceros de trabalhar e vencer na vida por meios lícitos.

  2. A última resposta vale a entrevista! Ele pensa. É o q importa! Usa o cérebro e não uma muleta ideológica q o faça pender para qq lado.

  3. Este se constitui um grande serviço de utilidade pública visando informar a sociedade sobre a atuação dos nos representantes no congresso. Bom seria se o Brasil inteiro se informasse a respeito pra escolhermos homens dígnos de nos representar, ao passo que os indígnos não sejam escolhidos, e assim tenhamos uma câmara e um senado melhores para o povo.

  4. Que mais brasileiros "descubram" o quanto o Estado brasileiro é o principal causador do nosso atraso!

  5. Concordo em diminuir o número de congressistas, mas isso não quer dizer que teremos melhores congressistas. Ótimo entrevista!

  6. Excelente entrevista ! Ótima postura do empresário Concordo com ele 100% ! Esse Estado é o nosso cancer ….

  7. Sempre acompanho o Ranking dos políticos. Parabéns pela excelente iniciativa. É com pessoas assim que o Brasil deveria contar.

  8. O maior problema do Brasil é que o dinheiro público não chega no seu destino. Com esse atual nível de corrupção nos poderes jamais deixaremos o terceiro mundo.

  9. Confesso que eu não conhecia a iniciativa, mas gostei da proposta! Vou olhar depois com carinho. Parabéns pela iniciativa!

  10. Realmente, poderíamos tranquilamente reduzir os parlamentares. Nos EUA, são apenas 2 senadores por estado, totalizando 100, sendo o vice-presidente também o presidente do senado, com voto de minerva. Já a câmara dos representantes, equivalente dos deputados federais, totalizando 435, variando de estado para estado conforme a população, como aqui, mas há estados, como o Alaska, Porto Rico ou a Samoa, que possuem apenas 1 representante (deputado). A Califórnia, maior população, tem 55 assentos.

  11. Falou em voto distrital mas não falou em “parlamentarismo”, onde acabamos com um ditador-presidente eleito mas sem obrigação formal de cumprir o que disse na campanha, um messias. Não falou de candidaturas independentes de partidos. É só ver que as prósperas e verdadeiras democracias, quase todas são parlamentaristas. Quem precisa de presidente é mentecapto, tem complexo de inferioridade…

    1. Não acredito, achei mais um defensor do parlamentarismo! Dois em um único dia! Já somos 3!

  12. Gostei muito da iniciativa do Ranking. E durante a leitura acessei a página e fiz minha inscrição. A necessidade de termos acesso a informações mais precisas e facilitadas sobre a ação dos congressistas é essencial. A população não pode mais cair em falas populistas - "falastroníssimo" e mentiroso. Mas para isso não acontecer temos que ter parâmetros para uma boa avaliação. Parabéns pela iniciativa. Contém comigo no projeto.

  13. Um deputado que faz a honrosa proposta de criar o dia nacional do cavalo, deve estar querendo homenagear a sí próprio, sem querer desmerecer os equinos, este inútil deve ser excluido do congresso com um coice no traseiro, dado pelos seus correligionários, os quais certamente o farão nas próximas eleições. Que assim seja.

  14. O cara foi assaltado duas vezes, uma pelos ladroes e outra pela receita federal cobrando icms de produtos roubados, um absurdo. assim ate quebra uma empresa. Tudo errado no Brasil. Concordo, temos um pais inchado, obeso, ineficiente, que custa caríssimo a população com politicos que so mamam na teta do governo. Sim redução de 40% no congresso e 30% no senado para ja. Esse site com o ranking dos politicos e uma referencia ótima a população para ajudar a definir em quem votar. Obrigado Alexandre!

  15. Não me considero de direita ou esquerda e não me passa pela cabeça votar em Lula ou Bolsonaro. Mas à busca de inspiração para conhecer melhor o perfil dos atuais parlamentares, me detive na análise do ranking a que se refere esta matéria. Deu para perceber nitidamente, quanto aos critérios considerados para avaliar o posicionamento dos parlamentares, o direcionamento em favor da atuação mais à direita e governista. Ou seja, falta isenção para estabelecer o ranking.

    1. Bem observado! Não olhei o ranking ainda, mas foi algo que me passou pela cabeça. A iniciativa é válida e muito bem vinda, mas é preciso ter cuidado com os vieses que possam induzir o posicionamento de quem consulta o site.

  16. Ótima entrevista, só uma correção. O ICMS é um imposto estadual. Os "agentes" da Receita Federal não fiscalizam esse tributo.

  17. Entrevista muito proveitosa, principalmente nesta época de eleições. Por curiosidade, sugiro uma consulta ao ranking e vejam onde estão os parlamentares do Novo. São favoráveis a todas essas medidas de melhoria do Congresso ...

