Adriano Machado/CrusoéVirtual vice de Lula, Alckmin se filia ao PSB no vale-tudo para alcançar o poder

O camaleônico Alckmin

Ao se filiar ao PSB para ser vice do PT, o ex-tucano só surpreendeu quem não o conhece: nas práticas políticas, e até na personalidade, ele e Lula são mais parecidos do que os eleitores podem supor
25.03.22

Embora se venda como um sujeito de princípios inquebrantáveis, Geraldo Alckmin nunca em sua trajetória como homem público hesitou em se moldar às circunstâncias para alcançar o poder. Por isso, o político dono de fala pausada e retórica obsessivamente didática que sacramentou a filiação ao PSB em evento em Brasília na quarta-feira, 23, na essência é o mesmo que produziu uma das cenas mais vexatórias da história recente da política nacional: durante a campanha presidencial de 2006, para se desvencilhar da pecha de privatizador que o PT queria lhe imputar, apareceu de boné do Banco do Brasil e metido numa jaqueta bege repleta de adesivos com as logomarcas das quatro principais estatais do país. A patacoada não surtiu efeito – Alckmin perdeu a eleição, realizando a proeza de ter menos votos no segundo turno do que no primeiro –, mas expôs o vale-tudo que o ex-tucano reedita agora.

Na solenidade que marcou seu ingresso no PSB, depois de 33 anos no PSDB, Alckmin fez um malabarismo retórico para justificar a dobradinha com Lula, seu adversário naquela campanha eleitoral de 2006 e oponente declarado até pouco tempo atrás.  Ao fazer um pronunciamento na linha da “necessidade de uma união nacional” em defesa da “democracia”, o virtual vice na chapa petista disse que Lula é “hoje o que melhor interpreta o sentimento de esperança do povo”“Alguns podem estranhar. Eu disputei com o presidente Lula a eleição em 2006 e fomos para o segundo turno, mas nunca colocamos em risco a questão democrática, nunca. O debate era de outro nível, nunca se questionou a democracia”, acrescentou o neossocialista.

Adversário de Lula em 2006, o ex-tucano apareceu de boné do Banco do Brasil e de jaqueta com logomarcas de estatais para fugir da pecha de privatizador
Por trás do discurso róseo de “frente ampla pela democracia”, há na verdade o desejo de Alckmin de regressar à ribalta política. Depois de sofrer a mais acachapante derrota política da história do PSDB, quando em 2018 amargou menos de 5% dos votos na disputa pelo Planalto, o ex-governador foi relegado ao ostracismo. Entre 2019 e 2020, ele chegou a fazer as vezes de comentarista de acupuntura num programa de uma emissora de TV, que perdia no ibope até para as reprises do desenho da Peppa Pig. Agora, servirá a outro propósito nada modesto: o de elemento pretensamente moderador junto ao eleitorado, para ajudar Lula a retornar à Presidência, ou “à cena do crime”, para ficar em suas próprias palavras proferidas há menos de cinco anos. O petista também conta com Alckmin para conseguir conquistar pela primeira vez o Palácio dos Bandeirantes. Ao topar sair da disputa para virar vice de Lula, o ex-governador abriu caminho para um eventual triunfo de Fernando Haddad no estado.  “É uma sorte para o PT. Alckmin está amansando o antipetismo”, aposta Pedro Tobias, ex-dirigente do PSDB paulista que também desembarcou recentemente no PSB.

Na visão de tucanos que conhecem o “picolé de chuchu” de perto, as personalidades de Alckmin e Lula se entrelaçam, quando ambos adotam uma postura camaleônica para conquistar ou se manter no poder.  Em extenso texto publicado numa rede social no domingo, 20, José Henrique Reis Lobo, expoente do tucanato paulista ligado ao senador José Serra, classificou Alckmin de “caricatura de si mesmo” e disse que sua mudança para o PSB “não se dá por convicção, mas por oportunismo”.

“Sob o pretexto de que ‘a hora é de conciliação nacional’, quando, na verdade, conciliação com bandidos é crime de lesa-pátria, Alckmin escolheu juntar-se a celerados”, escreveu Lobo. “Por trás disso tudo, o que tem mesmo é o projeto político pessoal de Geraldo Alckmin, que está enxergando a possibilidade de vir a ser candidato a presidente da República na sucessão de Lula, se este ganhar a próxima eleição”, emendou, no que foi endossado por Renata Covas, filha do ex-governador Mario Covas e mãe do ex-prefeito Bruno Covas. “Decisão com base no rancor e na vaidade não pode gerar bom resultado”, disse ela.

