Adriano Machado/CrusoéGilmar Mendes ainda é o ministro predileto dos advogados e dos réus da Lava Jato

Ao pedir suspeição de Gilmar na E$quema S, Lava Jato apontou negócios de réu com cunhado do ministro

07.10.20 17:25

Cerca de um mês antes de o ministro Gilmar Mendes (foto) suspender a ação penal movida pela Lava Jato do Rio de Janeiro contra advogados acusados de desvio e lavagem de dinheiro na Fecomércio/RJ, os procuradores da força-tarefa fluminense pediram no Supremo Tribunal Federal a suspeição do ministro no caso porque um dos réus é casado com uma sobrinha da mulher de Gilmar, a advogada Guiomar Feitosa, e fez transações financeiras e imobiliárias com o cunhado do ministro nos últimos anos.

O pedido de suspeição e impedimento de Gilmar foi protocolado no STF no dia 9 de setembro, depois que o ministro Napoleão Nunes Maia, do Superior Tribunal de Justiça, apresentou à corte reclamação. Maia argumentava que os procuradores do Rio o estavam investigando sem autorização do Supremo — por ser ministro do STJ, ele tem prerrogativa de foro. A reclamação caiu com Gilmar, que é o ministro prevento para decidir sobre os processos da Lava Jato do Rio no Supremo.

No pedido, que está no gabinete do presidente Luiz Fux, a quem cabe deliberar sobre a suspeição, a força-tarefa enumera uma série de transações envolvendo o empresário Francisco Feitosa de Albuquerque Lima e o advogado Caio Rocha. Francisco é irmão de Guiomar Feitosa, a mulher de Gilmar. Já Caio Rocha é filho de César Asfor Rocha, ex-ministro do STJ, e foi denunciado junto com o pai pelo suposto desvio de 2,67 milhões de reais na Operação E$quema S, que apontou crimes nos pagamentos milionários feitos pela Fecomércio/RJ a escritórios de advocacia na gestão do delator Orlando Diniz. Caio Rocha é casado com Tatiana Feitosa, sobrinha da mulher de Gilmar.

Segundo a Lava Jato, dados da quebra dos sigilos bancário e fiscal do advogado mostram que, além de sócio do cunhado de Gilmar em duas empresas no Ceará, ele e o sogro fizeram transações financeiras no valor de 1 milhão de reais entre 2016 e 2018. Uma delas foi um empréstimo de 680 mil reais feito por Caio a Francisco Feitosa em janeiro de 2018.

Os procuradores descobriram ainda que um imóvel de 976 mil reais em Fortaleza em nome de Caio Rocha que foi bloqueado por decisão do juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio, foi doado ao advogado e à mulher dele pelo cunhado de Gilmar. Para a força-tarefa, é “fácil concluir” que “há interesse direto, de natureza patrimonial”, de Francisco Feitosa no processo que está sob relatoria de seu cunhado, o ministro Gilmar Mendes.

Para os procuradores, os vínculos entre Caio Rocha, Francisco Feitosa e Gilmar atraem a aplicação da regra prevista no artigo 252 do Código de Processo Penal, segundo a qual o juiz não poderá atuar no processo em que “ele próprio ou seu cônjuge ou parente, consanguíneo ou afim em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive, for parte ou diretamente interessado no feito”.

“No caso concreto, o interesse exoprocessual do cunhado do relator na causa
decorre das relações societárias, patrimoniais e afetivo-familiares que mantém com o réu Caio Rocha. Note-se que não se trata apenas de vínculos em abstrato, deles derivando diversos atos concretos de cunho patrimonial, como transações bancárias, doação imobiliária e assinaturas de empréstimos”, afirmam.

Os procuradores também destacam como motivo de suspeição de Gilmar para decidir no caso da Fecomércio o fato de a entidade ter patrocinado eventos organizados pelo Instituto Brasiliense de Direito Público, o IDP, que tem o ministro do STF como sócio-fundador. Um deles, como mostrou Crusoé em 2018, ocorreu em 2015 no Rio de Janeiro e teve a participação de Orlando Diniz. Hoje delator, Diniz foi preso pela Lava Jato em 2018 e solto quatro meses depois por uma habeas corpus expedido por Gilmar.

