Reprodução

Filha de pastor de escândalo do MEC tem cargo em gabinete de deputado próximo ao Planalto

23.03.22 17:11

Gilmar Silva dos Santos, um dos pastores envolvidos no escândalo que engolfa o ministro da Educação, Milton Ribeiro, tem uma filha nomeada como assessora do gabinete do deputado federal João Campos (foto), do Republicanos de Goiás. O parlamentar, que também é evangélico e figura entre os mais fervorosos defensores do governo Jair Bolsonaro no Congresso, costuma acompanhar os pastores em audiências pelos gabinetes da Esplanada dos Ministérios, inclusive no próprio MEC.

Quézia Ribeiro dos Santos Costa, de 33 anos, ganhou o cargo em 2 de junho do ano passado. Ela consta nos registros oficiais da Câmara dos Deputados como secretária parlamentar SP11, com salário bruto de 2.541,59 reais.

Crusoé tentou localizar Quézia Santos nesta quarta-feira, 23, no gabinete de Campos em Brasília. No primeiro contato, um funcionário disse que ela não estava. Em uma segunda chamada, o chefe de gabinete, Marcos Vinícios Villar, afirmou que Quézia dá expediente no escritório político de João Campos em Goiânia. A filha do pastor é nutricionista. Antes de ser nomeada, ela trabalhava com o pai, em um instituto teológico.

De acordo com o chefe de gabinete, no escritório de João Campos Quézia trabalha como telefonista. “Ela é competente e tem currículo”, disse Villar. Em Goiânia, a assessora também não foi encontrada. Por telefone, outro funcionário do deputado João Campos disse que ela não foi ao trabalho nesta quarta em razão de um problema de saúde na família.

Gilmar Silva dos Santos, pai de Quézia, é presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros de Assembleias de Deus no Brasil Cristo para Todos, ligada à Assembleia de Deus. Ele e um outro pastor, Arilton Moura, se transformaram desde o ano passado numa espécie de facilitadores de liberação de verbas do Ministério da Educação para prefeitos de diferentes partes do país.

Em uma gravação revelada na segunda-feira pelo jornal Folha de S.Paulo, o próprio ministro Milton Ribeiro diz priorizar, a mando de Jair Bolsonaro, a aprovação de pedidos de verbas intermediados pelos pastores. Um dos prefeitos levados ao ministro disse ao jornal O Estado de São Paulo que Moura lhe pediu 1 quilo de ouro em troca de ajuda para a liberação de 10 milhões de reais.

Em dezembro do ano passado, o deputado João Campos acompanhou o pastor Gilmar Santos em uma visita ao ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira. Em outras ocasiões, Campos esteve ao lado de Gilmar e Arilton Moura em audiências com Milton Ribeiro.

O parlamentar é um dos congressistas mais próximos de Jair Bolsonaro. Em 2019, ele chegou a se lançar candidato a presidente da Câmara com apoio do Palácio do Planalto — depois, com aval do próprio Bolsonaro, retirou a candidatura para apoiar Arthur Lira.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Com rarissimas exceções....O raça do INFERNO. Depois q abraçaram a POLITICA, esse bando VERMES (pastores),não querem larga a teta.E como o desgoverno do ASNO só tem coisa RUIM...Deu bom pra eles...

  2. Chefe de Gabinete, nutricionista, telefonista. Será que trabalha em Home Office ou é mais uma peça do esquema de rachadinha ? Ou será a nutricionista responsável pelo avião presidencial ? Se for, tá ganhando muito pouco.

    1. Esse grande salário não justifica duas linhas dessa reportagem dos capachos do doente mental diogomaismerd

  3. Esses pastores políticos conseguiram desacreditar as igrejas evangélicas e colocar todas no mesmo saco!! chegamos a conclusão que todas querem o poder e não passam de instituições comerciais..

    1. Xavier vai chupa ovo seu BABÃO...Não importa o valor...Roubo é ROUBO...1 real ou 1 milhão...Esse bando de VERMES,não satisfeitos em enganar os pobres fiéis,'abraçaram a POLITICA,e tão cagando pro POVO....Oh raça dos INFERNO.

    1. BOSTONARO e família,racham a anos....Bando de RATAZANAS...,abraçaram CENTRÃO,TERRIVELMENTE evangélicos e td de RUIM ....Estão cagando pro BRASIL....Vão arder nas profundas do INFERNO...

  4. É por esse motivo que a Igreja não pode se misturar com o Estado. Acho deplorável que a lei permita que pastores concorram a cargos no Legislativo! Deveria ser proibido!

  5. Em fim"), conseguiram imverter um dos salmos mais bonito da igreja, que agora fica assim: O pastor é meu SENHOR, a ele não faltará grana nenhuma."

    1. E que especialmente não falte nunca quilos de ouro…por isso a insistente fala do FAMILICIA BolsoNero em legalizar garimpos, fonte de Rachadinhas.

  6. A Igreja Assembleia de Deus mais parece uma Assembleia do Diabo de tanto ladrão reunido - parece que os "lideres" são escohidos a dedo para o malfeito

    1. Vendilhões do templo, que roubam pobres fiéis em nome de Jesus, em Assembléias de Deus; idem, em nome de Bancadas "Evangélicas", em nome da "política anti-comunista", etc. Sóstenes disse, há pouco, que "no governo anterior recebiam comunistas no gabinete; então, por que não receber pastores?"! Ou seja: o roubo evangélico é "abençoado"?! Já vimos até a "oração da propina", há alguns anos, em Brasília.

    1. corruptos/fisiologistas e bajuladores,escondidos atrás de ternos e bíblias,tudo pelo vil metal.

    2. se fosse ligada com o pessoal do PT estaria ganhando bem melhor kkkk

Mais notícias
Assine agora
TOPO