No PT, futuro aliado de Alckmin, a fogueira das vaidades já está acesa. Numa tentativa de marcar posição já de olho na acomodação de forças em um eventual governo petista, setores do partido vendem caro a entrada na chapa do antigo adversário eleitoral. Foi, inclusive, para evitar melindrar a ala petista mais refratária a Alckmin – e também não roubar a cena do principal protagonista do evento – que Lula preferiu não comparecer à solenidade do PSB. O nome do ex-tucano ainda precisa ser referendado pelas instâncias do PT antes de ser oficializado como vice na chapa – uma mera formalidade, obviamente, já que no petismo quem manda e desmanda é o próprio Lula.

Apesar de Alckmin ainda ter de fazer ajustes para se adaptar ao novo figurino de vice e conseguir ser digerido pelo grupo mais raivoso do petismo, encarnado por Rui Falcão e companhia (Rui Falcão é o raivoso controlável que controla os outros raivosos), na prática política sempre houve semelhanças entre ele e o PT. No comando do governo de São Paulo, Alckmin tentou controlar investigações e sufocar CPIs , deu sustentação ao mesmo modelo petista de aliança com empreiteiras e escancarou as portas para o toma lá da cá e o fisiologismo, personificado pelas alianças com integrantes do Centrão. Em 2018, estavam no palanque de Alckmin na corrida ao Planalto os ínclitos Valdemar Costa Neto e Roberto Jefferson, que hoje disputam cada palmo de poder no governo Bolsonaro e integrarão o arco de apoio ao presidente na tentativa de reeleição.

O petista Rui Falcão ainda não engoliu a aliança com Alckmin
Parcerias de conveniência para chegar ao poder não são uma novidade da política nacional. As composições de José Sarney, então presidente da Arena, com a Frente Liberal, e a união entre o PSDB e PFL para eleger o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso são episódios conhecidos. No caso específico da chapa Lulalckmin, para além dos interesses políticos, há outro proverbial ponto de interseção: a vontade tanto do ex-tucano quanto do petista em avançar para a etapa final da cruzada contra a Lava Jato.

Ambos nutrem total interesse em impor travas ao combate à corrupção, a fim de jogar para debaixo do tapete de uma vez por todas o que eles mesmos teriam feito nos verões passados. Nas últimas semanas, Alckmin foi atormentado por seu passado. Na terça-feira, 15, o Ministério Público homologou uma delação de um ex-presidente da concessionária Ecovias em que ele denuncia o pagamento de 3 milhões de reais ao ex-tucano, via caixa 2. O inquérito havia sido arquivado no dia 10 pela 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, mas há desdobramentos na área cível. A Justiça Eleitoral também confirmou outra denúncia apresentada na quinta-feira, 17, na qual Alckmin foi acusado de receber 11,3 milhões de reais da Odebrecht, também fruto de caixa 2. Assim como Lula, ele obviamente nega.

Não por coincidência, quem marcou presença na cerimônia de batismo de Alckmin no PSB, para também assinar a ficha de filiação ao partido, foi o advogado criminalista Augusto de Arruda Botelho. Muito em breve, para a surpresa de ninguém, o trio Lula, Alckmin e Botelho, notório ex-defensor da Odebrecht, estará dividindo o mesmo palanque. Frente democrática é isso aí.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA ASSINANDO O COMBO

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Meu Deus!!!! Que medo!!! E há bem pouco tempo atrás estava o Botelho, na qualidade de debatedor da CNN (A casa dos especialistas), jogando pedra o tempo todo na lavajato/Sergio Moro.

  2. Abraço de AFOGADOS, a miséria de HOJE é conta de Lula, afinal de contas os PREJUIZOS sempre chegam depois. Agora em 2022 nós os brasileiros VAMOS desinfetar a politica brasileira, a começar pelo Senado Federal, CHEGA de ex governadores no cargo. Acorda brasileiros CHEGA de CORRUPTOS no poder, antes de VOTAR pesquise, procure saber, informe-se, dê um Google e depois vote.

  3. Frente democrática a favor da corrupção. Xuxu com quiabo será a chapa Lula e Alckmin.Oportunismo na política é a grande sabedoria.Naquele mundo, os valores são deturpados para se chegar ao poder.Discurso populista afiado, com o tempero da hipocrisia, farsa, mentiras, completa o cardápio da personalidade dos parlamentares.