Outros eventos do IDP de Gilmar patrocinados pela Fecomércio de Orlando Diniz ocorreram em março de 2016 e abril de 2017, na Universidade de Lisboa, em Portugal. Ainda segundo a força-tarefa, o resultado parcial da análise da quebra de sigilo fiscal da Fecomércio revelou um pagamento de 50 mil reais feito pela entidade ao instituto do ministro, em 2016, durante a gestão de Orlando Diniz.

Os procuradores pediram diretamente ao STF a suspeição de Gilmar depois que foram incluídos como parte reclamada no recurso apresentado para suspender a investigação. Em manifestação ao Supremo, a subprocuradora Lindôra Araújo discordou do pedido da força-tarefa para tornar Gilmar impedido de atuar no caso. Ela alegou que falta “pressuposto processual subjetivo” para o pedido e que os procuradores da primeira instância não poderiam recorrer diretamente ao STF — essa competência é da Procuradoria-Geral da República, que já arquivou em outra gestão um pedido de suspeição de Gilmar.

Ainda que tenha discordado do pedido para deixar o ministro de fora do processo, Lindôra opinou pela rejeição do recurso de Napoleão Maia. Ela sustenta que a força-tarefa não estava investigando ilegalmente autoridades com foro privilegiado, como o ministro do STJ. A subprocuradora, braço-direito de Augusto Aras na área criminal, afirmou que a equipe da Lava Jato no Rio havia enviado para a PGR a parte da investigação relacionada a autoridades com foro especial e que os procedimentos foram arquivados “pela ausência de indícios mínimos da prática de ilícitos pelas autoridades indicadas”. Ela informou que devolveu os processos para a força-tarefa para a continuidade das apurações sobre os envolvidos que não têm foro no Supremo.

Mesmo assim com o parecer contrário da PGR, no último sábado, 3, o ministro Gilmar Mendes decidiu suspender a ação da Operação E$quema S, apontando “uma situação de dúvida razoável sobre a real condição dessas autoridades” com foro no caso, como ministros do STJ e do Tribunal de Contas da União. A decisão de Gilmar beneficiou não apenas Caio Rocha como outros 25 advogados denunciados, entre eles Eduardo Martins, filho do presidente do STJ, Humberto Martins, Frederick Wassef, ex-advogado da família do presidente Jair Bolsonaro, e Cristiano Zanin, defensor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. o senado federal e quem pode coibir este sujeito , mas a maioria la depende desse energumeno para livra-los da cadeia, entao esperem sentados se acham que vai ter novidades boas

  2. Este Gilmar é só uma faceta a mais da trama da corrupção que graça neste e noutros governos ! Lembra da presença dele na posse do atual Ministro da Justiça , André Mendonça , ex AGU ? Aquele terrivelmente evangélico que já tem cadeira cativa na próxima vaga do STF ano que vem ? Pois é .. a vaga de agora tb teve sua benção . Se ele se movimenta com desenvoltura , é porque tem sustentação . Até do bolsonaro , óbvio Tudo igual ...

  3. E assim caminha a PGR e Gilmar Mendes. Acredito que na verdade uma parte da Procuradoria Geral da república, que não seja capacho do Sr. Aras deveria abrir uma investigação a respeito de todas essas ações escandalosas.

  4. Como pode um Ministro do STF agir dessa forma? Será que isso nunca irá acabar? responda aí Kajuru! Só você para falar as verdades sobre Gilmar.

  5. Ser ministro vai além do foro privilegiado, pois se S.Exa tranca ações de apaniguados imagina o que não faz quando indigitadas ações alcançam amigos próximos, parentes ou até mesmo o próprio... Os investigadores são defenestrados...