  18. Muito boa entrevista 👏👏👏 concordo plenamente na redução dos parlamentares em todas as esferas, municipal, estadual e federal.

  19. Apartir de ações como esta deste brasileiro, juntando outras ações e outras pessoas na prática de ações que visem o bem comum da nação e do povo brasileiro, poderemos conquistar os objetivos que nos torne um povo consciente nas nossas escolhas políticas e em todos os seguimentos de uma sociedade que pensa e age para sermos um povo feliz e vitorioso, vivendo de forma coesa e dígna de uma nação civilizada e próspera.

  20. Duda, ñ sei se o entrevistado falou tudo o q eu queria falar, ou se ele falou td q eu queria ler numa entrevista, mas eu sei q ela ficou muito boa!😊

    1. Kkkkkkkk Além de chineses, não funcionam e estragam facilmente. Aliás, a Multilaser fornece para o Estado produtos de péssima qualidade, dando uma mamadinha na teta também...

  21. Políticos de esquerda ou de direita no Brasil é uma piada. Existem mesmo sao os que roubam com a mão esquerda ou com a direita, além dos que enchem a cueca, os quais poderíamos chamá-los de centro. Concordo com o Alexandre em todos os sentidos, faz um trabalho de autêntico patriota que ama seu país e quer vê-lo prosperar juntamente com toda seu povo, com trabalho e ordem, para que todo o povo possa viver com dignidade, cumprindo com as obrigações e recebendo do estado tudo que nos é devido.

  22. Se tivessemos pelo menos metade de nossos parlamentares que pensassem igual esse Alexandre o Brasil seria outro.

  23. Alexandre, li seu livro "O Moedor de Pobres" e o indiquei a um sem-número de amigos. Também tenho sérias ressalvas em relação à classe política deste país. Não creio que haja nada pior. A redução do tamanho do Estado é tarefa inadiável, mas, pelo andar da carruagem, será adiada novamente e mais e mais e mais vezes... Fracassamos como povo.

  24. É um alento ver gente jovem compromissada com o país sem se deixar iludir por caminhos fáceis de sucesso e poder individual.

  25. Concordo plenamente, renovação não significou mudança, a maioria é de fato medíocre e venal e só pensam em si próprio é nos seus familiares e apadrinhados medíocres

  26. Divulguem mais textos como este!! A fala deste rapaz tem que repercutir nos vários segmentos da sociedade! O que ele diz tem valor.

    1. Basta vc entrar no site do Ranking dos Políticos, registrar para receber as news letters. Eu recebo há anos.

  27. Parabéns a Crusoé pela excelente entrevista . Este site deveria ser mais divulgado, isto poderia ajudar os eleitores na escolha dos seus candidatos.

  28. Finalmente uma pessoa com cacife pra influenciar muita gente, tem a faca pra cortar o nó que amarra o sistema representivo do Brasil! Parlamentares eleitos pelo voto proporcional, além de sair caríssimos, não tem compromissos com seus eleitores! Em Minas Gerais o deputado mais votado teve votos em 827 municípios dos 832 do estado, os com votação intermediária em 700 e poucos e o menos votado em 600! Não têm compromisso nem com os cabos eleitorais, às vezes comprados com favores e até dinheiro!

  29. Não há o que discutir o Estado brasileiro está pôdre pelo aparelhamento feito pela quadrilha anarco-clepto-comunazista há anos transformando devagar o país mudando estruturas e ocupando o Estado com criminosos de tudo capazes algo que mata o país ... para piorar as universidades primeiras aparelhadas deseducam e diplomam idiotas nossos futuros líderes sob ideologia medieval ladravaz assassina que não deu certo em nenhum lugar do mundo ... um povo que se entrega é nada só lixo e como fede.

  30. A abrangência do site entre os eleitores é baixa, seria importante popularizar entre as classes desfavorecidas (pobres).

  31. Concordo com o Alexandre, esses rótulos de esquerda ou direita limitam as opções, criam um muro entre um lado e outro. É preciso derrubar esse muro e deixar que as ideias boas se espalhem e se misturem, independente de serem consideradas de esquerda ou direita: o importante é que sejam boas para o país. E também apoio quanto à redução de parlamentares em todos os níveis, de senadores a vereadores, deveríamos cortar um terço das vagas. E limitar também o número de assessores, cinco no máximo

    1. é importante também corrigir a desigualdade na representação na Câmara dos deputados, pois a população de SP é sub-representada, enquanto outros estados tem muito mais deputados do que devriam

  32. Parabens ao Alexandre, excelente iniciativa vou procurar pelo site antes de votar ! so estranho nao se posicionar politicamente, o criador de um site sobre políticos que ja tem diversos insights sobre politica ! Sinal de tempos em que votar diferente de vc significa te ofender pessoalmente ...

Mais notícias
Assine agora
TOPO