  4. Acho interessante que a Democracia é o termo mais escolhido nos discursos,mas fico me perguntando será que democracia é questão de igualdade só no valor do voto,e não tem haver também com igualdade de aplicação da lei para crimes cometidos?

  5. O que o Putin, Bolsonaro e Lula tem em comum? te respondo; manipular o entorno deles através do aparelhamento em todos os setores do governo e sociedade, e impor suas vontades. O que da tanto poder a eles? te respondo ter posse da chave do cofre ( do dinheiro da população brasileira). Qual a solução? eleições de 2022, e acabar de vez esse cancer que a décadas corrói o pais e sua população. Precisamos do remedio agora ou vai ser tarde demais e vamos virar uma Venezuela, a cada dia ficamos +perto

  6. A quadrilha está montada para assaltar o país, Petrobras, correios e o dinheiro do povao! Esta é a dupla mais fina na arte de assaltar o povo brasileiro + mais a dobradinha STF, STJ+ senado/câmara!

  7. Fenomenal esse duplo twist carpado do Alckmim, mostrando a sua face real. MORO PRESIDENTE para moralizar e dar um freio de arrumação na política nacional.

  8. E inacreditável a cara da PAU desses políticos no Brasil! Só MORO pra dar um freio de arrumação nessa política! MORO PRESIDENTE!

  9. Alckmin tem, realmente, os mesmos valores que Lula. Inclusive nas planilhas da Odebrecht. A máscara sempre cai um dia. Que sejam derrotados nas urnas juntinhos.

  10. Nem tudo está perdido, na política vale tudo pelo poder, até mesmo apoiar Ciro Gomes como candidato denominado 3º via. Ciro Gomes é o adversário que Bolsonaro e Lula querem distancia...

  11. Na condicao de xuxu, Alkminto se revela ser Ptralha desde criianca, execrou o PT e o Luladrao nas eleicoes passadas, agora estando vice de Luladrao se torna auto merecedor de toda a execracao feita no passado ao Luladrao. Dupla perfeita e que retrata o que sao os nossos politicos, descomprometidos com a causa publica, so visam seus proprios interesses de poder em detrimento da nacao. PALHACADA pra idiotas se divertirem. MORO PR ja. Jair e Luladrao caindo fora. Vao tomar uma surra!

  12. Apesar de ter se livrado, até agora, das acusações de corrupção em seus governos, Alckmin acaba de jogar no lixo o seu currículo, ao se juntar ao ladrão mor. Há no entanto, uma esperteza nessa operação: seu sonho sempre foi ser presidente e, embora não mereça, viu a sua grande chance como vice. É muito provável que Lula morra durante o mandato, se for eleito. Olha aí: Alckmin Presidente ...

  13. O Alckmin é a cota paulista/paulistana p política nacional! O homem nunca governou bem, nunca venceu debate e sempre teve os votos q precisou em SP. Sempre tentou esconder suas patifarias, sempre jogou a culpa em qqr outro e sempre manteve a kra de santo trabalhada no lustra móveis. Achava q ele estava morto na vida política, mas bandido está sempre um passo a frente, se "reinventa" e uma onda de desinformados o coloca num cargo q exige uma índole q ele ñ tem. Seu texto é muito legal, Pardellas!

  14. Vergonha nacional alguém que em primeiro momento inspirava confiança se aliar, por conveniencias pessoais ao petismo embora antes o execrasse!

  15. Engraçado que ninguém menciona a maior utilidade de Alckimin como vice: de uma vez cumpre o objetivo geral (existente desde Temer) de vice que ninguém quer, e o objetivo específico de Lula, de não fazer um sucessor ou aspirante ao Planalto... esse objetivo do Lula pode ruir se ele bater com as dez entre uma cachaça e um whisky...

  16. A chapa Lulalckmin só encarna desesperança e nenhum futuro viável para o país. Uma gente que quer vingança e o retorno ao poder para manter suas práticas abjetas. Não têm qualquer projeto para o país.

  17. As ambições pessoais dos políticos brasileiros sempre deixaram em segundo plano os interesses do País. Ideologia aqui é só da boca prá fora. O objetivo mesmo é ter poder e se locupletar às custas do cidadão.

  18. Quem é esse Geraldo Alckmin? Nada acrescentará ao PT, e ainda perderá o eleitorado paulista (o único que tinha algum apreço por ele).

