‘A Odebrecht do trading’…

26.04.19

Em uma das etapas mais recentes da Lava Jato, a Polícia Federal encontrou no endereço de um dos alvos um pen drive com uma gravação interessante. No áudio, um ex-gerente da Petrobras faz confissões sobre o propinoduto que funcionou durante anos na estatal. Carlos Barbosa, que era subordinado ao notório Paulo Roberto Costa, faz uma menção curiosa à multinacional Vitol, gigante do setor de distribuição e parceira de longa data da Petrobras. Ele diz que a empresa era uma espécie de “Odebrecht do trading”, referindo-se às negociações para importação de derivados de petróleo. Diz o ex-gerente: “A Vitol é um capítulo à parte porque é o maior parceiro comercial da história da companhia. É uma empresa que alavancou muita gente lá dentro. Que pagou propina notadamente na área de petróleo e na área de importação de diesel, GLP, exportação de gasolina. Atuava em todos os produtos”. Carlos Barbosa já foi denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção e lavagem de dinheiro em alguns negócios da área de trading da Petrobras. Mas, a julgar pelo teor de sua mensagem, o esquema nessa seara era bem maior que aquele que os investigadores já mapearam até agora.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéA sede da Justiça Federal em Curitiba: Lava Jato tem novos fronts para explorar

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Não se enganem.Estamos vendo apenas a ponta do iceberg.Não é a toa que a esquerda capitaneada pelo PT continua numa luta desesperadora.O "ninho" não foi desfeito.O Legislativo e o Judiciário,ainda constituem "trincheiras" do mecanismo/esquema.Estão crentes que retornarão ao poder mais breve do que se pensa.Ainda estão "conduzindo" a manobra(canalizando o inimigo.Fazendo-o seguir o caminho que lhes são mais favorável).A coisa é séria.

  2. Esse tipo de guerra costuma lutar batalhas em infindáveis fronts. Material não falta, o que falta, historicamente, são inquéritos bem construídos que entreguem provas cabais dos crimes para sustentar sentenças robustas e inequívocas. Ativismo policial, contrariamente a uma polícia ativa, costuma entregar inquéritos e provas frágeis, que sustentam sentenças condenatórias absolutamente estéreis, que serão derrubadas em segunda ou terceiras instâncias recursais.

  3. Privatização já. Isto ocorrendo, nem os petralhas se interessarao por cargos públicos. Ah, melhora ainda mais só com 250 deputados, nenhum senador e, muito importante, um STF com togados do naipe de Sérgio MORO, BRETAS , Dalagnol e tantos outros q já demonstraram amar a NAÇÃO brasileira.

    1. Como se pode acreditar em pessoa repleto de “pelanca” e cabelos portinhos.

  4. Resumindo: enquanto não forem privatizadas as mais de 150 estatais brasileiras, continuaremos nesse lamaçal de corrupção, miséria e atraso! Quiçá daqui a 100 anos?

Mais notícias
Assine agora
TOPO