    1. Só ficou mais escancarado porque estão encima dos fatos. Sempre foram podres e o piorando porque agora aparelhou tudo TSJ, STF, PGR.. à justiça é só para os bobos... os demais continuarão roubando na cara dura... os Ministros do STF podem fazer o que bem quiser do Brasil, não há punição para eles. Isso é acabar com a corrupção que o PR falou ontem ao povo brasileiro

  6. Acredito que um juiz de qualquer instância se honesto e imparcial teria a dignidade de se declarar impedido de julgar um caso desses mas em se tratando de um Ser supremo como se acha Gilmar duvido que o faça

  7. O supremo GM está praticando a sua supremacia de legítima defesa. Já que ele tem a suprema caneta, por que não pode beneficiar os seus? Esse é o conceito de justiça dele.

  8. da canseira ficar sabendo de tudo sobre esses canalhas e não poder fazer nada Acho vou alienar viu .. ninguém aguenta isso dias e anos a fio de patifada no Poder

  9. Inacreditável!!! Não ter declarado o impedimento!!! Pior foi a exposição de motivos para suspender a investigação. Os ilícitos existem está claro na denúncia. Não houve prestação de serviço dos escritórios de advocacia. E fica como agora? Pra cima deles MPF!!!

  10. Que sujeito insuportável é esse beiçola!!! Tão, ou mais corrupto do que os comparsas que ele solta. Morre tanta gente boa e essa peste continua bem viva sacaneando os brasileiros. 🤮🤮🤮🤮

  11. É assim que se acaba com um país. Um ministro destrambelhado e irresponsável como este senhor promove com suas decisões a descrença no demais ministros do STF que não conseguem expurgar este podre corpo estranho....

  12. Gilmar Mendes é vergonha nacional. Um dia o Brasil vai encontrar o caminho da seriedade. Será? Com tantos Gilmares em todos os cantos dos três poderes?

  13. Em qualquer país sério o ministro Gilmar Mendes já teria sido impeachmado e estaria respondendo por seus crimes na justiça verdadeira e não por seus cúmplices do STF.

    1. Gostaria de vê-lós sendo expulso e sem diretos posteriores! Sem grana pública!!!

  14. É impressionante as relações desse ministro do Supremo com elementos e parentes envolvidos em corrupção. Por isso está todo nervosinho, com a transferência da decisões do Supremo, sobre ações de corrupção para o pleno. E é esse ministro que indica o novo ministro escolhido pelo Bolsonaro, que acabou de confirmar que acabou com a Lava jato. Este país está uma M. Caras de pau!

  15. É muito descaro para um ministro, o pior foi que o bolzonaro piorou o quadro, o banditismo está enraizado como câncer, fora traidor, não demora muito e não poderemos sair de casa de tanta violência!

  16. E pensar que Bolsonaro foi e esta sendo responsável pelo desmonte da lava jato, quão decepcionado nós eleitores estamos com este traidor. oro a Deus para que o General Mourão e seus pares patriotas dê um basta nisso.

  17. É só não atrapalhar que o MP faz bem feito suas atribuições. Pena que não têm o apoio que deveria ter e termos alguns Beiçolas nos tribunais do Brasil.

    1. Esse merece a forca e seu corpo esquartejado e os restos mortais entregues aos cachorros vadios.

  18. Vai pra lá, vem pra cá...uma hora dessas pegamos o Gilmar... que já deu inúmeras provas de falta de ética em suas decisões, e até aqui só me referi a ética, mas já já aparece mais alguma coisinha.

  19. Esses patrocínios da Fecomércio ao IDP do ministro têm um cheiro forte de lavagem de dinheiro. Não é muito diferente de uma construtora montar um triplex para desfrute de um ex-presidente.

  20. Um verdadeiro coronel do cangaço atuando na corte suprema... tem que ser impedido de prosseguir com tantos desmandos absolutistas em causa própria...

  21. Sempre o Gilmar. Se alguma coisa fede, procura em volta que ele está por perto. O cara tem um faro otimo para podridão. Não sei porquê?

  22. Até quando nós, brasileiros simples mortais, vamos ter que aturar as decisões destrambelhadas do Onipotente e onipresente Gilmar Mendes, sem que absolutamente nada seja feito para impedir que ele continue tomando estas decisões que vão contra a lógica e o bom senso da honestidade?

    1. Se fosse num país sério...., ela já estaria presa.....

Mais notícias
Assine agora
TOPO