  19. Tudo muito decepcionante. No segundo turno vai ser impossível escolher, 2018 vai se repetir. pobre Brasil que não sai dessa dicotomia do atraso

  20. Muito boa a análise do Jornalista Pardellas. Traçou a imagem do inquebrantável “mocinho” Alckmin que implode sua figura pública numa antítese do seu padrinho politico (e que padrinho!) Mário Covas. Minha opinião é exatamente igual a da ilustre filha do imortal Covas. Tenho certeza que essa aliança espúria não prosperará pelo bem do pais.

    1. Nem precisava foro privilegiado. O Gilmarzão tá lá no STF pra matar no peito e tirar de letra.

  21. Lembram dos ataques do PCC em 2006 em SP? Alckmin tinha saído do governo e deixado Cláudio Lembo como vice, momento que estourou a balbúrdia. Entrevistado sobre os ataques, jogou a responsabilidade nos ombros de Lembo, como se não tivesse nada com isso. É traíra, é covarde, fez acordinhos com Marcola antes e depois. Um sujeitinho que provou do próprio veneno qdo levou por trás de Doria. Descanse em paz, Geraldo Alckmin.

  22. para mim e uma vergonha. em uma política passada vimos esse Alckmin dizendo que esse Lula tinha saqueado o Brasil e agora se unem, será que é para juntos fazerem o mesmo? só pode. Reconheço que não podemos acreditar em tais

  23. É uma aliança sem preconceitos: roubam igualmente a todos – pobres, ricos, classe média, merendas, petrolíferas… todos roubando unidos na mesma chapa.

  24. O mais triste é que não dá para fazer nada. No fim a maior parte vai votar no Lula, enterrar a lava-jato e o Alckimin vai rir de todos

  25. Na verdade verdadeira o que esse Alckmin está calculando é a passagem do cachaceiro desta para uma pior; assumir o legado e se reeleger em 26! "Tô certo ou tô errado"!

    1. De jeito nenhum, Lula é uma daquelas entidades "imorríveis" do subsolo.

  26. Os eleitores do Lula só votam no Lula com medo do Bolsonaro continuar no poder vendendo o Brasil pra poder se livrar. E vice-versa.

  27. Brasil, eleições em 2026, presidente FHC Vice Lula Senador Bolsonaro todos no mesmo partido, acordei era pesadelo, será?

  28. MEU LIVRO “O INROTULÁVEL”. Link de acesso: https://www.amazon.com.br/dp/B09HP2F1QS/ref=cm_sw_r_wa_awdo_PQSA5Z6AXXH2SX16NH87 ..............................................……. o ACORDÃO dos DEGENERADOS MORAIS para EVITAR o IMPEACHMENT do BOLSONARO e TIRAR LULA da CADEIA! os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

  29. o político é um ser humano (há controvérsias) sem nenhum caráter, princípios e valores. As circunstâncias moldam isto. Hoje estou conhecendo (?) um Alckmin que não foi aquele em que sempre votei, em que me solidarizei quando da morte de seu filho, daquele em que defendi em todas suas eleições. Este agora representa tudo aquilo que repudio, que luto contra, e que lamentavelmente prova mais uma vez que somos "manipulados" por acreditar em crápulas como este Alckmin camaleônico. O poder corrompe.

  30. Texto lamentável: preconceituoso, raivoso-digno de um típico bolsonarista mal resolvido e incapaz de analisar imparciamente o impasse político, institucional, social e econômico que o Brasil vive. Por isso, ataca Alckmin, tentando atingir sua reputação e trajetória,desrespeitando regras mínimas da ética jornalística.

    1. Defendendo o indefensável. Lula e Alckmin não precisam de ninguém para queimá-los. Já são o que de pior existe na nossa política, corruptos com 100% de certeza. Só os apaixonados cegos não veem isso.

  31. Texto lamentável, carregado de ódio e preconceito,digno de um tipo de bolsonarista mal resolvido e incapaz de enxergar o impasse político/ econômico/ social que o Brasil vive.

    1. Meu Deus, como você pode negar que essa é uma claríssima união de politico oportunistas???

  32. O Alckmin destruiu o resto de sua biografia política. Agora, só pó. O Lula para chegar ao poder faz aliança até com o diabo, como ele próprio afirma. Uma dessas alianças mais comentadas foi com o ex prefeito de São Paulo Paulo Maluf, para a eleição no seu primeiro mandato. Ambos foram ferrenhos inimigos famosos na vida política de São Paulo. Inacreditável naquele momento. Alckmin com esse gesto, se vale do oportunismo. Rabisca sua reputação.

Mais notícias
Assine agora
TOPO